Publicado em 30 de novembro de 2018 por

Consultora de vendas esperava o marido quando estrangeiro a abordou e a agarrou.

Esper Petterson, preso em flagrante por importunação sexual — Foto: Divulgação/Centro PresenteEsper Petterson, preso em flagrante por importunação sexual — Foto: Divulgação/Centro Presente

Um norueguês foi preso em flagrante por importunação sexual por agentes do Centro Presente na noite desta quinta-feira (29). Esper Petterson abordou a consultora de vendas Kellen Pavão, de 26 anos, e passou a mão pelo corpo dela. Na delegacia, disse que “não conseguiu se controlar”.

“Eu saí do trabalho, esperando meu esposo, e veio esse gringo me abordar a todo momento”, conta Kellen. “Ele queria pedir uma informação, só que ele foi abusado”, narra.

Segundo Kellen, Esper passou a mão em sua cintura, no bumbum e na lateral do seio.

Marido da consultora, Alexandre encontrou Kellen muito nervosa momentos depois. “Ela estava indefesa. O que nós queríamos era ir embora pra casa”, diz.

“Por dois minutinhos eu não peguei essa cena. Minha vontade era fazer uma loucura, mas graças a Deus eu tive discernimento e sabedoria, e fizemos a coisa certa. Estamos aqui até essa hora na delegacia, mas graças a Deus ele está preso”, afirma.

Kellen e o marido na delegacia — Foto: Reprodução/TV GloboKellen e o marido na delegacia — Foto: Reprodução/TV Globo

Leia Mais Norueguês preso por assédio na Central do Brasil alegou que não conseguiu se controlar

Publicado em 30 de novembro de 2018 por

Presidente eleito fez o anúncio pelo Twitter. Almirante de esquadra atuou como observador de forças de paz da ONU em Saraievo e comandou submarinos da Marinha.DtPfyEgX4AI43mQ

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, anunciou pelo Twitter nesta sexta-feira (30) o almirante de esquadra Bento Costa Lima como futuro ministro de Minas e Energia. Este é o vigésimo ministro já anunciado por Bolsonaro.

 Jair M. Bolsonaro ✔  @jairbolsonaro

“Bom dia! Comunico a indicação do Diretor Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, Almirante de Esquadra Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior, para o cargo de Ministro de Minas e Energia.”

Bento Costa Lima nasceu no Rio de Janeiro e entrou para a Marinha na década de 70. Atualmente é diretor geral de desenvolvimento nuclear e tecnológico da Marinha e faz parte do conselho de administração da Nuclebrás, autarquia responsável por desenvolver o programa nuclear brasileiro.

Entre outros cargos que ocupou estão: observador das forças de paz da ONU em Saraievo; assessor parlamentar do ministro da Marinha no Congresso e comandante dos submarinos Tamoio e Toneleiro.

Ele também já atuou como: chefe de gabinete do Estado-Maior da Armada; chefe de gabinete do comandante da Marinha e Comandante em Chefe da Esquadra, além de secretário de ciência, tecnologia e inovação da Marinha.

Como diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, Bento Costa Lima respondeu por todas as unidades científicas da Força, o que inclui o programa de desenvolvimento de submarinos (Prosub) e o programa nuclear da Marinha (PNM).

O almirante tem pós-graduação em Ciência Política pela Universidade de Brasília e MBA em gestão pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Leia Mais Bolsonaro anuncia o almirante de esquadra Bento Costa Lima Leite como novo ministro de Minas e Energia

Publicado em 20 de novembro de 2018 por

Presidente eleito se encontrará, por exemplo, com procuradora-geral Raquel Dodge e com Raimundo Carreiro, presidente do TCU. Expectativa é que mais ministros sejam anunciados.

O presidente eleito Jair Bolsonaro desembarcou na Base Aérea de Brasília por volta das 8h30 desta terça-feira (19) para se reunir com a equipe de transição de governo e com autoridades.

Logo após desembarcar em Brasília, Bolsonaro confirmou por meio de sua conta no Twitter que vai manter no cargo o ministro Wagner Rosário da Transparência e da Controladoria-Geral da União (CGU). Até o momento, ele é o primeiro ministro do governo de Michel Temer que permanecerá na gestão de Bolsonaro.

Pela agenda prevista, o presidente eleito se encontrará ainda nesta terça com a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e com o ministro Raimundo Carreiro, presidente do Tribunal de Contas da União (TCU).

O presidente eleito saiu de casa, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, por volta das 5h30, rumo à Base Aérea do Galeão, na Ilha do Governador. O trajeto foi acompanhado por um comboio formado por 6 carros da PF e uma van.

Bolsonaro e equipe deixaram o Rio de Janeiro rumo a Brasília pouco depois das 7h. O futuro ministro da Economia e integrante da equipe de transição do governo, Paulo Guedes, embarcou com o presidente eleito.

Esta é a terceira viagem de Bolsonaro a Brasília desde a vitória nas urnas, em 28 de outubro. Nas viagens à capital, já se reuniu, por exemplo, com o presidente Michel Temer, com o ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal, e com os comandantes das Forças Armadas.

Nas oturas passagens por Brasília, Bolsonaro aproveitou para anunciar ministros do futuro governo e medidas que adotará a partir de 2019.

A expectativa é que a futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, viaje a Brasília nesta quarta (21) e se reúna com a primeira-dama Marcela Temer.

