Publicado em 19 de setembro de 2018 por

Leia Mais É melhor dormir com ou sem meias?

Publicado em 19 de setembro de 2018 por

Roedores podem transmitir, por meio da urina, a leptospirose. Animais são atraídos pelo acúmulo de lixo, outro problema recorrente no Hospital Regional de Araguaína.

Rato adulto carregava filhote na boca — Foto: DivulgaçãoRato adulto carregava filhote na boca — Foto: Divulgação

Imagens de ratos no Hospital Regional de Araguaína deixaram pacientes e moradores da cidade preocupados. A suspeita é de que os roedores foram atraídos pelo lixo deixado no local. O responsável pelo setor de Vigilância em Saúde e Segurança do Hospital de Doenças Tropicais em Araguaína, Jader José Silva, disse que a presença dos roedores em ambiente hospitalar gera riscos e pode provocar doenças graves. 

“A urina do rato provoca uma doença grave chamada leptospirose. Se as pessoas circulam onde têm ratos, a mão pode entrar em contato com o solo, isso pode ser absorvido pela pele e a pessoa pode desenvolver essa doença grave. Pode contaminar material, alimentos, água. Para uma área hospitalar, isso é muito grave”, explicou.

As fotos divulgadas nesta terça-feira (18) foram enviadas por acompanhantes de pacientes. “Quando ligou a luz, eles se espantaram e correu uma manada de rato. Muito rato mesmo. Eu contei mais de 10 ratos correndo”, disse um paciente da unidade.

Jader José disse que o acúmulo de lixo atrai os animais. O problema é frequente no hospital. Em junho desse ano, o G1 publicou vídeo e fotos que mostraram pacientes ao lado de sacolas de lixo acumuladas nos corredores. Do lado de fora da unidade, foi registrada uma pilha gigante de lixo, que não estava sendo recolhido há dias.

“Onde tiver roedores, baratas, insetos, seja o que for, em contato com o lixo hospitalar, principalmente, vai disseminar isso para o hospital. Se as pessoas têm contato com esse lixo, elas vão levar isso nas suas sandálias, sapatos para dentro do hospital. A disseminação acaba acontecendo muito mais rápida. Isso pode provocar muitos danos ao hospital, não só financeiro. O paciente vai passar muito mais tempo para se recuperar e pode levar à morte”.

A Secretaria Estadual da Saúde disse que vai convocar as empresas que prestam o serviço para uma ação emergencial de limpeza e que o serviço de combate à praga é feito normalmente nos hospitais do estado.

Leia Mais Ratos em hospital preocupam e especialista alerta para o risco de transmissão de doença

Publicado em 15 de setembro de 2018 por

Mais cedo, hospital havia informado que candidato à Presidência da República não tinha sinais de infecção. Ele levou uma facada no abdômen na última sexta-feira e passou por duas cirurgias.

bolsonaro-hospital-roger

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, fez fisioterapia nesta sexta-feira (14) e caminhou pelo quarto sem apresentar dor, segundo informou boletim médico divulgado pelo Hospital Israelita Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, na noite desta sexta-feira (14).

Bolsonaro está internado no Einstein desde o último sábado (9), um dia após ele sofrer ataque com facada no abdômen durante ato de campanha e passar por cirurgia em Juiz de Fora (MG).

Segundo o boletim, o candidato permanece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do centro médico “mantendo estabilidade clínica e sem complicações”. Ele também continua sem febre e sem outros sinais de infecção. “Por ordem médica, o paciente segue com visitas restritas e somente a pessoas autorizadas pela família”, completa o boletim.

Boletim médico de Jair Bolsonaro divulgado pelo Hospital Albert Einstein às 18h50 desta sexta-feira (14) — Foto: ReproduçãoBoletim médico de Jair Bolsonaro divulgado pelo Hospital Albert Einstein às 18h50 desta sexta-feira (14) — Foto: Reprodução

Nesta manhã, outro boletim divulgado pelo hospital informava que o candidato reiniciaria fisioterapia e que seguia sem febre ou sinais de infecção. O centro médico também havia informado que as condições clínicas de Bolsonaro eram “estáveis e sem complicações” e que a alimentação dele está sendo na veia.

