Publicado em 7 de dezembro de 2018 por

Dois suspeitos do crime foram presos, conforme o secretário da Segurança do Ceará. Prefeito de Milagres informou que duas crianças estão entre as vítimas.

Polícia trocou tiros com os bandidos e impediu o ataque; 12 pessoas morreram no Ceará — Foto: GloboNews/ ReproduçãoPolícia trocou tiros com os bandidos e impediu o ataque; 12 pessoas morreram no Ceará — Foto: GloboNews/ Reprodução

Um grupo de criminosos armados e com reféns tentou assaltar duas agências bancárias da cidade de Milagres, na Região do Cariri do Ceará, na madrugada desta sexta-feira (7). Houve intensa troca de tiros e pelo menos 12 pessoas morreram, segundo informou a a Secretaria da Segurança do Ceará. Dois suspeitos de participação na tentativa de assalto foram presos, conforme o secretário da Segurança, delegado André Costa.

A Coordenadoria de Medicina Legal (Comel) da Perícia Forense (antigo IML) da cidade de Juazeiro do Norte, que recolheu os corpos, havia informado, inicialmente, que 13 pessoas morreram no tiroteio. No entanto, em nota, a Secretaria de Segurança do Estado confirmou 12 óbitos. Um outro suspeito foi ferido durante a troca de tiros e está internado em um hospital da cidade.

De acordo o prefeito de Milagres, Lielson Landim, entre os mortos estão duas crianças, que eram feitas reféns pelo grupo criminoso. No total, seis reféns morreram no confronto, sendo cinco da mesma família, conforme a polícia. Ainda não foram identificados todos os mortos no confronto.O prefeito de Milagres disse que a família ia para Serra Talhada, em Pernambuco, quando passou por um trecho interditado na rodovia BR-116, na altura da ponte sobre o riacho Tamanduá, e foi sequestrada. A quadrilha utilizou um caminhão para bloquear a via e parar o veículo das vítimas.

Segundo o prefeito, os reféns foram executados pela quadrilha ao serem abordados pela polícia. Entre as vítimas estão um empresário de Serra Talhada e o filho dele. Pai e filho foram até o Ceará buscar três familiares que vinham de São Paulo para passar os festejos de fim de ano em Serra Talhada

O sexto refém morto, ainda não identificado, seria da cidade de Brejo Santo e também foi parado na rodovia.

A tentativa de roubo aconteceu por volta de 2h17 da madrugada. Houve confronto entre os policiais e os criminosos. Diversos carros da PM foram usados para conter a quadrilha. Devido à ação da Polícia Militar, o grupo criminoso não conseguiu levar o dinheiro de nenhum dos estabelecimentos bancários. Os dois bancos ficam na Rua Presidente Vargas, no Centro do município, que tem 28 mil habitantes.

A Secretaria da Segurança Pública informou que, além dos dois presos, os policiais militares apreenderam uma pistola 9 milímetros, um revólver calibre 38, uma arma calibre 12 e explosivos. Três veículos envolvidos na ocorrência, sendo um Celta e duas caminhonetes, foram apreendidos, conforme o órgão.

Trabalho policial

Sobre o ocorrido, o titular da secretário André Costa afirmou que “confia no trabalho da polícia”. “É muito difícil você, de longe, fazer um julgamento sobre a ação dos policias lá no meio do tiroteio. Policiais, outras pessoas e cidadãos podem ser alvos dos disparos. Neste momento é muito difícil a gente tá julgando a atuação dos polciais”, pontuou.

André Costa acrescentou que um dos suspeitos presos afirmou que a quadrilha atirou nos reféns. “Um dos criminosos presos acabou dizendo que matou pessoas que estavam no local e não eram da quadrilha. Mas toda informação é insuficiente. Vai acontecer o trabalho da perícia e a investigação. Confio muito no trabalho da nossa polícia”, disse André Costa.

Agentes da Perícia Forense do Ceará informaram que dois veículos foram acionados para recolher os corpos e, em seguida, realizar a identificação das pessoas. A Polícia Militar acrescentou que equipes realizam investigações na região, com objetivo de identificar e prender o restante do grupo, que conseguiu fugir.

Durante essas buscas, um homem com um colete balístico foi encontrado morto dentro de uma caminhonete. Ele ainda não foi identificado, mas a polícia suspeita que ele seja um dos assaltantes que tentou fugir.

Pelo menos 12 corpos foram recolhidos após o confronto entre a polícia e os criminosos — Foto: Edson Freitas Pelo menos 12 corpos foram recolhidos após o confronto entre a polícia e os criminosos — Foto: Edson Freitas

Serviços suspensos

Após o ocorrido, a Prefeitura de Milagres orientou que os moradores da cidade não saíssem mais das residências. Em nota, a prefeitura comunicou que os serviços públicos foram suspensos nesta sexta-feira.

“A medida é tomada em concordância com as orientações do comando da Polícia Militar, que nesse momento conta com o apoio de helicópteros da Ciopaer e um grande efetivo de policiais que estão em diligência no centro e imediações da cidade, na captura de bandidos que empreenderam fuga nesta manhã. A recomendação é que todos permaneçam em suas casas até que a ordem seja restabelecida”, informou.

‘Madrugada de horror’

Segundo o comerciante e agricultor Mendonça de Santa Helena, a troca de tiros durou cerca de 20 minutos. “Nunca tinha visto algo parecido. Eu fiquei dentro de casa abaixado e com medo. Ouvi gritaria e pessoas chorando. Foi horrível”, relatou o comerciante.

Ainda segundo Mendonça, depois que o grupo fugiu, deu para perceber que, pelo menos, seis pessoas estavam no chão e apresentando sangramentos. No início do dia, segundo o comerciante, policiais que realizam a segurança da cidade, afirmaram que dez pessoas deram entrada no Hospital Municipal de Milagres, vítimas do tiroteio.

“Um policial afirmou para gente que, pelo menos, dez pessoas estavam no hospital. Pelo menos uns sete já tinham morrido e outros em estado muito grave”, disse.