Agenda

Saiba abaixo a agenda prevista para esta terça-feira:

  • 8h30: Reunião com o ministro da Transparência (CGU), Wagner Rosário;
  • 10h: Reunião com o ministro da transição, Onyx Lorenzoni;
  • 14h: Audiência com a associação das Santas Casas do Brasil;
  • 15h30: Visita de cortesia ao ministro Raimundo Carreiro, presidente do TCU;
  • 16h30: Visita de cortesia à procuradora-geral da República, Raquel Dodge.
 Segundo a assessoria, Bolsonaro ficará em Brasília até a próxima quinta (22). Na capital, trabalhará no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde funciona o gabinete de transição.

Na quinta à noite, o presidente eleito e a mulher, Michelle, são aguardados na cerimônia de casamento do ministro da transição Onyx Lorenzoni, futuro chefe da Casa Civil. A festa acontecerá no Clube do Congresso, em Brasília.

A expectativa é a de que, na sexta-feira (23), ele vá para São Paulo para passar por exames no Hospital Albert Einstein, segundo a agenda do presidente.

Petrobras

Nesta segunda (19), Bolsonaro afirmou em entrevista no Rio de Janeiro que “parte” da Petrobras pode ser privatizada. Disse, ainda, que o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, tem “carta branca” para montar a equipe econômica.

“Nós estamos conversando sobre isso aí. Eu não sou uma pessoa inflexível. Mas nós temos que, com muita responsabilidade, levar avante um plano como esse aí. Eu vi lá atrás com muito bons olhos a questão da Embraer. Nós podemos conversar, tá certo? Mas entendo como um empresa estratégica que pode ser privatizada em parte”, afirmou.

Ainda na campanha eleitoral, Bolsonaro afirmou que privatizará a Petrobras “se não tiver solução”.

“Acaba com esse monopólio estatal e ponto final”, disse ele na ocasião.

Leia Mais Bolsonaro chega a Brasília para semana de reuniões com equipe de transição e autoridades

Publicado em 20 de novembro de 2018 por

O suspeito da agressão é um colega, de 18 anos, que teve a prisão convertida em preventiva.

Aluno é agredido em escola tradicional de BH; colega suspeito do crime está preso — Foto: Reprodução/TV GloboAluno é agredido em escola tradicional de BH; colega suspeito do crime está preso — Foto: Reprodução/TV Globo

O jovem Luiz Felipe, de 17 anos, agredido no Instituto de Educação de Minas Gerais, morreu na manhã desta terça-feira (20), no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte. A morte foi confirmada pela Secretaria de Estado de Educação e pela equipe médica.

O suspeito é um colega, Hudson Rangel Gomes Rosa, de 18 anos, que teve a prisão convertida em preventiva. Segundo a escola, ele tem histórico de agressividade. Nesta quarta-feira (14), os jovens jogavam futebol, durante o recreio, quando teria ocorrido um desentendimento entre a turma.

A vítima foi agredida com socos e pontapés, tentou fugir, mas foi perseguida. Imagens do circuito interno da escola registraram a violência. A escola tradicional fica na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

 Testemunhas disseram que o adolescente de 17 anos foi atingido de costas com um chute na cabeça. A gravação mostra o momento em que ele é jogado da escada, batendo a cabeça em uma mureta. Hudson aparece nas imagens ajudando a carregar o colega com outros estudantes. Depois, ele se afasta.

Segundo a polícia, a vítima teve traumatismo craniano, com múltiplas fraturas na cabeça e foi submetido a cirurgias.

O socorro foi prestado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Luiz Felipe foi entubado e levado inconsciente para o Hospital de Pronto-Socorro XXIII, onde ficou no Centro de Terapia Intensiva (CTI).

“Toda a equipe se envolveu e ficou muito sensibilizada. O estado era muito grave desde o início”, disse o médico Marcelo Lopes, diretor assistencial da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig).

Segundo Valdênia Evangelista, tia e responsável por Luiz Felipe, o velório será em Minas Novas e o enterro será em Turmalina, no Vale do Jequitinhonha. O corpo ainda não foi liberado. Emocionada, ela falou sobre a perda do jovem.

“Meu menino morreu às 6h15. Se sobrevivesse ficaria vegetando. A Justiça deve ser feita. Mas isso é o que menos importa. Queríamos mesmo o Luiz aqui”, disse.

Procurada pela reportagem no dia 15, a família de Hudson não quis gravar entrevista. Por telefone, o irmão dele disse que ele estava jogando bola na quadra e o “menino” ficava dando pancadas de leve em Hudson.

“Ele foi invocado e foi tirar satisfação com o menino. Os meninos começaram a brigar, os dois. Aí, ele foi descendo para a sala de aula e o menino continuou falando. Ele pegou e chutou, mas não chutou com intenção de provocar o que ele provocou”, disse o irmão.

Histórico de agressividade

O estudante de 18 anos que foi preso tem histórico de comportamento agressivo, segundo a diretora do Instituto de Educação de Minas Gerais, em Belo Horizonte.

“Foram várias, muitas. Mais de 30. Agressões, comportamentos indesejados com colegas, falas, matando aula dentro de escola, né, e a gente buscando”, disse Alexandra Aparecida Morais, diretora do IEMG, sobre o histórico do suspeito, Hudson Rangel Gomes Rosa, de 18 anos.

Um registro da escola relata que Hudson “não tem compromissos com os estudos e é agressivo com as professoras”. Em outro relato, uma aluna reclama que foi agredida várias vezes pelo jovem.

O estudante ferido nunca se envolveu em brigas, de acordo com a direção do instituto.

O que diz a Secretaria de Educação

A Secretaria de Estado de Educação divulgou nota no fim da manhã afirmando que “recebeu com profundo pesar a notícia do falecimento do estudante do Instituto de Educação”. Segundo a secretaria, durante todo o período de internação, representantes da pasta e da direção da escola acompanharam a família e deram apoio necessário. A SEE disse que se colocou à disposição da família para conduzi-la a Minas Novas, onde será o velório, e a Turmalina, onde será o enterro.