Na noite de quarta (12), o presidenciável foi submetido a uma cirurgia de emergência para tratar uma obstrução no intestino delgado (veja como foi e assista a vídeo abaixo). O procedimento durou duas horas e, segundo os médicos, foi bem-sucedido.

Do hospital, Bolsonaro tem movimentado as suas redes sociais. Nesta manhã, ele publicou em sua conta no Twitter que o “Nordeste brasileiro tem grande potencial para produzir, gerar emprego, e prosperar.”

@jairbolsonaro

 Estivemos em Israel e vimos de perto o que eles não tem e o que eles são, mesmo no meio do deserto. O Nordeste brasileiro tem grande potencial para produzir, gerar empregos e prosperar, principalmente quando falamos em agricultura e energia limpa. É onde pretendemos avançar!

Cirurgia de quarta-feira

Na noite de quarta, o hospital Albert Einstein informou que Bolsonaro teve “distensão abdominal progressiva e náuseas”, e precisou passar por uma tomografia no abdômen. O exame identificou presença de aderência obstruindo o intestino delgado. Segundo o hospital, a solução do problema era cirúrgica.

Em uma das três perfurações sofridas no intestino delgado, formou-se uma fístula, um pequeno orifício, que provocou inflamação e gerou o quadro de aderência, que é uma obstrução intestinal.

De acordo com médicos especialistas, a aderência (ou a união de dois tecidos do corpo) ocorreu em decorrência da cicatrização interna em áreas que sofreram incisão cirúrgica, no caso, o procedimento realizado logo após a facada.

Jair Bolsonaro se recupera de cirurgia.

Leia Mais Bolsonaro faz fisioterapia e caminha sem dor, diz boletim médico

Publicado em 11 de setembro de 2018 por

Nas redes sociais, candidato do PSL agradeceu evento de campanha em Juiz de Fora e disse que ‘nada apagará a chama da esperança’.

Resultado de imagem para bolsonaro operado

Jair Bolsonaro teve melhora intestinal e voltará a receber alimentação via oral, informou boletim médico divulgado pelo Hospital Albert Einstein na manhã desta terça-feira (11). Ainda de acordo com o comunicado, candidato à Presidência pelo PSL está estável na UTI, sem febre e sem sinais de infecção.

O presidenciável está internado desde sexta (7) no hospital na Zona Sul de São Paulo se recuperando de uma facada levada durante ato de campanha no Centro de Juiz de Fora (MG), na tarde de quinta (6).

“Em decorrência da melhora intestinal, a sonda nasogástrica foi retirada na manhã de hoje. Será reiniciada alimentação oral e progredida de forma gradual conforme aceitação. Ela será feita concomitante à alimentação parental”, disse o comunicado.

Redes sociais

Nesta terça, Bolsonaro postou nas redes sociais um agradecimento ao evento de campanha de Juiz de Fora, onde acabou esfaqueado. “Nada apagará a chama da esperança que presenciamos nos olhos de cada um presente neste grande dia!”, disse na postagem, que contém também um vídeo aéreo do evento. As imagens não mostram o ataque.

Ele também disse que segurança é prioridade. “As pessoas precisam de emprego, querem educação, mas de nada adianta se continuarem sendo vítimas de latrocínio a caminho de seus trabalhos; de nada adianta se o tráfico de drogas permanecer na porta das escolas”, disse.

Ele também criticou a ação de marqueteiros nas campanhas eleitorais.egt

Na segunda, Bolsonaro fez postagens com críticas aos “acomodados com a velha política suja”, e elogios. “Agradeço a cada cidadão, pai, mãe, filho e filha, pelos atos de solidariedade realizados nos últimos dias. Este apoio é nosso combustível”, afirmou.

