Publicado em 18 de dezembro de 2018 por

Morador de rua teve queimaduras de 2º grau. Caso está sendo investigado pela Polícia Civil em Santos, no litoral paulista.

Homem ateia fogo em morador de rua em Santos (SP) — Foto: ReproduçãoHomem ateia fogo em morador de rua em Santos (SP) — Foto: Reprodução

Em um vídeo na tarde desta terça-feira (18) mostra um morador de rua de 56 anos sendo incendiado em uma movimentada avenida de Santos, no litoral de São Paulo. As imagens foram registradas por um morador, durante a madrugada, que acordou assustado com a gritaria no local. A vítima foi encaminhada para um hospital da cidade com queimaduras de 2ª grau. O suspeito de ter cometido o ataque ainda não foi identificado pela polícia.

Segundo testemunhas, o ataque ocorreu na Avenida Pedro Lessa, no bairro Embaré, após o suspeito ter acusado o morador de rua de ter roubado um celular. Para não ser identificado, o rapaz, que ainda agrediu com socos e chutes o morador antes das imagens começarem a ser registradas, utilizou um capacete para cobrir o rosto. Outras imagens obtidas pela polícia, porém, podem ajudar a identifíca-lo.

“Eu acordei com uma gritaria, uma discussão enorme. Quando fui na janela, vi o cara dizendo que o mendigo tinha roubado o celular dele. A vítima negava e dizia que tinha sido outra pessoa que havia cometido o crime. Eles discutiram por um tempo e o rapaz chegou a agredir ele com o capacete, chutou e o ameaçou de morte”, explica.

Nas ameaças, o homem dizia que ia jogar gasolina no morador de rua. Segundo a testemunha, o rapaz de capacete saiu do local e, quando voltou, jogou combustível etanol no corpo da vítima. “Ele tacou fogo nele. Foi uma coisa absurda, um caso de extrema agressão. Se ele achava que o cara tinha assaltado ele, poderia apenas imobilizar e chamar a polícia”, lamenta.

Ao amanhecer, a testemunha foi até o 3º DP de Santos, onde registrou um boletim de ocorrência. Equipes da Polícia Civil estiveram no local e o galão utilizado para transportar o combustível ainda estava no chão, derretido. A perícia também esteve na Avenida Pedro Lessa e fez fotos do local do crime. Até o momento, o homem de capacete que aparece nas imagens não foi identificado.

Segundo a Prefeitura de Santos, o morador em situação de rua deu entrada na UPA Central por volta das 7h da manhã com queimaduras de 2º grau. Ele passou pelos primeiros atendimentos e foi transferido perto das 7h30 para a Santa Casa de Santos. Na Santa Casa, ele está sendo atendido por equipe multiprofissional.

Leia Mais Homem ateia fogo em morador de rua após acusá-lo de roubo em SP

Publicado em 18 de dezembro de 2018 por

Entre os objetivos está verificar como é sala onde supostamente ocorreram os abusos. Médium está preso no Núcleo de Custódia, em Aparecida de Goiânia, e nega as acusações.

Polícia Civil cumpre mandados de busca e apreensão na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, Goiás — Foto: Reprodução/TV AnhangueraPolícia Civil cumpre mandados de busca e apreensão na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

A Polícia Civil faz na tarde desta terça-feira (18) buscas na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, onde o médium João de Deus, preso suspeito de abusos sexuais, fazia atendimentos espirituais. A defesa dele sempre negou as acusações e entrou com um pedido de habeas corpus nesta segunda (17), mas Justiça ainda não o analisou.