Leia Mais Morre aluno agredido em escola estadual tradicional de Belo Horizonte

Publicado em 20 de novembro de 2018 por

Fabiane Fernandes de 32 anos não retornou da Prainha no domingo (18).Sem título

Equipes do Corpo de Bombeiros e agentes da Guarda Ambiental retomaram as buscas na manhã desta terça-feira (20) pela turista de Florianópolis (SC) desaparecida na trilha da Prainha, em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Rio. De acordo com os bombeiros, seis agentes militares fazem o trabalho de busca por terra e mar, com a ajuda de um bote. Fabiane Fernandes, de 32 anos, está desaparecida desde a tarde de domingo (18).

Equipes retornam com as buscas na manhã desta terça-feira (20) em Arraial do Cabo — Foto: Vinícius Santos | arquivo pessoalEquipes retornam com as buscas na manhã desta terça-feira (20) em Arraial do Cabo — Foto: Vinícius Santos | arquivo pessoal

O comandante do Corpo de Bombeiros, Marcelo Fidalgo, informou que um amigo que estava na cidade com a turista disse que ela postou uma foto nas redes sociais na manhã do domingo, por volta das 11h, e depois ficou incomunicável.

De acordo com o biólogo Vinícius Santos, que também trabalha como guia de trilhas na região, a imagem publicada pela turista diz “exercícios diários, trilha do Atalaia”, o que leva a entender que ela acreditava estar no Pontal do Atalaia.

Porém, a imagem mostra as trilhas da Prainha, no bairro de mesmo nome. Segundo o biólogo, isso reforça que Fabiane não conhecia o local. Ele ainda destacou o risco de fazer trilhas em locais desconhecidos desacompanhados.

Turista de Florianópolis postou foto de trilha antes de desaparecer — Foto: Reprodução | Redes SociaisTurista de Florianópolis postou foto de trilha antes de desaparecer — Foto: Reprodução | Redes Sociais

Buscas foram interrompidas na segunda-feira (19)

As buscas pela turista foram interrompidas nesta segunda-feira (19) por conta da chuva e da falta de iluminação.

Equipes de buscas desta segunda-feira (19) — Foto: Vinícius Santos | arquivo pessoalEquipes de buscas desta segunda-feira (19) — Foto: Vinícius Santos | arquivo pessoal

 

Leia Mais Equipes de resgate retomam buscas a turista desaparecida em trilha de Arraial do Cabo, no RJ

Publicado em 20 de novembro de 2018 por

Delegado Rosalvo Franco participou de fases decisivas da Lava Jato, trabalhando em conjunto com Moro. Ex-assessora da Justiça Federal no Paraná também foi nomeada.

Rosalvo Ferreira Franco atuava como superintendente regional da PF no Paraná  — Foto: Reprodução/RPCRosalvo Ferreira Franco atuava como superintendente regional da PF no Paraná — Foto: Reprodução/RPC

O ex-superintendente da Polícia Federal no Paraná , delegado Rosalvo Franco , foi nomeado para o cargo especial de transição governamental”, para auxiliar o futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, na transição de governo.

Rosalvo foi superintendente da PF no Paraná de 2013 a 2017 , quando se aposentou. Nesta segunda-feira (19), Rosalvo já participou das primeiras reuniões com Moro, e almoçou com ele no CCBB, onde funciona o governo de transição.

No período que comandou a PF em Curitiba , Rosalvo atuou em momentos decisivos da Lava Jato, desde o início até fases delicadas, como a busca e apreensão na casa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Daí a proximidade com Moro, a partir do trabalho conjunto na Lava Jato.

Outro nome de confiança de Moro também foi publicado hoje no “Diário Oficial” desta terça-feira (20). É o de Flavia Maceno, que assessorou Moro durante toda a Lava Jato. Ela foi diretora de secretaria na 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba.

Moro está definindo nomes-chave pra sua equipe no Ministério da Justiça e em órgãos vinculados, como a Polícia Federal. Ele já disse que o nome do novo diretor-geral da PF pode ser decidido nesta semana. O mais cotado é Mauricio Valeixo, hoje superintendente da PF em Curitiba.

Valeixo é muito próximo de Moro, ja foi o numero 3 na hierarquia da Polícia Federal na gestão do ex-diretor-geral Leandro Daiello, tem trânsito com as equipes de investigação da Lava Jato que atuam em Curitiba e em Brasília.

Outro nome cotado para o cargo é o de Érika Marena. A delegada é uma aposta dos colegas , tem proximidade com Moro e atuou no início da Lava Jato. Na segunda ela almoçou com o futuro ministro. A definição deve sair até sexta. Moro também estuda nomes-chave para o ministério para ocupar cargos como o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

Marena também é cotada para assumir um posto na estrutura do Ministério da Justiça. Um dos possíveis cargos é o Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional — posto estratégico responsável pela recuperação de dinheiro desviado para o exterior e por cooperações com outros países para desvendar remessas ilegais. O caso do ex-deputado Eduardo Cunha (a cooperação internacional com a Suíça) passou pelo DRCI.

Leia Mais Ex-superintendente da PF que atuou com Moro na Lava Jato é nomeado para governo de transição

Publicado em 20 de novembro de 2018 por

Cratera Jezero foi escolhida pela riqueza de amostras de rochas e solo.

Cratero Jezero em Marte é o local escolhido para pouso de nova missão da Nasa — Foto: NASA/JPL/JHUAPL/MSSS/Brown UniversityCratero Jezero em Marte é o local escolhido para pouso de nova missão da Nasa — Foto: NASA/JPL/JHUAPL/MSSS/Brown University

A Nasa escolheu a cratera Jezero como o local de pouso para a missão em Marte em 2020 após uma pesquisa de cinco anos, durante a qual cada detalhe disponível de mais de 60 locais candidatos no Planeta Vermelho foi examinado e debatido pela equipe da missão e pela comunidade científica planetária.