Recuperação em hospital de SP

Segundo a cúpula do Hospital Albert Einstein, os principais riscos que serão monitorados são pneumonia (pois o candidato ficou muito tempo em choque e perdeu cerca de 2 litros de sangue) e infecção (por causa do vazamento de massa fecal na cavidade abdominal).

A previsão de internação é de sete a dez dias. A retomada das atividades de campanha só deve ocorrer 20 dias após a data de internação. Depois da alta, o candidato será submetido a outra cirurgia de grande portepara “reconstruir o trânsito intestinal e retirar a bolsa de colostomia”.

A realização da operação já estava prevista para depois que o candidato tiver alta. Segundo médicos ouvidos pela reportagem, a cirurgia só deve acontecer daqui a dois meses. Nesse meio tempo, Bolsonaro seguirá com a bolsa externa ligada à barriga.

Leia Mais Bolsonaro apresenta melhora intestinal e voltará a receber alimentação via oral, diz boletim médico

Publicado em 1 de setembro de 2018 por

Redução compreende dados deste ano até agosto em comparação com o mesmo período de 2017. Juntas, as doenças transmitidas pelo mosquito mataram 117 pessoas em 2018.

Mosquito Aedes Aegypti é alvo de campanha em todo país para combater dengue, chikungunya e zika (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)Mosquito Aedes Aegypti é alvo de campanha em todo país para combater dengue, chikungunya e zika (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

Brasil apresentou uma redução de 57% nos casos de zika, 60% nos de chikungunya e 5% nos de dengue até agosto deste ano em relação ao mesmo período de 2017. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (31) pelo Ministério da Saúde. Mesmo com uma queda no número de infecções, as três doenças somam 269 mil casos suspeitos e 117 mortes.

Zika, dengue e chikungunya são doenças causadas por vírus. Os micro-organismos de cada doença usam o mosquito Aedes aegypti como vetor. No caso da zika, a transmissão também ocorre de mãe para filho durante a gravidez, podendo causar problemas como a microcefalia. A dengue representa a maior parte dos casos atualmente no Brasil: 72% das suspeitas e 78% das mortes.

ESPECIAL: Febre amarela, dengue, zika e chikungunya: entenda as doenças do Aedes que afetam o Brasil

Nenhuma das três doenças tem uma vacina disponível pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em julho de 2016, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou a venda da primeira vacina contra a dengue, a Dengvaxia. No início deste ano, o próprio laboratório anunciou que o produto só deveria ser aplicado em quem já teve a doença para evitar riscos à saúde. A Organização Mundial da Saúde confirmou a recomendação.

Por isso, pelo menos por enquanto, existem saídas mecânicas de combate às doenças. Passar repelente, não deixar água parada, projetar versões transgênicas do mosquito.

  • Cientistas criam método mais barato e efetivo para detectar mosquito com zika

A febre amarela também é considerada uma “doença do Aedes”, mas apenas quando está em sua versão urbana – não registrada no país desde 1942. A doença apresentou um surto novamente no ano passado e início deste ano, mas do tipo silvestre, trasmistida pelos mosquitos Haemagogus ou Sabethes.

Recorte por estado

Ao olhar para cada uma das regiões do Brasil, e depois por estado, é possível ver uma mudança na região onde ocorre o ciclo de transmissão das doenças. No caso da dengue, o Centro-Oeste registra o maior número de casos neste ano, seguida pelo Sudeste. O estado mais afetado é Goiás, com 60.804 casos – 31% de todo o país.

Em 2017, o cenário era um pouco diferente: a maior parte dos casos foi registrada no Nordeste, número puxado pelo Ceará, com 37.661 infecções suspeitas, e pela Bahia, com 8.266. Ano passado, no entanto, já era possível prever que o Goiás estava com um foco de dengue e já apresentava 55.415 casos.