  • Ministério Público recebeu 506 relatos de abusos sexuais
  • Das mulheres que denunciaram caso ao MP, 30 já foram ouvidas
  • Polícia Civil colheu depoimentos de outras 15 mulheres. Apenas 1 caso vai virar inquérito
  • Há relatos de supostas vítimas de seis países e vários estados brasileiros
  • Médium é investigado por estupro, estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude
  • Força-tarefa também pretende investigar denúncia de lavagem de dinheiro
  • Não há pedido para suspensão do funcionamento da Casa Dom Inácio de Loyola, onde médium atende

Segundo apurações da TV Anhanguera, o principal objetivo da corporação é verificar o local onde supostamente ocorreram os abusos. Em depoimento, o médium afirmou que possui uma sala na Casa Dom Inácio de Loyola, cuja porta é transparente. Ele declarou que “nunca trancou a porta para atendimentos e, muitas vezes, é o atendido quem a tranca”.

Segundo João de Deus, a sala também possui um sofá, um local para refeição e um banheiro. Ele contou também que há duas janelas na sala, uma geralmente fica aberta e a outra fechada.

“Outras pessoas podem visualizar o interior [da sala] do exterior”, afirma o suspeito.

Diante dessas declarações, a polícia quer colher imagens do local para poder confrontar com todos os depoimentos colhidos.

Sala onde aconteciam atendimentos na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia — Foto: Alessandro Vieira/TV AnhangueraSala onde aconteciam atendimentos na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia — Foto: Alessandro Vieira/TV Anhanguera

O mandado de busca e apreensão foi expedido junto com o pedido de prisão do médium. No documento, constam três endereços ligados a João de Deus no interior do estado, onde a corporação pode fazer o trabalho de investigação.

Esta é a primeira vez que a Polícia Civil entra na Casa desde que as denúncias de abuso sexual começaram a surgir.

Casa aberta

Chico Lobo, um dos administradores do local, disse que, mesmo com o trabalho da polícia, a Casa Dom Inácio de Loyola segue aberta e recebendo as pessoas. Os principais dias de atendimento são nas quartas, quintas e sextas-feiras.

“Está aberta e vai continuar aberta, a menos que tenha uma ordem da Justiça para fechar. Vamos continuar fazendo os trabalhos de atendimento e passe”, explicou. O local atende cerca de 5 mil pessoas por semana, segundo o administrador.

O advogado de defesa Alberto Toron informou que não foi comunicado sobre as buscas feitas na casa de não tem conhecimento do objetivo da ação.

O médium João de Deus, preso em Goiás sob acusação de abuso sexual — Foto: Reprodução/TV AnhangueraO médium João de Deus, preso em Goiás sob acusação de abuso sexual — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Denúncias

João de Deus teve a prisão decretada na sexta (14) a pedido da Polícia Civil e do Ministério Público Estadual de Goiás (MP-GO), que investigam os relatos de abuso sexual durante atendimento na Casa Dom Inácio de Loyola. No domingo, ele se entregou à polícia em uma estrada de terra em Abadiânia.

O médium prestou depoimento na noite de domingo, durante três horas. João de Deus afirmou à Polícia Civil que, antes de as denúncias de abuso sexual virem à tona, foi ameaçado por um homem, por meio de uma ligação de celular. Além disso, negou os crimes e que tenha movimentado R$ 35 milhões nos últimos dias.

Segundo o advogado Alberto Toron, o pedido de habeas corpus foi protocolado nesta segunda-feira (17). Em entrevista no domingo, ele citou como alternativas possíveis uma prisão domiciliar e o uso de tornozeleira eletrônica. Além disso, negou que tenha havido intenção de fuga.

Leia Mais Polícia faz buscas na Casa Dom Inácio de Loyola, onde João de Deus fazia atendimentos

Publicado em 10 de dezembro de 2018 por
Publicado em 7 de dezembro de 2018 por

Dois suspeitos do crime foram presos, conforme o secretário da Segurança do Ceará. Prefeito de Milagres informou que duas crianças estão entre as vítimas.