A missão está programada para ser lançada em julho de 2020 como o próximo passo na exploração do Planeta Vermelho. Ele não apenas buscará sinais de antigas condições habitáveis – e da vida microbiana do passado -, mas também irá coletar amostras de rochas e solo e armazená-las em um esconderijo na superfície do planeta. A Nasa e a ESA (Agência Espacial Européia) estão estudando futuros conceitos de missão para recuperar as amostras e devolvê-las à Terra, de modo que este local de pouso prepara o terreno para a próxima década de exploração de Marte.

“O local de pouso na cratera Jezero oferece terreno geologicamente rico, com formações de terras de até 3,6 bilhões de anos, que poderiam potencialmente responder questões importantes em evolução planetária e astrobiologia”, disse Thomas Zurbuchen, administrador associado do Diretório de Missões Científicas da NASA.

“Obter amostras desta área exclusiva revolucionará a forma como pensamos sobre Marte e sua capacidade de abrigar vida.”

A cratera Jezero está localizada na borda oeste de Isidis Planitia, uma gigantesca bacia de impacto logo ao norte do equador marciano. O oeste de Isidis apresenta algumas das paisagens mais antigas e cientificamente interessantes que Marte tem para oferecer. Cientistas da missão acreditam que a cratera de 45 quilômetros de extensão, que já abrigou um antigo rio delta, poderia ter coletado e preservado antigas moléculas orgânicas e outros potenciais sinais de vida microbiana da água e sedimentos que fluíram para a cratera bilhões de anos atrás.

O antigo sistema lago-delta da cratera oferece muitos alvos promissores de amostragem de pelo menos cinco tipos diferentes de rochas, incluindo argilas e carbonatos que têm alto potencial para preservar assinaturas de vidas passadas. Além disso, o material transportado para o delta a partir de uma grande bacia pode conter uma grande variedade de minerais dentro e fora da cratera.

Dificuldades de pouso

A diversidade geológica que torna Jezero tão atraente para os cientistas também torna um desafio para os engenheiros de entrada, descida e pouso (EDL) da equipe. Junto com o enorme delta do rio próximo e pequenos impactos de crateras, o local contém numerosos pedregulhos e pedras a leste, falésias a oeste e depressões cheias de formas de leito eólicas (ondulações derivadas do vento na areia que poderiam prender o veículo de exploração) em vários locais.

“A missão tem cobiçado o valor científico de locais como a cratera Jazero, e uma missão anterior contemplava ir até lá, mas os desafios com pouso seguro foram considerados proibitivos”, disse Ken Farley, cientista do projeto Marte 2020 no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA. “Mas o que antes estava fora de alcance agora é concebível, graças à equipe de engenharia e aos avanços nas tecnologias de entrada, descida e pouso da missão.”

Quando a busca do local de pouso começou, os engenheiros da missão já haviam aperfeiçoado o sistema de pouso de modo a reduzir a área de pouso de Marte 2020 para uma área 50% menor do que a aterrissagem do curiosity da Nasa na cratera Gale em 2012. Isso permitiu a comunidade científica a considerar locais de pouso mais desafiadores. Os locais de maior interesse científico levaram a Nasa a adicionar um novo recurso chamado Terrain Relative Navigation (TRN), algo como Navegação Terrena Relativa em tradução livre. A TRN permitirá o estágio de descida “sky crane”, um sistema movido a foguete que transporta o veículo de expploração até a superfície, para evitar áreas perigosas.

A seleção do local depende de extensas análises e testes de verificação do recurso da TRN. Um relatório final será apresentado a um conselho de revisão independente e à sede da Nasa em 2019.

“Nada foi mais difícil na exploração planetária robótica do que aterrissar em Marte”, disse Zurbuchen. “A equipe de engenharia da Marte 2020 fez uma tremenda quantidade de trabalho para nos preparar para essa decisão. A equipe continuará seu trabalho para entender verdadeiramente o sistema da TRN e os riscos envolvidos, e analisaremos as descobertas de forma independente para assegurar que maximizamos nossas chances de sucesso. ”

A seleção antecipada de um local de pouso permite que os pilotos e a equipe de operações científicas otimizem seus planos para explorar a cratera Jezero quando o jipe de exploração estiver em segurança no solo. Usando dados da frota da Nasa de orbitadores de Marte, eles mapearão o terreno com mais detalhes e identificarão regiões de interesse – locais com as características geológicas mais interessantes, por exemplo – onde a Marte 2020 poderia coletar as melhores amostras científicas.

Leia Mais Nasa anuncia local de pouso de missão em Marte em 2020

Publicado em 20 de novembro de 2018 por

Vanclécio foi encontrado por familiares da vítima que estavam indo para o velório da jovem. Ele foi preso por policiais da Delegacia de Homicídios.

Vanclécio Carneiro foi capturado por familiares da vítima, que o seguraram e chamaram a polícia — Foto: Redes sociaisVanclécio Carneiro foi capturado por familiares da vítima, que o seguraram e chamaram a polícia — Foto: Redes sociais

A Polícia Civil prendeu na manhã desta terça-feira (20) Vanclécio Cordeiro, suspeito de matar a ex-mulher, Fernanda Siqueira, com facadas no peito em uma rua em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio, no último domingo (18). Ele foi detido no bairro Colégio.