10 estados com maior número de casos de dengue em 2018

No caso da chikungunya, o ano de 2017 atingiu o Nordeste: foram 137.033 suspeitas da doença até agosto, contra 9.108 em 2018 – uma queda de 93%. Neste ano, o foco está no Sudeste, com 41.115 casos neste mesmo período (59% do total do país), sendo que dois terços (29.619) estão no Rio de Janeiro.

 O zika foi a surpresa de 2015. Em abril daquele ano, pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (UFBA) detectaram pela primeira vez o vírus em amostras de sangue e, em setembro do mesmo ano, médicos de Pernambuco e da Paraíba começaram a notar casos de microcefalia. Em março de 2016, o vírus já estava em todo o país. O Brasil teve 214 mil infecções naquele ano, uma taxa de 104,8 casos por 100 mil habitantes.

Neste ano, a situação é bem diferente: 6.685 suspeitas, uma taxa de 3,2 por 100 mil habitantes. O Nordeste é a segunda região mais atingida. Em primeiro lugar está o Sudeste e, assim como no caso da chikungunya, o Rio de Janeiro é o estado mais afetado.

 (Foto: Arte/ G1)

Leia Mais Brasil tem queda de até 60% nos casos de doenças do Aedes, mas dengue ainda atinge 193 mil pessoas

Publicado em 27 de agosto de 2018 por

É a primeira vez que espécie inédita da doença é detectada antes de início de surto.

Equipe segura e coleta amostras nos morcegos em campo. Grupo está em Serra Leoa, Guiné e Libéria para pesquisas sobre os hospedeiros do vírus. (Foto: Jaber Belkhiria/UC Davis)Equipe segura e coleta amostras nos morcegos em campo. Grupo está em Serra Leoa, Guiné e Libéria para pesquisas sobre os hospedeiros do vírus. (Foto: Jaber Belkhiria/UC Davis)

Após anúncio preliminar da Universidade da Califórnia no final de julho, o sequenciamento genético foi feito e os cientistas confirmaram: uma nova versão do vírus do ebola foi encontrada em morcegos em Serra Leoa. É a primeira vez que a doença é detectada no hospedeiro antes de criar um surto.

A descoberta foi publicada nesta segunda-feira (27) na revista “Nature Microbiology”. O trabalho faz parte do projeto “PREDICT”, da Universidade da Califórnia e do Centro de Infecções e Imunidade da Universidade de Columbia, financiado pela Agência para o Desenvolvimento Internacional dos Estados Unidos.

O novo vírus do ebola, chamado de Bombali, tem potencial para infectar células humanas, mas os pesquisadores não sabem se alguma pessoa já foi de fato atingida pelo micro-organismo.

“Identificar novos vírus como o ebolavírus Bombali em animais selvagens e testar sua capacidade de infecção em humanos pode ajudar na nossa compreensão da diversidade viral que circula entre os animais”, disse Simon Anthony, virologista e professor da Universidade de Columbia.

“Queremos descobrir se os vírus tem pré-requisitos genéticos para infecção humana e, em seguida, priorizar mais estudos e intervenções”.

Leia Mais Cientistas encontram nova versão do vírus ebola em morcegos em Serra Leoa

Publicado em 15 de agosto de 2018 por

Caso aconteceu em Santos, no litoral paulista. Segundo apurado pelo G1, agressora reclamava da demora para receber uma resposta das profissionais do hospital.

A Prefeitura de Santos, no litoral de São Paulo, divulgou imagens das câmeras de monitoramento do Pronto Socorro da Zona Noroeste, que mostram o momento em que uma enfermeira e uma técnica de gesso são agredidas pelas filhas de um paciente que estava internado na unidade de saúde. O G1 obteve acesso às imagens na manhã desta terça-feira (14).

Inicialmente, o vídeo mostra uma das agressoras puxando o cabelo da enfermeira, já no corredor do Pronto Socorro. A briga chegou a ser apartada por outros pacientes, porém, três minutos depois, a jovem consegue se desvencilhar e volta a atacar a outra servidora municipal, que também sofreu alguns ferimentos.