Polícia trocou tiros com os bandidos e impediu o ataque; 12 pessoas morreram no Ceará — Foto: GloboNews/ ReproduçãoPolícia trocou tiros com os bandidos e impediu o ataque; 12 pessoas morreram no Ceará — Foto: GloboNews/ Reprodução

Um grupo de criminosos armados e com reféns tentou assaltar duas agências bancárias da cidade de Milagres, na Região do Cariri do Ceará, na madrugada desta sexta-feira (7). Houve intensa troca de tiros e pelo menos 12 pessoas morreram, segundo informou a a Secretaria da Segurança do Ceará. Dois suspeitos de participação na tentativa de assalto foram presos, conforme o secretário da Segurança, delegado André Costa.

A Coordenadoria de Medicina Legal (Comel) da Perícia Forense (antigo IML) da cidade de Juazeiro do Norte, que recolheu os corpos, havia informado, inicialmente, que 13 pessoas morreram no tiroteio. No entanto, em nota, a Secretaria de Segurança do Estado confirmou 12 óbitos. Um outro suspeito foi ferido durante a troca de tiros e está internado em um hospital da cidade.

De acordo o prefeito de Milagres, Lielson Landim, entre os mortos estão duas crianças, que eram feitas reféns pelo grupo criminoso. No total, seis reféns morreram no confronto, sendo cinco da mesma família, conforme a polícia. Ainda não foram identificados todos os mortos no confronto.O prefeito de Milagres disse que a família ia para Serra Talhada, em Pernambuco, quando passou por um trecho interditado na rodovia BR-116, na altura da ponte sobre o riacho Tamanduá, e foi sequestrada. A quadrilha utilizou um caminhão para bloquear a via e parar o veículo das vítimas.

Segundo o prefeito, os reféns foram executados pela quadrilha ao serem abordados pela polícia. Entre as vítimas estão um empresário de Serra Talhada e o filho dele. Pai e filho foram até o Ceará buscar três familiares que vinham de São Paulo para passar os festejos de fim de ano em Serra Talhada

O sexto refém morto, ainda não identificado, seria da cidade de Brejo Santo e também foi parado na rodovia.

A tentativa de roubo aconteceu por volta de 2h17 da madrugada. Houve confronto entre os policiais e os criminosos. Diversos carros da PM foram usados para conter a quadrilha. Devido à ação da Polícia Militar, o grupo criminoso não conseguiu levar o dinheiro de nenhum dos estabelecimentos bancários. Os dois bancos ficam na Rua Presidente Vargas, no Centro do município, que tem 28 mil habitantes.

A Secretaria da Segurança Pública informou que, além dos dois presos, os policiais militares apreenderam uma pistola 9 milímetros, um revólver calibre 38, uma arma calibre 12 e explosivos. Três veículos envolvidos na ocorrência, sendo um Celta e duas caminhonetes, foram apreendidos, conforme o órgão.

Trabalho policial

Sobre o ocorrido, o titular da secretário André Costa afirmou que “confia no trabalho da polícia”. “É muito difícil você, de longe, fazer um julgamento sobre a ação dos policias lá no meio do tiroteio. Policiais, outras pessoas e cidadãos podem ser alvos dos disparos. Neste momento é muito difícil a gente tá julgando a atuação dos polciais”, pontuou.

André Costa acrescentou que um dos suspeitos presos afirmou que a quadrilha atirou nos reféns. “Um dos criminosos presos acabou dizendo que matou pessoas que estavam no local e não eram da quadrilha. Mas toda informação é insuficiente. Vai acontecer o trabalho da perícia e a investigação. Confio muito no trabalho da nossa polícia”, disse André Costa.

Agentes da Perícia Forense do Ceará informaram que dois veículos foram acionados para recolher os corpos e, em seguida, realizar a identificação das pessoas. A Polícia Militar acrescentou que equipes realizam investigações na região, com objetivo de identificar e prender o restante do grupo, que conseguiu fugir.