Rodovia bloqueada

A Polícia Rodoviária Federal do Ceará (PRF-CE) solicitou que os motoristas evitassem a rodovia BR-116, que dá acesso à entrada ao município de Milagres. Conforme a PRF, um caminhão foi abandonado pelo grupo na via para impedir o tráfego de veículos.

Caminhão ficou atravessado na rodovia, impedindo a passagem de outros veículos — Foto: Reprodução/TV Verdes MaresCaminhão ficou atravessado na rodovia, impedindo a passagem de outros veículos — Foto: Reprodução/TV Verdes Mares

Uma das alternativas é a CE-384. A polícia confirmou que o bloqueio tem ligação com a tentativa de assalto às agências bancárias da cidade.

Caminhão foi usado pelos criminosos para bloquear um trecho da BR-116 — Foto: PRF/DivulgaçãoCaminhão foi usado pelos criminosos para bloquear um trecho da BR-116 — Foto: PRF/Divulgação

2º ataque na madrugada

Ainda durante a madrugada, um outro grupo armado explodiu uma agência bancária no município de Itatira, que fica no Sertão Central do Ceará. Segundo informações da Polícia Militar, cerca de 15 homens participaram do crime. A polícia informou que o grupo estava armado de fuzis, pistolas, espingardas e explodiram a agência por volta da 3 horas.

 Segundo o Sindicato dos Bancários do Ceará, pelo menos 44 ataques contra bancos foram registrados neste ano no Ceará.

Leia Mais Tentativa de assalto a bancos com reféns deixa 12 mortos após tiroteio com a polícia no Ceará

Publicado em 6 de dezembro de 2018 por

Agressões do pai à mãe do jovem eram recorrentes, segundo a polícia.

Adolescente usou um facão e uma marreta para matar o pai, em João Pessoa — Foto: TV Cabo Branco/ReproduçãoAdolescente usou um facão e uma marreta para matar o pai, em João Pessoa — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

Um adolescente de 16 anos matou o pai, na noite desta terça-feira (4), para tentar defender a mãe que estava sendo agredida por ele, no bairro de Paratibe, em João Pessoa. De acordo com a perita do Instituto de Polícia Científica (IPC), Amanda Melo, o adolescente usou um facão e uma marreta para matar o pai.

A briga entre pai e filho teria começado dentro da casa da família e terminou na garagem, com a morte de Rivaldo Santana de Oliveira, de 45 anos.

Segundo a perícia, o adolescente estava muito nervoso quando a equipe do IPC chegou ao local. Além disso, ele também apresentava lesões cortantes pelo corpo. Ele contou que o pai chegou bêbado em casa e começou a bater na esposa e discutir com ela. O adolescente então tirou o pai de perto da mãe e o levou para o quarto.

Em seguida, o adolescente também foi para outro quarto, quando ouviu novamente o pai discutir com a mãe. A partir do momento que o jovem percebeu a agressão, ele pegou o facão e uma marreta e atingiu o pai, que morreu no local.

De acordo com o delegado Silvio Bardassom, a mãe do adolescente ainda não foi ouvida pela Polícia Civil, porque estava em estado de choque com a situação. No entanto, ele afirmou que pelas informações colhidas no local do crime, a violência já estava acontecendo há algum tempo.

Ainda conforme o delegado, não é possível concluir se o crime é caracterizado como legítima defesa ou homicídio. Os testemunhos e laudos vão ser analisados e só depois que a investigação for concluída é que será possível precisar a caracterização do crime.

Homem agredia esposa e filhos

O homem assassinado em João Pessoa agredia também os dois filhos, conforme informado pela promotora da Infância e Juventude, Ivete Arruda, em entrevista, nesta quarta-feira (5). Segundo a promotora, o adolescente de 16 anos confessou que matou o pai durante uma oitiva informal, realizada no Ministério Público da Paraíba. A mãe dele e o irmão mais velho, que foram declarantes, confirmaram o depoimento do rapaz.

Leia Mais Adolescente mata pai a golpes de facão e marreta para defender mãe de agressão, na PB

Publicado em 5 de dezembro de 2018 por

Ele teria roubado joalheria no Centro da cidade e na fuga levou a senhora.

Um assaltante foi morto após roubar a joalheria Barra Joias e fazer uma idosa refém na manhã desta quarta-feira (5) no Centro de Valença, que fica a 160 km do Rio de Janeiro.

Segundo a Polícia Civil, ele teria assaltado o estabelecimento e fugido em direção ao Mercado Municipal. A polícia foi acionada e houve troca de tiros.

De acordo a Polícia Militar (PM), o acusado fez menção de atirar nos policiais e ‘em ato de defesa, os policiais efetuaram o disparo contra ele’. Até a publicação desta reportagem, o corpo dele ainda estava no local.

Ainda segundo a PM, a idosa foi identificada como Tereza de Jesus Ferreira Sacramento. Ela recebeu atendimento médico e deve prestar depoimentos nos próximos dias na 91ª Delegacia de Polícia (Valença).

Testemunhas informaram que o homem anunciou o assalto e enquanto colocava as joias na mochila, a dona do estabelecimento saiu e acionou a polícia. Ao sair do estabelecimento, uma viatura passou e começou a perseguição. A idosa andava pela rua, quando foi feita refém.

Moradores que presenciaram a ação, gravaram vídeos e enviaram para o WhatsApp da TV Rio Sul. Nas imagens é possível ver o assaltante armado, segurando a vítima, enquanto um policial apontava a arma em direção a ele. No final, dá para visualizar o tiro e a idosa é solta, após ele ser atingido pelo disparo.

Número de homicídios caiu no município

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), o número de homicídios caiu pela metade no município, em relação ao ano passado. Em 2017, foram registrados seis homicídios dolosos, contra três registrados em 2018.

Porém, o número de roubo a estabelecimentos comerciais aumentou na cidade. Em 2017, apenas um assalto foi registrado, contra quatro deste ano. As informações são refentes ao período de janeiro a outubro.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Valença tem 76 mil 163 habitantes.