Vanclécio foi capturado por familiares da vítima que estavam indo para o velório da jovem. Eles o perseguiram, o seguraram e chamaram a polícia. Agentes do 9º Batalhão (Honório Gurgel). A informação da prisão também foi confirmada pela Delegacia de Homicídios (DH). Na segunda (19), a Justiça havia decretado a prisão temporária.

“Eu, meu irmão e meu filho o avistamos andando na rua tranquilamente, como se nada tivesse acontecido. Nós paramos o carro e saímos correndo atrás dele. Quando eu cheguei, ele estava escondido embaixo de um carro. Chamei a polícia. A primeira coisa que ele falou quando o pegamos foi: ‘como é que ela está?’ A primeira pergunta que ele fez: ‘Como ela está? Eu não queria fazer isso, como é que ela está?’. É um conforto para família saber que ele está preso e que agora a justiça vai ser feita” destacou Orlando Nunes, primo de Fernanda, que ajudou a capturar Vanclécio.

Policiais da DH afirmaram que, durante a prisão, ele confirmou o assassinato.

Vanclécio foi preso no bairro Colégio, no Rio de Janeiro. — Foto: Divulgação/ PMERJVanclécio foi preso no bairro Colégio, no Rio de Janeiro. — Foto: Divulgação/ PMERJ

Segundo familiares que assistiram ao crime, ele tentou fugir do local de carro, mas perdeu a direção e chegou a invadir uma pista do BRT. Em seguida, Vanclécio fugiu a pé e deixou o celular para trás. Uma tia de Fernanda contou como foi que ele atacou a sobrinha.

“Ele começou a beber, do nada e veio. Ela disse: tia, ele tá com uma cara feia, quando eu fui olhar, assim, foi tão rápido. Ela correu, eu fui atrás dela. Aí, ela estava cheia de sangue, ela me abraçou, e começou já a desfalecer. A gente botou ela na cadeira, fiquei toda cheia de sangue, fiquei com ela abraçada”, contou Jane de Souza.

O corpo de Fernanda Siqueira está sendo velado na manhã desta terça no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio.

Corpo de Fernanda Siqueira é velado no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap — Foto: Pedro Figueiredo/ TV GloboCorpo de Fernanda Siqueira é velado no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap — Foto: Pedro Figueiredo/ TV Globo
Fernanda e Vanclécio em foto de março de 2017 — Foto: Reprodução/Redes sociaisFernanda e Vanclécio em foto de março de 2017 — Foto: Reprodução/Redes sociais

Leia Mais Suspeito de matar ex-mulher no Rio é pego por familiares da vítima

Publicado em 19 de novembro de 2018 por

Antônia Conceição da Silva foi assassinada na madrugada de sábado (17) em Feira Nova do Maranhão.

Antônia Conceição da Silva, de 106 anos, foi morta a pauladas dentro da sua residência em Feira Nova do Maranhão — Foto: DivulgaçãoAntônia Conceição da Silva, de 106 anos, foi morta a pauladas dentro da sua residência em Feira Nova do Maranhão — Foto: Divulgação

A polícia do Maranhão acredita que a idosa Antônia Conceição da Silva, de 106 anos, tenha sido vítima de latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Segundo o delegado Regional de Balsas, Fagno Vieira, que está à frente do caso, disse que o valor de R$ 30 desapareceu da residência da vítima após a sua morte. Antônia Conceição foi assassinada a pauladas na madrugada de sábado (17) na cidade de Feira Nova do Maranhão, a 783 km de São Luís.

“Nós iniciamos as investigações desde o sábado, quando ocorreu o crime, e pelas características do que já apuramos a hipótese mais contundente é de que estamos diante de um latrocínio, pois houve a subtração de um porta-moeda com cerca de R$ 30,00”, revelou o delegado Fagno Vieira.

O delegado informou ainda que nesta segunda-feira (19) oito pessoas, entre familiares e vizinhos da vítima, serão ouvidas na delegacia de Feira Nova do Maranhão. “Hoje eu me deslocarei para Feira Nova e lá eu vou interrogar pessoas da família da dona Antônia e também alguns vizinhos para saber o que ocorreu nos dois últimos dias antes do crime. Nós já confirmamos, até o momento, o depoimento de oito pessoas”.

Fagno Vieira acredita que a morte da idosa tenha sido causada apenas por uma pessoa, já que foram encontradas pegadas de um indivíduo na residência dela. Ele acrescenta que não descarta a possibilidade dela ter sido morta por alguém que estava frequentando uma festa que ocorria próximo de onde ela morava.

“Tudo indica que foi só uma pessoa que matou ela porque durante a perícia feita no local do crime nós encontramos apenas uma pegada de sangue na parede da casa. No dia da morte dela estava acontecendo uma festa e por acreditarmos que este indivíduo sabia da vulnerabilidade da vítima aproveitou o momento que tinham muitas pessoas na festa e que ela estava sozinha para cometer o crime”, relatou o delegado.

O delegado Fagno Vieira pontua que até o fim desta semana a polícia já tenha novidades sobre o caso, mas conta que, por enquanto, nada será levado a público para não atrapalhar as investigações. “Eu acredito que a gente vá ter novidades até o fim desta semana, mas a gente prefere não divulgar para não atrapalhar no andamento das nossas investigações”, finalizou.

Leia Mais Idosa de 106 pode ter sido morta a pauladas por causa de R$ 30, diz polícia

Publicado em 19 de novembro de 2018 por

Leia Mais Cidade da Guatemala aciona alerta vermelho por erupção do Vulcão de Fogo

Publicado em 19 de novembro de 2018 por

Anúncio foi feito nesta segunda-feira (19) pelo Ministro das Relações Exteriores alemão, Heiko Maas, no Twitter. Grã-Bretanha e França também aderiram à sanção.