Durante essas buscas, um homem com um colete balístico foi encontrado morto dentro de uma caminhonete. Ele ainda não foi identificado, mas a polícia suspeita que ele seja um dos assaltantes que tentou fugir.

Pelo menos 12 corpos foram recolhidos após o confronto entre a polícia e os criminosos — Foto: Edson Freitas Pelo menos 12 corpos foram recolhidos após o confronto entre a polícia e os criminosos — Foto: Edson Freitas

Serviços suspensos

Após o ocorrido, a Prefeitura de Milagres orientou que os moradores da cidade não saíssem mais das residências. Em nota, a prefeitura comunicou que os serviços públicos foram suspensos nesta sexta-feira.

“A medida é tomada em concordância com as orientações do comando da Polícia Militar, que nesse momento conta com o apoio de helicópteros da Ciopaer e um grande efetivo de policiais que estão em diligência no centro e imediações da cidade, na captura de bandidos que empreenderam fuga nesta manhã. A recomendação é que todos permaneçam em suas casas até que a ordem seja restabelecida”, informou.

‘Madrugada de horror’

Segundo o comerciante e agricultor Mendonça de Santa Helena, a troca de tiros durou cerca de 20 minutos. “Nunca tinha visto algo parecido. Eu fiquei dentro de casa abaixado e com medo. Ouvi gritaria e pessoas chorando. Foi horrível”, relatou o comerciante.

Ainda segundo Mendonça, depois que o grupo fugiu, deu para perceber que, pelo menos, seis pessoas estavam no chão e apresentando sangramentos. No início do dia, segundo o comerciante, policiais que realizam a segurança da cidade, afirmaram que dez pessoas deram entrada no Hospital Municipal de Milagres, vítimas do tiroteio.

“Um policial afirmou para gente que, pelo menos, dez pessoas estavam no hospital. Pelo menos uns sete já tinham morrido e outros em estado muito grave”, disse.

Rodovia bloqueada

A Polícia Rodoviária Federal do Ceará (PRF-CE) solicitou que os motoristas evitassem a rodovia BR-116, que dá acesso à entrada ao município de Milagres. Conforme a PRF, um caminhão foi abandonado pelo grupo na via para impedir o tráfego de veículos.

Caminhão ficou atravessado na rodovia, impedindo a passagem de outros veículos — Foto: Reprodução/TV Verdes MaresCaminhão ficou atravessado na rodovia, impedindo a passagem de outros veículos — Foto: Reprodução/TV Verdes Mares

Uma das alternativas é a CE-384. A polícia confirmou que o bloqueio tem ligação com a tentativa de assalto às agências bancárias da cidade.

Caminhão foi usado pelos criminosos para bloquear um trecho da BR-116 — Foto: PRF/DivulgaçãoCaminhão foi usado pelos criminosos para bloquear um trecho da BR-116 — Foto: PRF/Divulgação

2º ataque na madrugada

Ainda durante a madrugada, um outro grupo armado explodiu uma agência bancária no município de Itatira, que fica no Sertão Central do Ceará. Segundo informações da Polícia Militar, cerca de 15 homens participaram do crime. A polícia informou que o grupo estava armado de fuzis, pistolas, espingardas e explodiram a agência por volta da 3 horas.

 Segundo o Sindicato dos Bancários do Ceará, pelo menos 44 ataques contra bancos foram registrados neste ano no Ceará.

Leia Mais Tentativa de assalto a bancos com reféns deixa 12 mortos após tiroteio com a polícia no Ceará

Publicado em 6 de dezembro de 2018 por

Agressões do pai à mãe do jovem eram recorrentes, segundo a polícia.

Adolescente usou um facão e uma marreta para matar o pai, em João Pessoa — Foto: TV Cabo Branco/ReproduçãoAdolescente usou um facão e uma marreta para matar o pai, em João Pessoa — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

Um adolescente de 16 anos matou o pai, na noite desta terça-feira (4), para tentar defender a mãe que estava sendo agredida por ele, no bairro de Paratibe, em João Pessoa. De acordo com a perita do Instituto de Polícia Científica (IPC), Amanda Melo, o adolescente usou um facão e uma marreta para matar o pai.