Logo após a agressão, foi registrado um boletim de ocorrência. A administração municipal já encaminhou as imagens para a Polícia Civil, e está colaborando com as investigações. Desde abril de 2018, o Complexo Hospitalar e o Ambulatório de Especialidades contam com 27 câmeras de monitoramento e, em breve, terão segurança privada.

Leia Mais Vídeo mostra enfermeira sendo agredida dentro de hospital em SP

Publicado em 11 de dezembro de 2017 por

Exames de próstata e mama serão oferecidos entre esta segunda-feira (11) e quinta-feira (14), no bairro do Ibura, Zona Sul do Recife, e no município de Escada, Zona da Mata de Pernambuco.

A sede do Sesi Ibura é uma das participantes da ação de prevenção aos cânceres de próstata e de mama (Foto: Google Maps/Reprodução)A sede do Sesi Ibura é uma das participantes da ação de prevenção aos cânceres de próstata e de mama (Foto: Google Maps/Reprodução)

O Serviço Social da Indústria de Pernambuco (Sesi/PE) oferece exames de próstata e mama gratuitos para a população durante toda a semana, no bairro do Ibura, no Recife, e no município de Escada, na Zona da Mata Sul do estado. Entre esta segunda-feira (11) e quinta-feira (14), homens e mulheres poderão se dirigir às sedes do Sesi nesses locais para ter acesso a essas ações de prevenção ao câncer.    Ao todo, serão oferecidos 1.200 exames, variando os dias de atendimento. Segunda e terça-feira, haverá prevenção ao câncer de mama. Já na quarta e quinta-feira, serão realizados exames de próstata. Vão ser disponibilizados 150 exames por dia em cada uma das unidades, das 8h às 13h.

Para diagnosticar e prevenir o câncer de mama serão realizados exames de ultrassom da mama e, se for necessário, a mamografia. Já para os homens serão oferecidos os exames de ultrassonografia e, se preciso, o PSA – exame de sangue que confirma o diagnóstico da doença. No caso do exame de próstata, é necessário fazer jejum de pelo menos quatro horas. Qualquer pessoa com mais de 40 anos pode realizar o exame, tendo prioridade os trabalhadores de indústria. Quem tiver menos de 40 anos só poderá ser atendido se houver encaminhamento médico.

Para realizar os exames basta apresentar o CPF e a carteira de trabalho ou o crachá da empresa onde atua, para provar o vínculo com a indústria. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 0800.600.9606.

Serviço

  • Onde: Sesi Ibura (Av. Ministro Oliveira Salazar, 228, Ibura, Zona Sul do Recife) e Sesi Escada (Rua Visconde de Utinga, s/n, Centro, Escada, Zona da Mata de Pernambuco)
  • Quando: segunda-feira (11) a quinta-feira (14), das 8h às 13h.

Leia Mais Sesi promove ações gratuitas de prevenção ao câncer em Pernambuco

Publicado em 30 de maio de 2017 por

Rio Formoso, Belém de Maria, Palmares e Barreiros são os municípios que mais necessitam de ajuda por causa do número de desabrigados e desalojados pelas chuvas e enchentes.

Em Barreiros, lama tomou conta das ruas da área central (Foto: Camila Torres/ TV Globo)Em Barreiros, lama tomou conta das ruas da área central (Foto: Camila Torres/ TV Globo)

Das 15 cidades em estado de calamidade, quatro estão entre as que mais precisam de donativos. De acordo com o secretário executivo da Defesa Civil de Pernambuco, tenente-coronel Fábio Rosendo, Rio Formoso, Belém de Maria, Palmares e Barreiros são os municípios que mais necessitam de doações devido ao número de desabrigados e desalojados e, por isso, terão prioridade.

“Recebemos as doações e repassamos para os municípios de forma fracionada. A decisão de entrega segue a ordem proporcional ao número de desabrigados e desalojados”, explicou o secretário executivo. O lavantamento do número de pessoas afetadas em cada cidade será detalhado ao longo desta terça-feira. Leia Mais Defesa Civil de PE diz que quatro cidades terão prioridade para receber donativos

Publicado em 30 de maio de 2017 por

Segundo o governador, as cidades estão recebendo Gabinetes de Crise, para unificar as ações.