Idosa é feita refém no Centro de Valença — Foto: Reprodução/Arquivio PessoalIdosa é feita refém no Centro de Valença — Foto: Reprodução/Arquivio Pessoal
Assaltante é morto após fazer idosa refém em Valença — Foto: Reprodução/Arquivo PessoalAssaltante é morto após fazer idosa refém em Valença — Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Leia Mais Assaltante é morto por PM após fazer idosa refém em Valença

Publicado em 4 de dezembro de 2018 por

Para Sérgio Etchegoyen, nova administração ‘exigirá cuidados mais precisos’. Ministro defendeu a manutenção da estrutura da Abin, mas ressaltou que decisão caberá ao futuro presidente.

O CARAImagem: WILTON JUNIOR 1.dez.2018

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, disse nesta segunda-feira (3) que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, sofreu novas ameaças.

A declaração foi dada após cerimônia no Palácio do Planalto que celebrou os 80 Anos do Gabinete de Segurança Institucional. No momento da declaração, o general falava sobre os cuidados que o novo governo terá de ter com a segurança. Ele, porém, não deu detalhes sobre as ameaças que citou.

“Eu posso te falar até 15 dias atrás. Houve, houve novas ameaças [contra Bolsonaro]”, afirmou Etchegoyen.

Perguntado sobre a possibilidade de o presidente eleito desfilar em carro aberto no dia da posse, marcada para o dia 1º de janeiro, o ministro afirmou que as condições ainda estão em negociação com a equipe de transição e recomendou cautela.

“A decisão será do presidente. Eu presidiria tudo com cautela. Nesse momento, eu tenho que me atualizar, porque passei fora duas semanas, mas eu recomendaria que todas as medidas tomadas fossem presididas por cautela”, disse.

Etchegoyen disse que a segurança da nova administração exigirá cuidados mais intensos e precisos, porque, segundo ele, Bolsonaro é alvo de agressões constantes.

“Temos um presidente que sofreu um atentado e vem sofrendo agressões constantes, basta ver nas mídias sociais, a quem tem que ser dada a garantia, não a ele, mas também ao vice- presidente, das melhores condições de governo. Certamente a segurança do presidente eleito, da nova administração, exigirá cuidados mais intensos, mais precisos.” declarou o ministro.

Na última quarta-feira (28), um dos filhos do presidente eleito, o vereador Carlos Bolsonaro afirmou no Twitter que a morte do pai “não interessa somente aos inimigos declarados, mas também aos que estão muito perto”.

Durante a campanha presidencial, Bolsonaro foi vítima de um atentado a faca em Juiz de Fora (MG). Após investigações, a Polícia Federal concluiu que o agressor, Adélio Bispo de Oliveira, agiu sozinho no momento do ataque e que a motivação “foi indubitavelmente política”.

Abin

Durante a entrevista, o ministro também defendeu a manutenção da estrutura da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), mas afirmou que a decisão cabe ao novo presidente.

A Abin é responsável por fornecer ao presidente da República e a seus ministros análises estratégicas confiáveis, como informações relativas à segurança do Estado, relações exteriores e defesa externa.

“A direção da Abin assumiu há dois anos. Vem fazendo um belíssimo trabalho. A decisão obviamente é do presidente eleito, é do novo governo, legítimos. Mas acho que a continuidade, pelo menos por mais um pouco período que seja, consolidará os avanços particularmente na área de gestão, que eles alcançaram”, afirmou Etchegoyen.

Leia Mais Ministro do GSI diz que Bolsonaro sofreu novas ameaças e defende cautela em cerimônia de posse

Publicado em 3 de dezembro de 2018 por

Quatro pessoas ficaram feridas durante o ataque, em Aparecida de Goiânia. Homem foi preso. Cerca de 120 pessoas estavam no local na hora do crime.

Suspeito de esfaquear fiéis em igreja postou em rede social que faria massacre, em Aparecida de Goiânia — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Suspeito de esfaquear fiéis em igreja postou em rede social que faria massacre, em Aparecida de Goiânia — Foto: Polícia Civil/Divulgação

O homem suspeito de esfaquear fiéis em uma igreja durante uma reunião fez postagens na rede social anunciando que faria um “massacre” no local e ia “cortar as cabeças” das vítimas. Segundo a polícia, Uilker Alves, de 28 anos, entrou na igreja que fica no Setor Colina Azul, em Aparecida de Goiânia, na manhã deste domingo (2) e atingiu quatro pessoas usando duas facas de açougueiro.

Nas publicações, feitas na sexta-feira (30), ele disse que chegou a dar o endereço dele para as pessoas responsáveis pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, mas que ninguém foi visitá-lo. “Eu vou fazer o massacre com eles […] vou esperar todo mundo entrar, fechar a porta, começar a cortar as cabeças”, escreveu.

O crime aconteceu por volta das 10h30. Cerca de 120 estavam no local, começando a reunião religiosa. Quatro pessoas ficaram feridas. “As testemunhas relataram que ele meteu o pé na porta, entrou e falou: ‘Vai morrer todo mundo’. Em seguida, esfaqueou quem estava na frente”, contou o sargento da PM, Willian Moraes.

Homem esfaqueia fiéis na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em Aparecida de Goiânia — Foto: Henrique Ramos/TV AnhangueraHomem esfaqueia fiéis na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em Aparecida de Goiânia — Foto: Henrique Ramos/TV Anhanguera

O suspeito foi contido pelos próprios fiéis, que o seguraram até a chegada da Polícia Militar. Ele foi preso em flagrante e levado para o 1º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia. Ele foi autuado por tentativa de homicídio contra quatro pessoas.

Os feridos, que têm entre 31 e 42 anos, foram encaminhados para o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia. Um deles foi atendido e recebeu alta. Dois seguiam internados até as 15h e um deles foi transferido para o Hospital de Urgências de Goiânia para passar por uma cirurgia.

Em nota, a assessoria de imprensa da igreja informou que “está dando apoio àqueles que estiveram presentes durante o incidente” e está orando por todos os envolvidos. O presidente da igreja disse que nenhum membro da congregação conhecia o agressor.

Leia Mais Suspeito de esfaquear fiéis em igreja postou na web que faria ‘massacre’ e ia ‘cortar as cabeças’

Publicado em 3 de dezembro de 2018 por

Segundo a PM, rapaz chutou a porta e disse que ia matar todos. Quatro homens ficaram feridos e foram socorridos.