A briga entre pai e filho teria começado dentro da casa da família e terminou na garagem, com a morte de Rivaldo Santana de Oliveira, de 45 anos.

Segundo a perícia, o adolescente estava muito nervoso quando a equipe do IPC chegou ao local. Além disso, ele também apresentava lesões cortantes pelo corpo. Ele contou que o pai chegou bêbado em casa e começou a bater na esposa e discutir com ela. O adolescente então tirou o pai de perto da mãe e o levou para o quarto.

Em seguida, o adolescente também foi para outro quarto, quando ouviu novamente o pai discutir com a mãe. A partir do momento que o jovem percebeu a agressão, ele pegou o facão e uma marreta e atingiu o pai, que morreu no local.

De acordo com o delegado Silvio Bardassom, a mãe do adolescente ainda não foi ouvida pela Polícia Civil, porque estava em estado de choque com a situação. No entanto, ele afirmou que pelas informações colhidas no local do crime, a violência já estava acontecendo há algum tempo.

Ainda conforme o delegado, não é possível concluir se o crime é caracterizado como legítima defesa ou homicídio. Os testemunhos e laudos vão ser analisados e só depois que a investigação for concluída é que será possível precisar a caracterização do crime.

Homem agredia esposa e filhos

O homem assassinado em João Pessoa agredia também os dois filhos, conforme informado pela promotora da Infância e Juventude, Ivete Arruda, em entrevista, nesta quarta-feira (5). Segundo a promotora, o adolescente de 16 anos confessou que matou o pai durante uma oitiva informal, realizada no Ministério Público da Paraíba. A mãe dele e o irmão mais velho, que foram declarantes, confirmaram o depoimento do rapaz.

Leia Mais Adolescente mata pai a golpes de facão e marreta para defender mãe de agressão, na PB

Publicado em 5 de dezembro de 2018 por

Ele teria roubado joalheria no Centro da cidade e na fuga levou a senhora.

Um assaltante foi morto após roubar a joalheria Barra Joias e fazer uma idosa refém na manhã desta quarta-feira (5) no Centro de Valença, que fica a 160 km do Rio de Janeiro.

Segundo a Polícia Civil, ele teria assaltado o estabelecimento e fugido em direção ao Mercado Municipal. A polícia foi acionada e houve troca de tiros.

De acordo a Polícia Militar (PM), o acusado fez menção de atirar nos policiais e ‘em ato de defesa, os policiais efetuaram o disparo contra ele’. Até a publicação desta reportagem, o corpo dele ainda estava no local.

Ainda segundo a PM, a idosa foi identificada como Tereza de Jesus Ferreira Sacramento. Ela recebeu atendimento médico e deve prestar depoimentos nos próximos dias na 91ª Delegacia de Polícia (Valença).

Testemunhas informaram que o homem anunciou o assalto e enquanto colocava as joias na mochila, a dona do estabelecimento saiu e acionou a polícia. Ao sair do estabelecimento, uma viatura passou e começou a perseguição. A idosa andava pela rua, quando foi feita refém.

Moradores que presenciaram a ação, gravaram vídeos e enviaram para o WhatsApp da TV Rio Sul. Nas imagens é possível ver o assaltante armado, segurando a vítima, enquanto um policial apontava a arma em direção a ele. No final, dá para visualizar o tiro e a idosa é solta, após ele ser atingido pelo disparo.

Número de homicídios caiu no município

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), o número de homicídios caiu pela metade no município, em relação ao ano passado. Em 2017, foram registrados seis homicídios dolosos, contra três registrados em 2018.