Paulo Câmara visitou cidades da Zona da Mata Sul (Foto: Aluísio Moreira/Divulgação)Paulo Câmara visitou cidades da Zona da Mata Sul (Foto: Aluísio Moreira/Divulgação)

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), visitou nesta segunda-feira (29), as cidades de Barreiros, Belém de Maria e Palmares, na Zona da Mata Sul de Pernambuco. Os três municípios foram atingidos pelas fortes chuvas nos últimos dias.

Segundo Câmara, as cidades estão recebendo Gabinetes de Crise, para unificar as ações. “A gente precisa estar em alerta máximo. Temos 14 escritórios disponibilizados nos municípios em estado de Calamidade, então, vai ter gente sempre de prontidão da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros, Saúde, Assistência Social e Habitação. Nesse momento, o que nós queremos e temos que fazer de imediato é reestabelecer os serviços de água e energia, e ajudar na limpeza das cidades e na remoção dos entulhos”, disse o governador.

Ainda de acordo com Paulo Câmara, está sendo enviada aos municípios doações como colchões, água, alimentos e medicamentos.

Leia Mais Paulo Câmara visita cidades atingidas por chuvas e recebe ofício com solicitações em Palmares

Publicado em 30 de maio de 2017 por

Titular da pasta de Planejamento e Gestão, Márcio Stefanni explicou, após reunião com o governador Paulo Câmara e outros secretários, que a interrupção do repasse de recursos federais prejudicou serviços.

Secretários estaduais estiveram reunidos com o governador Paulo Câmara para discutir estratégias de ajuda à população prejudicada pela enchente na Mata Sul (Foto: Marina Meireles/G1)Secretários estaduais estiveram reunidos com o governador Paulo Câmara para discutir estratégias de ajuda à população prejudicada pela enchente na Mata Sul (Foto: Marina Meireles/G1)

O secretário de Planejamento e Gestão de Pernambuco, Márcio Stefanni, reconheceu que faltaram verbas para finalizar as obras de quatro barragens que ajudariam a conter as enchentes em rios do estado, prometidas desde 2010. De acordo com ele, a paralisação dos repasses pelo governo federal prejudicou o andamento das construções. A declaração foi feita, na noite desta segunda-feira (29), após uma reunião de integrantes do primeiro escalão da administração estadual com o governador Paulo Câmara (PSB). “Não houve dinheiro”, declarou o secretário.

O encontro, realizado no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual, no Centro do Recife, teve como objetivo discutir as estratégias para atender a população prejudicada pelas enchentes em Pernambuco. Na reunião, Stefanni enalteceu os esforços emergenciais para salvar as vidas de quem mora nas cidades atingidas pela água.

Leia Mais ‘Não houve dinheiro’, diz secretário sobre obras de barragens que não foram concluídas em PE

Publicado em 18 de novembro de 2016 por

Organização havia declarado emergência em fevereiro deste ano; Brasil tem mais de 200 mil casos de infecção pelo vírus

David Heymann durante a coletiva desta sexta-feira (Foto: Reprodução/OMS/Facebook)David Heymann durante a coletiva desta sexta-feira (Foto: Reprodução/OMS/Facebook)

Em coletiva na tarde desta sexta-feira (18) em Genebra, na Suíça, a Organização Mundial da Saúde anunciou que o vírus da zika e seus transtornos neurológicos associados não são mais uma emergência sanitária internacional. No entanto, a comissão disse que deverá continuar com uma “ação endurecida” contra todas as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.
Estavam presentes o presidente do Comitê de Emergências da OMS, David Heymann, e o diretor-executivo do Programa de Emergências de Saúde, Pete Salama, que informaram que, desde fevereiro, quando a emergência sanitária foi declarada, a organização tem dado uma “robusta reposta ao vírus” e que um novo grupo será escalado para continuar os trabalhos de combate nos países mais afetados. Leia Mais OMS diz que zika não é mais emergência sanitária internacional