Jamal Khashoggi, jornalista crítico ao governo da Arábia Saudita — Foto: Mohammed al-Shaikh/AFPJamal Khashoggi, jornalista crítico ao governo da Arábia Saudita — Foto: Mohammed al-Shaikh/AFP

A Alemanha impôs proibições de viagem a 18 sauditas suspeitos de envolvimento no assassinato do jornalista Jamal Khashoggi. As sanções foram impostas em conjunto com a Grã-Bretanha e a França, de acordo com anúncio feito nesta segunda (19) pelo Ministro das Relações Exteriores alemão, Heiko Maas, em sua conta no Twitter.

“No caso Khashoggi, ainda temos mais perguntas do que respostas. Tomamos uma decisão coordenada com a França e a Grã-Bretanha. A Alemanha iniciou procedimentos para impor proibições de entrada a 18 cidadãos sauditas possivelmente ligados ao crime”, diz o tuíte.

De acordo com a agência de notícias Reuters, uma porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do país afirmou que não poderia nomear os indivíduos, por causa das leis de privacidade da Alemanha.

Leia Mais Alemanha impõe proibições de viagem a 18 sauditas pelo assassinato de Khashoggi

Publicado em 19 de novembro de 2018 por

Segundo o Ministério Público paraguaio, o brasileiro matou uma jovem dentro da cela, no sábado (17), para evitar extradição; assista ao vídeo da chegada do traficante ao Brasil.

Marcelo Piloto foi entregue à polícia brasileira no aeroporto que fica do lado paraguaio da Usina de Itaipu, em seguida foi levado para a delegacia da PF em Foz do Iguaçu — Foto: Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai/DivulgaçãoMarcelo Piloto foi entregue à polícia brasileira no aeroporto que fica do lado paraguaio da Usina de Itaipu, em seguida foi levado para a delegacia da PF em Foz do Iguaçu — Foto: Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai/Divulgação

O narcotraficante Marcelo Fernando Pinheiro da Veiga, conhecido como Marcelo Piloto, que estava preso em Assunção, no Paraguai, foi entregue às autoridades brasileiras nesta segunda-feira (19) após ser expulso do país vizinho.

A aeronave chegou ao aeroporto que fica do lado paraguaio da Usina de Itaipu antes das 7h e em seguida Marcelo Piloto foi levado para a delegacia da Polícia Federal em Foz do Iguaçu em um helicóptero da Polícia Civil do Paraná.

Ele chegou algemado, encapuzado e escoltado por vários policiais. Em seguida, Piloto teve as algemas trocadas, recebeu um colete a prova de balas e foi embarcado no helicóptero, onde conversou rapidamente com alguns agentes.

Segundo informações do governo paraguaio, o avião com o traficante partiu do grupo tático aéreo da Força Aérea Paraguaia, em Luque, cidade vizinha a Assunção às 5h05 desta segunda-feira.

No sábado (17), Piloto matou uma jovem dentro de sua cela no Agrupamento Especializado em Assunção para, apontam promotores paraguaios, tentar evitar a extradição ao Brasil.

O assassinato de uma jovem de 18 anos foi “uma atitude extrema de Piloto para impedir sua extradição”, disse o promotor Hugo Volpe. A Justiça do Paraguai autorizou a extradição de Piloto no dia 30 de setembro, após serem frustradas duas tentativas de resgate do traficante.

 A jovem morta por Marcelo Piloto entrou na prisão em que ele estava, no Paraguai, fora do protocolo, disse o Ministério Público paraguaio. Lidia Meza Burgosficou 40 minutos na cela e morreu após levar 16 facadas do traficante.

A vítima, ainda conforme o MP, era prostituta e o visitava pela 2ª vez. “Ela ingressou no presídio sem ser dia e hora de visita”, disse Volpe. A investigação apontou que ela entrou às 12h35, no presídio em Assunção.

Lidia Meza Burgos visitava Marcelo Piloto pela segunda vez, segundo a polícia vizinha.

Extradição

De acordo com a decisão de setembro que determinou a extradição de Marcelo Piloto, ele só poderia ser entregue às autoridades brasileiras depois da conclusão de dois processos abertos no país vizinho: um por homicídio e outro por produção de documentos falsos e violação da Lei de Armas – este julgado na sexta-feira (16).

Segundo Volpe, a apelação de Piloto para que não fosse extraditado deveria ser julgada ainda este mês e a permanência dele no Paraguai poderia ser determinada caso comprovada a culpa dele na morte da jovem.

No Brasil, Marcelo Piloto deve cumprir pena de mais de 26 anos de prisão a que foi condenado por latrocínio e roubo. Ele responde ainda por outros crimes como homicídio, tráfico e associação para o tráfico.

Marcelo Piloto

Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, é apontado pelas polícias dos dois países como o maior fornecedor de armas e drogas fora do Brasil desde a prisão de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar.

Piloto foi preso em dezembro de 2017 em Encarnación, no Paraguai.

Foragido desde 2007, ele vivia no país vizinho desde 2012. Para não ser identificado, usava uma identidade falsa e mudava de endereço a cada seis meses. Aos vizinhos, se apresentava como “vendedor de eletrônicos”.

Leia Mais Marcelo Piloto é entregue às autoridades brasileiras após ser expulso do Paraguai

Publicado em 16 de novembro de 2018 por

WhatsApp Image 2018-11-16 at 17.14.56O Movimento Brasil Livre é um movimento político brasileiro que defende o liberalismo econômico e o republicanismo, ativo desde 2014.

Foi criado por Kim Kataguiri e Renan Santos com o propósito de divulgar o liberalismo e a ideologia de Direita.