Homem esfaqueia fiéis na Igreja Jesus Cristo dos Últimos Dias, em Aparecida de Goiânia — Foto: Henrique Ramos/ TV AnhangueraHomem esfaqueia fiéis na Igreja Jesus Cristo dos Últimos Dias, em Aparecida de Goiânia — Foto: Henrique Ramos/ TV Anhanguera

Um jovem de 28 anos invadiu, na manhã deste domingo (2), uma igreja no Setor Colina Azul, em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. A Polícia Militar informou ao que ele estava com duas facas e atingiu quatro fiéis durante o culto.

“As testemunhas relataram que ele meteu o pé na porta, entrou e falou: ‘Vai morrer todo mundo’. Em seguida, esfaqueou quem estava na frente”, contou o sargento Willian Moraes.

O crime aconteceu por volta das 10h30 na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, localizada na Rua Albatroz. De acordo com os policiais, dos quatro fiéis feridos, um deles foi atingido ao tentar conter o rapaz.

A situação causou pânico em quem estava na igreja. “Não se espera esse tipo de ação, ainda mais dentro de uma igreja. Algumas pessoas correram. Uma criança saiu correndo e foi parar longe, só depois a encontraram”, disse o sargento.

Feridos

Os feridos têm 31, 33, 40 e 42 anos, sendo que dois levaram várias facadas. Os socorristas encaminharam os demais feridos para o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa).

A unidade de saúde informou, às 14h30, que o homem de 33 anos recebeu atendimento e foi liberado. Já o paciente de 31 anos foi transferido para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) para passar por uma cirurgia vascular no pulso direito, onde foi atingido. Os demais seguem internados no Huapa e têm quadro regular.

Prisão

Os policiais prenderam o suspeito e o levaram para o 1º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia para a registro da ocorrência. Conforme o sargento, o homem disse poucas palavras e contou que tomou a atitude após assistir a um vídeo na internet.

“Ele viu um vídeo que Deus amaldiçoava negros e carecas. Como ele é um pouco careca, resolveu entrar na igreja com duas facas e esfaquear todo mundo”, disse o sargento.

Segundo a PM, o homem pode ser autuado por lesão corporal grave ou tentativa de homicídio. Caberá aos policiais civis de plantão definirem o crime.

Leia Mais Jovem invade igreja e esfaqueia fiéis durante culto, em Aparecida de Goiânia

Publicado em 20 de novembro de 2018 por

O suspeito da agressão é um colega, de 18 anos, que teve a prisão convertida em preventiva.

Aluno é agredido em escola tradicional de BH; colega suspeito do crime está preso — Foto: Reprodução/TV GloboAluno é agredido em escola tradicional de BH; colega suspeito do crime está preso — Foto: Reprodução/TV Globo

O jovem Luiz Felipe, de 17 anos, agredido no Instituto de Educação de Minas Gerais, morreu na manhã desta terça-feira (20), no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte. A morte foi confirmada pela Secretaria de Estado de Educação e pela equipe médica.

O suspeito é um colega, Hudson Rangel Gomes Rosa, de 18 anos, que teve a prisão convertida em preventiva. Segundo a escola, ele tem histórico de agressividade. Nesta quarta-feira (14), os jovens jogavam futebol, durante o recreio, quando teria ocorrido um desentendimento entre a turma.

A vítima foi agredida com socos e pontapés, tentou fugir, mas foi perseguida. Imagens do circuito interno da escola registraram a violência. A escola tradicional fica na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

 Testemunhas disseram que o adolescente de 17 anos foi atingido de costas com um chute na cabeça. A gravação mostra o momento em que ele é jogado da escada, batendo a cabeça em uma mureta. Hudson aparece nas imagens ajudando a carregar o colega com outros estudantes. Depois, ele se afasta.

Segundo a polícia, a vítima teve traumatismo craniano, com múltiplas fraturas na cabeça e foi submetido a cirurgias.

O socorro foi prestado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Luiz Felipe foi entubado e levado inconsciente para o Hospital de Pronto-Socorro XXIII, onde ficou no Centro de Terapia Intensiva (CTI).

“Toda a equipe se envolveu e ficou muito sensibilizada. O estado era muito grave desde o início”, disse o médico Marcelo Lopes, diretor assistencial da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig).

Segundo Valdênia Evangelista, tia e responsável por Luiz Felipe, o velório será em Minas Novas e o enterro será em Turmalina, no Vale do Jequitinhonha. O corpo ainda não foi liberado. Emocionada, ela falou sobre a perda do jovem.

“Meu menino morreu às 6h15. Se sobrevivesse ficaria vegetando. A Justiça deve ser feita. Mas isso é o que menos importa. Queríamos mesmo o Luiz aqui”, disse.

Procurada pela reportagem no dia 15, a família de Hudson não quis gravar entrevista. Por telefone, o irmão dele disse que ele estava jogando bola na quadra e o “menino” ficava dando pancadas de leve em Hudson.

“Ele foi invocado e foi tirar satisfação com o menino. Os meninos começaram a brigar, os dois. Aí, ele foi descendo para a sala de aula e o menino continuou falando. Ele pegou e chutou, mas não chutou com intenção de provocar o que ele provocou”, disse o irmão.

Histórico de agressividade

O estudante de 18 anos que foi preso tem histórico de comportamento agressivo, segundo a diretora do Instituto de Educação de Minas Gerais, em Belo Horizonte.

“Foram várias, muitas. Mais de 30. Agressões, comportamentos indesejados com colegas, falas, matando aula dentro de escola, né, e a gente buscando”, disse Alexandra Aparecida Morais, diretora do IEMG, sobre o histórico do suspeito, Hudson Rangel Gomes Rosa, de 18 anos.

Um registro da escola relata que Hudson “não tem compromissos com os estudos e é agressivo com as professoras”. Em outro relato, uma aluna reclama que foi agredida várias vezes pelo jovem.

O estudante ferido nunca se envolveu em brigas, de acordo com a direção do instituto.