Publicado em 16 de novembro de 2016 por

Vasos de flores deixados nos túmulos podem acumular água parada.
Equipes já visitaram cemitérios de Tejipió, Santo Amaro e Casa Amarela

epois do feriado de Finados (2), é comum observar nos cemitérios túmulos repletos de jarros e potes com flores e velas, que, ao acumular água, se tornam potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti. Por isso, agentes de saúde do Recife estão fiscalizando periodicamente esses locais, a fim de evitar a reprodução do inseto que transmite dengue, chikungunya e o vírus da zika.

Esta terça-feira (15) foi o segundo dia neste mês em que a equipe esteve de olho nos cemitérios. Desta vez, o alvo foi o de Casa Amarela, na Zona Norte do Recife. Na segunda-feira (14), os agentes foram a Tejipió, na Zona Oeste, a Santo Amaro, área central da cidade. No primeiro, encontraram três focos do Aedes aegypt e, no segundo, identificaram um.

No Cemitério de Casa Amarela, os agentes fizeram uma varredura em toda a área e, rapidamente, encontram potes e garrafas de plástico e vasos com água acumulada. Se o mosquito põe seus ovos num recipiente assim, em sete dias, as primeiras larvas já aparecem. Armadilhas, como as 29 ovitrampas instaladas no Cemitério de Casa Amarela, ajudam a evitar a proliferação. Leia Mais Agentes de saúde combatem Aedes aegypti em cemitérios

Publicado em 16 de novembro de 2016 por

Estudo mostra que vírus pode ser transmitido por contato direto com o vírus.
Ainda não há registros de casos de contágio pelo ambiente, diz pesquisa.

Mais de 500 gestantes passam por exames todos os meses em Jundiaí (Foto: Reprodução/TV TEM)Estudo divulgado nesta terça mostra que picada de mosquito não é o único meio possível de transmissão do vírus da zika (Foto: Reprodução/TV TEM)

Um estudo divulgado nesta terça-feira (15) nos Estados Unidos mostra que o vírus da zika pode sobreviver por até oito horas fora do organismo. Apresentado na tarde desta terça na cidade de Denver, na reunião anual da Associação Americana de Ciências Farmacêuticas (AAPS, na sigla em inglês), o estudo mostrou que o vírus consegue se manter vivo e “altamente contagioso” sobre superfícies duras e não-porosas, e ser transmitido por meio de seringas contaminadas ou em contato direto com feridas na pele. Leia Mais Vírus da zika pode sobreviver horas fora de organismo, diz estudo

Publicado em 6 de outubro de 2016 por

Estudo diz que vírus da zika é mais potente em bloquear sistema imunológico.
Pesquisa é parceria entre Fiocruz Pernambuco e Universidade de Glasgow.

Pela primeira vez, o sequenciamento genético do vírus da zika circulante no estado foi realizado.  A partir da análise do material coletado de um paciente no ano passado, pesquisadores da Fiocruz Pernambuco e da Universidade de Glasgow (Reino Unido) verificaram mutações e constataram que o vírus da zika é mais eficiente em bloquear a ativação do sistema imunológico que outros vírus. O resultado do estudo foi publicado na revista científica PLoS Neglected Tropical Disease na quarta-feira (5).

“Fizemos o mapeamento genético do vírus circulante em Pernambuco, ou seja, do começo da epidemia. Isso é importante para compreender a genealogia do vírus que circula localmente e poder compará-lo com o vírus de outros locais do Brasil e do mundo, pois as mutações podem explicar uma maior agressividade ou não da infecção”, destaca Rafael França, que assina o estudo junto com outros dois pesquisadores da Fiocruz Pernambuco, Lindomar Pena e Marli Tenório.
Leia Mais Vírus da zika que circula em PE tem mapeamento genético feito pela 1ª vez