O MBL participou das manifestações populares que ocorreram em diversas regiões do Brasil e que tiveram como principais objetivos protestar contra o Governo Dilma Rousseff e a corrupção. Essas manifestações reuniram centenas de milhares de pessoas nos dias 15 de março, 12 de abril e 16 de agosto e, segundo algumas estimativas, foram a maior mobilização popular no país desde o início da Nova República. No dia 15 de março, ocorreram protestos em todos os estados brasileiros, em ao menos 160 cidades. Também foram registrados protestos em seis cidades do exterior: Buenos Aires, Londres, Lisboa, Miami, Montreal e Nova Iorque.

Após as últimas manifestações, o MBL iniciou uma marcha de São Paulo até Brasília, pleiteando o impeachment de Dilma Rousseff. Chamada de “Marcha pela Liberdade”, saiu de São Paulo no dia 24 de abril e percorreu três estados e mais de mil quilômetros, ao longo de 33 dias, chegando a Brasília em 27 de maio. No Congresso Nacional, ingressaram com um pedido de impeachment contra a presidente.

O MBL se define como um movimento liberal e republicano. Em seu manifesto, o MBL cita cinco objetivos: “imprensa livre e independente, liberdade econômica, separação de poderes, eleições livres e idôneas e fim de subsídios diretos e indiretos para ditaduras”.

O núcleo MBL em Santa Cruz do Capibaribe, é representado por Jéssica lagos, Aurimendes Ferreira e Alysson Simplício.

WhatsApp Image 2018-11-16 at 17.50.42 (1)Kim Kataguiri, deputado federal eleito em SP – Júlio César – Fernando Holiday, Vereador da cidade de São Paulo – Jéssica Lagos, Coordenadora do MBL Santa Cruz e Arthur do Val, deputado estadual eleito em SP.
WhatsApp Image 2018-11-16 at 17.50.42Fernando Holiday, Vereador da cidade de São Paulo e Jéssica Lagos, Coordenadora do MBL Santa Cruz

Próximo dia 23 e 24 de novembro, acontecerá o 4º Congresso Nacional MBL, com a presença de Nomes como:

  • Kim Kataguiri, deputado federal eleito em SP.
  • Arthur do Val, deputado estadual eleito em SP.
  • Carlos Andreazza, editor-executivo do Grupo Editorial Record, colunista do jornal O Globo e comentarista da rádio Jovem Pan.
  • Danilo Gentili, humorista e apresentador do “The Noite” no SBT.
  • Janaína Paschoal, advogada, professora e deputada estadual mais votada da história do Brasil.
  • Stephen Hicks, filósofo e professor canadense da Rockford University.
  • Paulo Guedes, Ph.D em economia pela Universidade de Chicago e fundador do Banco Pactual e futuro Ministro da Economia de Jair Bolsonaro.

Jéssica Lagos estará presente no 4º Congresso MBL, representando a Cidade de Santa Cruz do Capibaribe. Leia Mais MBL – Movimento Brasil Livre chega a Santa Cruz do Capibaribe

Publicado em 16 de novembro de 2018 por

Presidente eleito voltou a criticar regras do Mais Médicos e citou ‘direitos humanos’ ao defender repasse integral do salário pago no programa aos profissionais cubanos que atuam no país.

O presidente eleito Jair Bolsonaro fala com a imprensa no Rio de Janeiro — Foto: Fernanda Rouvenat/G1O presidente eleito Jair Bolsonaro fala com a imprensa no Rio de Janeiro — Foto: Fernanda Rouvenat/G1

O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (16) que é “injusto” e “desumano” destinar aos mais pobres o atendimento médico por parte de profissionais cubanos “sem qualquer garantia” de qualidade.

A declaração foi dada após café da manhã entre Bolsonaro e o comandante da Marinha, o almirante de esquadra Eduardo Bacelar Leal Ferreira, no Comando do Primeiro Distrito Naval, no Centro do Rio.

Para o presidente eleito, o governo brasileiro não tem comprovação de que os profissionais de saúde enviados por Cuba sejam competentes e, por isso, voltou a defender que eles deveriam passar por uma prova para revalidar o diploma e atuar no Brasil.

Na última quarta (14), o governo de Cuba informou que decidiu sair do Mais Médicos e atribuiu a decisão a “declarações ameaçadoras e depreciativas” de Bolsonaro. O presidente eleito afirma que Cuba não quis aceitar condições para continuar no programa.

“Eu nunca vi uma autoridade no Brasil dizer que foi assistida por um médico cubano. Será que nós devemos destinar aos mais pobres profissionais, entre aspas, sem qualquer garantia? Isso é injusto. Isso é desumano”, disse Bolsonaro.

“Não queremos isso para ninguém, muito menos para os mais pobres. Queremos salário integral e o direito de fazer a família para cá. Isso é pedir muito? Isso está em nossas leis”, complementou.

Segundo o presidente eleito, a forma como a contratação dos médicos cubanos foi feita é “situação de prática de escravidão” porque, de acordo com Bolsonaro, o governo cubano impede que a família dos médicos os acompanhe durante o período em que eles estão no Brasil.

“Vamos falar em direitos humanos? Quem diria, não é? Tanta crítica eu sofri aqui… talvez a senhora [dirigindo-se a uma jornalista] seja mãe. Imaginou ficar longe dos seus filhos por um ano? É a situação de prática de escravidão que estão sendo submetidos os médicos e as médicas cubanos no Brasil. Imaginou confiscar da senhora 70% do seu salário?”, criticou o presidente eleito.

Asilo

Na entrevista, Bolsonaro voltou a afirmar que, após tomar posse como presidente, dará asilo a cubanos que pedirem.

Para o presidente eleito, a “ditadura” instalada em Cuba justifica a concessão de asilos aos profissionais de saúde que estão no Brasil.