O que diz a Secretaria de Educação

A Secretaria de Estado de Educação divulgou nota no fim da manhã afirmando que “recebeu com profundo pesar a notícia do falecimento do estudante do Instituto de Educação”. Segundo a secretaria, durante todo o período de internação, representantes da pasta e da direção da escola acompanharam a família e deram apoio necessário. A SEE disse que se colocou à disposição da família para conduzi-la a Minas Novas, onde será o velório, e a Turmalina, onde será o enterro.

Leia Mais Morre aluno agredido em escola estadual tradicional de Belo Horizonte

Publicado em 19 de novembro de 2018 por

Antônia Conceição da Silva foi assassinada na madrugada de sábado (17) em Feira Nova do Maranhão.

Antônia Conceição da Silva, de 106 anos, foi morta a pauladas dentro da sua residência em Feira Nova do Maranhão — Foto: DivulgaçãoAntônia Conceição da Silva, de 106 anos, foi morta a pauladas dentro da sua residência em Feira Nova do Maranhão — Foto: Divulgação

A polícia do Maranhão acredita que a idosa Antônia Conceição da Silva, de 106 anos, tenha sido vítima de latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Segundo o delegado Regional de Balsas, Fagno Vieira, que está à frente do caso, disse que o valor de R$ 30 desapareceu da residência da vítima após a sua morte. Antônia Conceição foi assassinada a pauladas na madrugada de sábado (17) na cidade de Feira Nova do Maranhão, a 783 km de São Luís.

“Nós iniciamos as investigações desde o sábado, quando ocorreu o crime, e pelas características do que já apuramos a hipótese mais contundente é de que estamos diante de um latrocínio, pois houve a subtração de um porta-moeda com cerca de R$ 30,00”, revelou o delegado Fagno Vieira.

O delegado informou ainda que nesta segunda-feira (19) oito pessoas, entre familiares e vizinhos da vítima, serão ouvidas na delegacia de Feira Nova do Maranhão. “Hoje eu me deslocarei para Feira Nova e lá eu vou interrogar pessoas da família da dona Antônia e também alguns vizinhos para saber o que ocorreu nos dois últimos dias antes do crime. Nós já confirmamos, até o momento, o depoimento de oito pessoas”.

Fagno Vieira acredita que a morte da idosa tenha sido causada apenas por uma pessoa, já que foram encontradas pegadas de um indivíduo na residência dela. Ele acrescenta que não descarta a possibilidade dela ter sido morta por alguém que estava frequentando uma festa que ocorria próximo de onde ela morava.

“Tudo indica que foi só uma pessoa que matou ela porque durante a perícia feita no local do crime nós encontramos apenas uma pegada de sangue na parede da casa. No dia da morte dela estava acontecendo uma festa e por acreditarmos que este indivíduo sabia da vulnerabilidade da vítima aproveitou o momento que tinham muitas pessoas na festa e que ela estava sozinha para cometer o crime”, relatou o delegado.

O delegado Fagno Vieira pontua que até o fim desta semana a polícia já tenha novidades sobre o caso, mas conta que, por enquanto, nada será levado a público para não atrapalhar as investigações. “Eu acredito que a gente vá ter novidades até o fim desta semana, mas a gente prefere não divulgar para não atrapalhar no andamento das nossas investigações”, finalizou.

Leia Mais Idosa de 106 pode ter sido morta a pauladas por causa de R$ 30, diz polícia

Publicado em 17 de outubro de 2018 por

Waldenberg Eugênio de Souza se apresentou à polícia no Rio de Janeiro e confessou a morte do enteado, que ele tinha registrado e criava como filho.

Vídeo de câmeras de segurança registraram o momento em que a mãe do menino Erick Ferreira, 13 anos, sai para trabalhar, no Bairro de Utinga, em Santo André, no ABC Paulista, às 7h40 desta segunda-feira (15).

Cerca de 50 minutos depois aparece o padrasto Waldenberg Eugênio de Souza, 33 anos. Ele foge com uma mochila nas costas após matar o enteado e estrangular o irmão da vítima, Ítalo, de 3 anos, que sobreviveu e está internado.

Nesta terça-feira (16), ele se apresentou à polícia no Rio de Janeiro e confessou aos policiais que matou o enteado Erik e que pensou que tivesse matado o filho, Ítalo, de 3 anos, por estrangulamento. Logo depois do crime, em Santo André, ele fugiu para a casa de parentes, no Rio, e foi convencido por eles a se entregar.

Waldenberg foi indiciado por homicídio doloso e tentativa de homicídio.

Durante o depoimento, Waldenberg chorou várias vezes e disse aos policiais que se arrependeu do crime. Ele deverá ser transferido nos próximos dias para um Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Paulo.

A família do menino Erick Ferreira disse que a justiça foi feita após a prisão dele no Rio de Janeiro. O crime, segundo as investigações, foi motivado pela recusa do assassino em aceitar o fim do relacionamento com a mãe da criança.

Segundo a tia do menino, Marluce Ferreira, a família estava angustiada com a liberdade dele. “Dá um alívio. Justiça dele ter sido pego, porque a gente estava muito angustiada, porque essa tragédia que ele fez não poderia ter saído impune.”

Marluce disse ainda que o padrasto era muito ganancioso. “Ele é uma pessoa muito gananciosa. Ele tinha uma, duas casinhas, numa vilinha, não era nada que ia levar ele a algum lugar. Então, aquele ordinário não queria sair da casa da minha irmã, mesmo ele tendo filho com ela, ele não queria deixar.”

O irmão de Erick, Ítalo, de 3 anos, está internado no Hospital Mario Covas, em Santo André, e o estado de saúde dele é considerado estável.

“Tiveram uma série de desentendimentos com a companheira dele, que também passou a ter desentendimentos com o enteado e que por uma discussão banal relacionada a uma tarefa doméstica ele acabou cometendo esse ato covarde contra o enteado”, disse o delegado carioca Neilson Nogueira.

O corpo do garoto foi enterrado no Cemitério Nossa Senhora do Carmo, nesta segunda-feira, em Santo André.

No velório, a mãe dos meninos precisou ser medicada e amparada por familiares. Na segunda-feira, ela deixou os filhos com o pai e foi trabalhar. Quando voltou, encontrou o menor com fome e assustado. Waldenberg ja tinha fugido.

Waldenberg Eugênio de Souza, preso após confessar ter matado o enteado de 13 anos — Foto: Reprodução/TV GloboWaldenberg Eugênio de Souza, preso após confessar ter matado o enteado de 13 anos — Foto: Reprodução/TV Globo

Leia Mais Vídeo mostra padrasto fugindo após matar enteado dentro de casa no ABC

Publicado em 4 de outubro de 2018 por

José Roberto de Oliveira, de 40 anos, trabalhava há quase 20 na corporação, em Registro, no interior paulista. Laudo pericial é aguardado para os próximos dias.

Cabo Oliveira trabalhava na 2ªCia da Polícia Militar Ambiental, em Registro, SP — Foto: G1 SantosCabo Oliveira trabalhava na 2ªCia da Polícia Militar Ambiental, em Registro, SP — Foto: G1 Santos

Um policial militar ambiental foi encontrado morto com um tiro na cabeça em uma área de mata, próximo a uma rodovia estadual, em Registro, na região do Vale do Ribeira, interior de São Paulo. A vítima foi identificada como José Roberto de Oliveira, de 40 anos.

Segundo informações apuradas, e confirmadas pela polícia nesta quinta-feira (4), o agente trabalhava há quase 20 anos na corporação e estava lotado na 2ª Companhia do 3º Batalhão de Polícia Militar Ambiental. Ele estava de folga no dia da morte, e não fazia nenhuma diligência.

Por meio de nota, o comando da PM na região informou que o corpo do cabo Oliveira, como era chamado, foi encontrado nas imediações de uma estrada sem nome, na altura do acesso à rodovia SP-139, no bairro Vila Ponce, em Registro.

O motivo da morte ainda não está esclarecido e segue em apuração pela Polícia Civil na cidade, com apoio da equipe da Corregedoria da PM. A arma do policial e outros pertences foram encaminhados para análise do Instituto de Criminalística. Apuramos ainda, que o laudo pericial é aguardado para os próximos dias.

A PM lamentou o ocorrido, e disse que o cabo Oliveira era um “ótimo profissional”. Além disso, afirmou que a corporação está prestando apoio no esclarecimento do caso e também à família do policial. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de Registro.

Leia Mais PM é achado morto com tiro na cabeça dentro de matagal em SP

Publicado em 27 de setembro de 2018 por

Tara Fares, de 22 anos, levou três tiros. Ministério do Interior confirma morte da modelo e diz que crime será investigado.

missTara havia postado esta imagem há 4 dias no Instagram. — Foto: Reprodução/Instagram/Omar Moner

A modelo iraquiana Tara Fares, de 22 anos, foi vítima de uma emboscada e morta a tiros em Bagdá, segundo o Ministério do Interior do Iraque. De acordo com o comunicado oficial, o corpo da jovem chegou ao hospital por volta das 17h45 (horário local) desta quinta-feira (27), com ferimentos letais causados por três balas. O crime está sendo investigado.

Tara venceu o concurso Miss Bagdá em 2015. Ela fazia sucesso nas redes sociais – sua conta no Instagram tem mais de 2,6 milhões de seguidores.

Nesse perfil, inclusive, há uma publicação póstuma, com uma foto em preto e branco da modelo. Na legenda, um texto religioso pede para “Alá perdoá-la e concedê-la com Sua grande misericórdia”.

Publicado em 26 de setembro de 2018 por

‘Você é uma mulher, véi, tem que aceitar isso!’, diz trecho da gravação. Rapaz, que também é mineiro, foi preso e autuado por dois crimes.

A universitária de Belo Horizonte agredida nos Estados Unidos gravou parte da briga que teve com o namorado, que foi preso e autuado por dois crimes. Na gravação, Melissa Gentz, de 22 anos, é chamada de burra. Em outro trecho, o homem, que seria o também mineiro Erick Bretz, de 25, diz: “você é uma mulher, véi, tem que aceitar isso!”. (Ouça a gravação no vídeo acima)

Melissa contou que no domingo (23) estava na casa de Erick, em Tampa, na Flórida, e que eles assistiam a um filme, mas que o jovem começou a beber. A estudante falou que ele usa remédio para dormir e que não pode ser misturado à bebida alcoólica.

“Depois de um tempo ele começou a ficar agressivo. Pedia sem parar o meu celular. Ele ficou elétrico. Eu queria dormir porque no outro dia eu tinha aula. Eu queria ir embora e ele não deixava”, relembrou Melissa.

No áudio gravado pela jovem, o rapaz diz que era para ela dar o celular quando ele pedisse. “Por que você é tão burra assim? Para de fazer burrice, véi. Você não tem mais noção de p… nenhuma. Já te falei, véi. Para de ser burra! (…) Você não aceita o homem que tem mais dominância do que você. Você não aceita, você acha que é o homem da relação. Mas você não é, você é uma mulher, véi, tem que aceitar isso!”.

Procuramos a família de Bretz, mas até última atualização desta reportagem ninguém havia se manifestado.

Melissa contou que Erick a empurrou várias vezes, prendeu a cabeça dela entre as pernas dele, pegou um vidro de soro fisiológico e virou no rosto de Melissa.

“Ele apertava o meu rosto, chutou o meu rosto, me puxou pelos cabelos pelo apartamento. Ele bateu a minha cara no chão”.

Com muito custo, Melissa conta que conseguiu se desvencilhar de Erick e correu para dentro do banheiro, mas ele arrombou a porta. “Para eu me livrar dele, eu entreguei o celular para ele e saí correndo para a portaria do prédio”.

Melissa disse que o porteiro chamou a polícia e uma ambulância para socorrê-la. Depois de medicada, no mesmo dia, à tarde, Melissa voltou ao apartamento de Erick para buscar os objetos pessoais. Ela estava acompanhada de dois policiais. O rapaz estava dormindo e recebeu voz de prisão.agressao

Fiança

Para se livrar da cadeia, Erick precisará pagar uma fiança de US$ 60 mil dólares – o que equivale a cerca de R$ 240 mil. Caso a fiança seja paga, o jovem ainda terá de entregar o passaporte para responder ao processo nos Estados Unidos.