“Há quatro anos e pouco, quando foi discutida a medida provisória [que criou o Mais Médicos], o governo da senhora Dilma em alto e bom som disse que qualquer cubano que pedisse asilo seria deportados. Se eu for presidente, o cubano que pedir asilo aqui justifica, no meu entender pela ditadura na ilha, terá o asilo da minha parte”, disse.

Edital

Mais cedo, o Ministério da Saúde informou que a seleção de médicos brasileiros para ocuparem as vagas que serão deixadas pelos profissionais cubanos do programa Mais Médicos ocorrerá ainda em novembro.

De acordo com o Ministério da Saúde, a formulação do edital para substituição dos médicos cubanos será finalizada ainda nesta sexta, durante reunião com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

O Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) informou ter sido avisado pela embaixada de Cuba que os médicos do país deixarão o Brasil até o fim do ano.

De acordo com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), a saída de cubanos do Mais Médicos afetará 28 milhões de pessoas.

O programa

Pelas regras do Mais Médicos, os médicos brasileiros e estrangeiros formados no Brasil têm prioridade para ingressarem no programa. Depois, são convocados médicos formados fora do Brasil que tenham revalidado o diploma no país, com o exame chamado Revalida.

Na sequência, são chamados médicos brasileiros formados no exterior que não realizaram o Revalida. Depois, a regra prevê que sejam convidados médicos estrangeiros formados no exterior e sem diploma revalidado no Brasil.

Só após todos esses é que governo brasileiro oferecia as vagas aos médicos cubanos.

Cuba enviava profissionais ao Brasil desde 2013. No Mais Médicos, pouco mais da metade dos profissionais – 8,47 mil dos mais de 16 mil profissionais – vieram de Cuba, segundo dados obtidos pelo G1.

Em 2013, segundo balanço do governo federal, apenas 11% das vagasoferecidas no primeiro edital foram preenchidas por médicos brasileiros.

Leia Mais É ‘desumano’ dar aos mais pobres atendimento sem ‘garantia’, diz Bolsonaro sobre cubanos

Publicado em 16 de novembro de 2018 por

Na quarta-feira, moeda dos EUA fechou em baixa de 1,13%, a R$ 3,7855.

Notas de dólar — Foto: Gary Cameron/ReutersNotas de dólar — Foto: Gary Cameron/Reuters

O dólar opera em queda nesta sexta-feira (16), com o mercado recebendo bem a indicação do economista Roberto Campos Neto para substituir Ilan Goldfajn no comando do Banco Central na gestão do presidente eleito Jair Bolsonaro, e após autoridades do Federal Reserve colocarem em dúvida a trajetória de juros dos Estados Unidos, destaca a agência Reuters.

Às 15h16, a moeda norte-americana caía 1,11%, vendida a R$ 3,7434. Na mínima da sessão da moeda chegou a 3,7306, e na máxima foi a 3,7825.

Na quarta-feira, o dólar fechou em baixa de 1,13% ante o real, a R$ 3,7855. No mês, a moeda ainda acumula alta de mais de 1%. No ano, a valorização é de cerca de 14% ante o real.

Cenário externo

Nos Estados Unidos, o vice-chair do Federal Reserve declarou que a taxa de juros norte-americana está perto das estimativas do banco central de uma taxa neutra e que o neutro “faz sentido”, influenciado na cotação do dólar ante uma cesta das principais moedas. O Fed já elevou os juros três vezes neste ano e há ampla expectativa de que os eleve novamente em dezembro.

No exterior, predominava também a cautela em relação ao Brexit, depois que a premiê britânica, Theresa May, anunciou que se mantém firme à retirada do Reino Unido da União Europeia em março, mesmo após renúncia de importantes ministros, destaca a agência Reuters. O jornal “Telegraph” reportou que May passará por uma moção de censura na próxima semana, o que ameaça seu governo e coloca a aprovação do seu plano de Brexit em xeque.

O Banco Central vendeu nesta sessão 13,6 mil contratos de swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares. Desta forma, rolou 6,8 bilhões de dólares do total de US$ 12,217 bilhões que vence em dezembro. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

Indicação para o Banco Central

Na quinta-feira, quando o mercado brasileiro esteve fechado, a equipe de Bolsonaro também anunciou que o economista Mansueto Almeida permanecerá no cargo de Secretário do Tesouro Nacional, que ocupa desde abril de 2018.

Em nota divulgada nesta sexta-feira, a assessoria de imprensa do BC informou ainda que os atuais diretores colocaram-se à disposição do presidente indicado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro, e que o diretor de Política Econômica, Carlos Viana de Carvalho, permanecerá no cargo “por tempo considerável” após chegar a entendimento com o futuro presidente do BC. O BC possui 8 diretorias.

Para poder assumir o BC, ele será sabatinado pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal e terá de ter seu nome aprovado. Também precisará passar pelo crivo do plenário da Casa. O presidente do Banco Central tem “status” de ministro. Deste modo, tem foro privilegiado.

Próximo a Paulo Guedes, futuro ministro da Economia do governo Bolsonaro, a partir de 2019, Campos Neto é, atualmente, responsável pela tesouraria do banco Santander.

Na visão da equipe da XP Investimentos, a manutenção de Mansueto no Tesouro e a indicação de Roberto Campos Neto reforçam o perfil liberal da equipe.

A equipe da Brasil Plural acrescenta que Campos Neto, que era diretor de Tesouraria do Santander Brasil, é próximo ao futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, e sua nomeação é mais um sinal de que Guedes terá autonomia na condução da política econômica, conforme nota distribuída a clientes.

Leia Mais Dólar cai abaixo de R$ 3,75 após indicação de Campos Neto para o comando do BC