Melissa foi para Flórida em janeiro de 2015 para estudar biologia celular e molecular. Ela se formaria em dezembro, mas como está muito machucada não tem condições físicas de frequentar as aulas. Ela disse que deve trancar este semestre.

Ela contou ainda que houve outros episódios de ciúmes e que ele sempre pegava o celular dela. “Ele gritava, me ameaçava, dizia que eu era louca, que eu era surtada. Eu não podia ficar sem o meu celular porque como moro fora eu preciso do celular”, disse a jovem, que tinha no aparelho um meio de comunicação com os parentes.

Por causa da agressão, os pais e a irmã de Melissa chegaram aos Estados Unidos nesta segunda-feira (24) para acompanhar o caso. Ela e a família vão nesta terça (25) a um escritório de advocacia para tomar conta do caso. “O homem que te bate uma vez não vai mudar mais”, desabafou.

Namoro de três meses

Erick e Melissa namoravam há apenas três meses, desde junho. Segundo ela, o ex foi para os Estados Unidos com a intenção de fazer faculdade de administração. Ele também foi campeão de motocross.

De acordo com o site do Tampa Police Department Bookings – Departamento de Polícia de Tampa –, Bretz foi preso no dia da agressão.

Ainda de acordo com o site, Erick está preso e responde por duas acusações: “domestic battery by strangulation” (violência doméstica por estrangulamento) e “tampering with a witness” (intimidar vítima ou testemunha).

Fotos de Melissa mostram a jovem muito machucada no rosto em um lugar que parece ser o parapeito de uma janela em um banheiro, há um chumaço de cabelos molhados.

No Instagram de Melissa, ela repostou nesta terça-feira (25) uma foto em que veste uma camiseta preta de alcinha e desabafa: “Estou repostando essa foto porque meu ex namorado deletou ela sem eu ver. Ele disse que mulher com namorado não podia ter foto “mostrando os seios” no instagram. Eu peço que TODAS as mulheres possam ter força e coragem para terminar relacionamentos abusivos como o meu último. Começou com reclamações das minhas fotos no Instagram, depois dos comentários nas fotos, mensagens que eu recebia no WhatsApp… até que ele me pegou pelo cabelo e disse que eu precisava aceitar minha realidade porque eu era a mulher da relação. Um homem que te trata assim não te respeita e não te vê nem como ser humano. Ele não vai mudar. Se coloque em primeiro lugar sempre antes que seja tarde demais”.

Melissa Gentz depois de ser espancada — Foto: Melissa Gentiz/Arquivo pessoal Melissa Gentz depois de ser espancada — Foto: Melissa Gentiz/Arquivo pessoal

Leia Mais Universitária agredida nos EUA grava parte de briga com namorado

Publicado em 19 de setembro de 2018 por

Informação foi confirmada ao G1 pelos familiares da vítima na noite desta terça-feira, 18. A modelo Mara Castro Monnarca concorreu ao Miss Pará 2012

Ex-miss é morta em Marituba, no Pará — Foto: Reprodução/FacebookEx-miss é morta em Marituba, no Pará — Foto: Reprodução/Facebook

O corpo da mulher encontrado nesta terça-feira (18), em Marituba, região metropolitana de Belém, é da modelo paraense Mara Castro Monnarca, 29, que concorreu em 2012 ao Miss Pará representando Mosqueiro, distrito de Belém. A informação foi confirmada por familiares da vítima.

Moradores avistaram o corpo em área de mata na comunidade Nova Jerusalém. A Polícia e o Instituto Médico Legal (IML) foram acionados.

O corpo da jovem passa por análises da necropsia e ainda não foi liberado pelo IML. A mãe da vítima, Rita da Conceição Castro, e a irmã, Meg da Conceição Castro, foram até o IML fazer o reconhecimento do corpo.

“A minha filha se meteu com um vagabundo. Eu acho que ele, lá da cadeia, mandou matar ela”, disse a mãe da vítima. Ainda segundo ela, o corpo será levado para Mosqueiro, para ser velado lá.

A vítima foi encontrada morta com perfurações no corpo e no pescoço — Foto: Reprodução/FacebookA vítima foi encontrada morta com perfurações no corpo e no pescoço — Foto: Reprodução/Facebook

De acordo com a Divisão de Homicídios (DH), Mara Castro Monnarca estava com perfurações pelo corpo e não havia sinais de estupro. A DH também informou que está levantando informações sobre o caso.

O caso deve ser investigado pela Seccional de Marituba e quem tiver informações que possam contribuir com o trabalho da polícia pode entrar em contato pelo Disque-Denúncia, no 181.

Leia Mais Corpo encontrado em Marituba, no PA, é de modelo e ex-miss, afirma mãe da vítima

Publicado em 13 de setembro de 2018 por

Candidato do PSL foi submetido a cirurgia de emergência para desobstruir o intestino na noite de quarta. Segundo médicos, ele passa bem e não sentiu dores nem náusea.

bolsonaro-hospital-rogerO candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, evolui bem após passar por cirurgia de emergência para desobstruir o intestino na noite de quarta-feira (12), informou boletim médico divulgado na manhã desta quinta-feira (13) pelo Hospital Albert Einstein.

O candidato está internado desde sexta (7) no hospital da Zona Sul de São Paulo, após ser vítima de uma facada durante ato de campanhaem Juiz de Fora, Minas Gerais.

O procedimento durou duas horas e terminou por volta das 23h30. Segundo os médicos, a nova intervenção foi bem-sucedida e o candidato passa bem. Ele não sentiu dores nem teve náusea durante a madrugada. Bolsonaro foi levado para o mesmo leito onde estava antes da cirurgia, e voltou a ter o protocolo de cuidados de UTI.

Carlos Bolsonaro, um dos filhos do candidato, fez na manhã desta quinta um post nas redes sociais sobre a cirurgia.

 @CarlosBolsonaro

 Médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e técnicos de enfermagem; estou vendo de perto o trabalho dessas pessoas desde o início e só temos a agradecer! Noite delicada, mas 100% contornada. O velho é forte como um cavalo, não é a toa que seu apelido de Exército é “cavalão”!

Cirurgia

Na noite de quarta, o hospital informou que Bolsonaro teve “distensão abdominal progressiva e náuseas”, e precisou passar por uma tomografia no abdômen. O exame identificou presença de aderência obstruindo o intestino delgado. Segundo o hospital, a solução do problema era cirúrgica.

Em uma das três perfurações sofridas no intestino delgado, formou-se uma fístula, um pequeno orifício, que provocou inflamação e gerou o quadro de aderência, que é uma obstrução intestinal.

De acordo com médicos especialistas, a aderência (ou a união de dois tecidos do corpo) ocorreu em decorrência da cicatrização interna em áreas que sofreram incisão cirúrgica, no caso, a realizada após a facada.

Novo boletim médico do candidato Jair Bolsonaro — Foto: ReproduçãoNovo boletim médico do candidato Jair Bolsonaro — Foto: Reprodução

A aderência foi causada pela inflamação decorrente do trauma e dificultou a passagem de alimentos pelo intestino. Na cirurgia, as fístulas foram suturadas e as aderências foram liberadas.

“Além disso, constatou-se um extravasamento de secreção entérica (secreção intestinal) a montante do ponto de obstrução em uma das suturas realizadas anteriormente para correção dos ferimentos intestinais. Em grandes traumas abdominais esta complicação é mais frequente do que em cirurgias programadas”, diz o boletim da manhã desta terça (leia a íntegra acima). “A limpeza abdominal foi realizada como feito rotineiramente.”

Todos os pontos de possível obstrução foram tratados para reduzir a chance de novos problemas na região.

A alimentação voltou a ser parenteral (endovenosa) desde a tarde de quarta. A dieta será liberada quando se reestabelecer o trânsito gástrico. O tipo de dieta será decidido após a liberação.

Bolsonaro sofreu um atentado na última quinta-feira (6) e foi atingido por uma facada durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG). Bolsonaro precisou passar por cirurgia após sofrer lesões nos intestinos delgado e grosso, e foi encaminhado para o Albert Einstein no dia seguinte.

Recuperação em hospital de SP

A previsão inicial de internação era de sete a dez dias. Médicos e parentes do presidenciável disseram que a nova cirurgia, porém, deve atrasar a alta.

Depois de sair do hospital, o candidato será submetido a outra cirurgia de grande porte para “reconstruir o trânsito intestinal e retirar a bolsa de colostomia”.

A realização da operação já estava prevista para depois que o candidato tiver alta. Segundo médicos ouvidos pela reportagem, a cirurgia só deve acontecer daqui a dois meses. Nesse meio tempo, Bolsonaro seguirá com a bolsa externa ligada à barriga.

Leia Mais Bolsonaro evolui bem após cirurgia no intestino, diz boletim médico

Publicado em 13 de setembro de 2018 por

Delegada diz que Joel Cunha Silva, 21, cometeu crime com crueldade, furando os olhos do companheiro; ele foi capturado em Anápolis, onde morava nas ruas.

Joel Silva foi preso suspeito de matar o namorado em Goiânia — Foto: Polícia Civil/DivulgaçãoJoel Silva foi preso suspeito de matar o namorado em Goiânia — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um jovem de 21 anos foi preso suspeito de matar a facadas o namorado, Doasley Ferreira de Souza, de 34 anos, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. De acordo com a Polícia Civil, Joel Cunha Silva, de 21 anos, cometeu o crime com crueldade, furando os olhos do companheiro e gravando as iniciais do próprio nome na barriga do companheiro.

A delegada responsável pelo caso, Magda D’Ávila, disse que Joel e Doasley mantinham um relacionamento há alguns meses. Ela afirma que o jovem confessou o crime, mas negou que os dois fossem namorados. A investigadora acredita que o crime tenha sido motivado por ódio e por “não aceitação da própria orientação sexual”.

“Foi um crime horrível, com requintes de crueldade. Ele esfaqueou os olhos do namorado, o perfurou por várias partes do corpo e ainda escreveu ‘Jo’ na barriga dele. Ele diz que matou o Doasley porque havia pedido dinheiro para ele, mas ele não havia entregado. Nós apuramos que sim, eles tinham um relacionamento, eram namorados, o que ele nega veementemente”.

 “Trata-se de um crime cometido com muito ódio. A gente percebe que ele estava neste relacionamento, mas tinha raiva, não aceitava a própria orientação sexual”, disse a investigadora.

Não conseguimos localizar a defesa de Joel.

O crime ocorreu no dia 14 de abril deste ano, na quitinete em que Doesley morava, no Setor dos Funcionários, região central de Goiânia.

Conforme a delegada, no local estavam Joel, Doesley e um amigo do casal, Luiz Roberto de Morais, quando uma discussão começou. Durante a briga, conforme a investigadora, Joel esfaqueou o namorado e fugiu. O corpo foi encontrado por colegas de trabalho da vítima.

Segundo a delegada, Luiz Roberto foi localizado em junho, dois meses após o crime, e chegou a ser preso suspeito do crime. Ele negou ter participado e indicou o nome de Joel como sendo o autor das facadas. A investigação concluiu que Luiz não teve participação na morte, o inocentou do homicídio, mas o indiciou por omissão de socorro.

“Foi por meio do Luiz Roberto que nós encontramos Joel. Ele negou o fato, disse que o Joel havia sido o autor. Dois meses depois, quatro meses de pois do crime, a Inteligência da polícia localizou o autor, que estava morando as ruas em Anápolis. Ele, além de confessar, disse que Luiz Roberto realmente não cometeu o crime e, inclusive, tentou apartar a briga”, contou a delegada.

Joel foi indiciado por homicídio duplamente qualificado. Já Luiz Roberto, como a investigadora explicou, vai responder por omissão de socorro, por ter fugido do local após o crime.

Leia Mais Jovem é preso suspeito de matar namorado a facadas e riscar iniciais do próprio nome na barriga da vítima