Porém, o número de roubo a estabelecimentos comerciais aumentou na cidade. Em 2017, apenas um assalto foi registrado, contra quatro deste ano. As informações são refentes ao período de janeiro a outubro.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Valença tem 76 mil 163 habitantes.

Idosa é feita refém no Centro de Valença — Foto: Reprodução/Arquivio PessoalIdosa é feita refém no Centro de Valença — Foto: Reprodução/Arquivio Pessoal
Assaltante é morto após fazer idosa refém em Valença — Foto: Reprodução/Arquivo PessoalAssaltante é morto após fazer idosa refém em Valença — Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Leia Mais Assaltante é morto por PM após fazer idosa refém em Valença

Publicado em 4 de dezembro de 2018 por

Para Sérgio Etchegoyen, nova administração ‘exigirá cuidados mais precisos’. Ministro defendeu a manutenção da estrutura da Abin, mas ressaltou que decisão caberá ao futuro presidente.

O CARAImagem: WILTON JUNIOR 1.dez.2018

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, disse nesta segunda-feira (3) que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, sofreu novas ameaças.

A declaração foi dada após cerimônia no Palácio do Planalto que celebrou os 80 Anos do Gabinete de Segurança Institucional. No momento da declaração, o general falava sobre os cuidados que o novo governo terá de ter com a segurança. Ele, porém, não deu detalhes sobre as ameaças que citou.

“Eu posso te falar até 15 dias atrás. Houve, houve novas ameaças [contra Bolsonaro]”, afirmou Etchegoyen.

Perguntado sobre a possibilidade de o presidente eleito desfilar em carro aberto no dia da posse, marcada para o dia 1º de janeiro, o ministro afirmou que as condições ainda estão em negociação com a equipe de transição e recomendou cautela.

“A decisão será do presidente. Eu presidiria tudo com cautela. Nesse momento, eu tenho que me atualizar, porque passei fora duas semanas, mas eu recomendaria que todas as medidas tomadas fossem presididas por cautela”, disse.

Etchegoyen disse que a segurança da nova administração exigirá cuidados mais intensos e precisos, porque, segundo ele, Bolsonaro é alvo de agressões constantes.

“Temos um presidente que sofreu um atentado e vem sofrendo agressões constantes, basta ver nas mídias sociais, a quem tem que ser dada a garantia, não a ele, mas também ao vice- presidente, das melhores condições de governo. Certamente a segurança do presidente eleito, da nova administração, exigirá cuidados mais intensos, mais precisos.” declarou o ministro.

Na última quarta-feira (28), um dos filhos do presidente eleito, o vereador Carlos Bolsonaro afirmou no Twitter que a morte do pai “não interessa somente aos inimigos declarados, mas também aos que estão muito perto”.

Durante a campanha presidencial, Bolsonaro foi vítima de um atentado a faca em Juiz de Fora (MG). Após investigações, a Polícia Federal concluiu que o agressor, Adélio Bispo de Oliveira, agiu sozinho no momento do ataque e que a motivação “foi indubitavelmente política”.

Abin

Durante a entrevista, o ministro também defendeu a manutenção da estrutura da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), mas afirmou que a decisão cabe ao novo presidente.

A Abin é responsável por fornecer ao presidente da República e a seus ministros análises estratégicas confiáveis, como informações relativas à segurança do Estado, relações exteriores e defesa externa.

“A direção da Abin assumiu há dois anos. Vem fazendo um belíssimo trabalho. A decisão obviamente é do presidente eleito, é do novo governo, legítimos. Mas acho que a continuidade, pelo menos por mais um pouco período que seja, consolidará os avanços particularmente na área de gestão, que eles alcançaram”, afirmou Etchegoyen.

Leia Mais Ministro do GSI diz que Bolsonaro sofreu novas ameaças e defende cautela em cerimônia de posse

Publicado em 3 de dezembro de 2018 por

Quatro pessoas ficaram feridas durante o ataque, em Aparecida de Goiânia. Homem foi preso. Cerca de 120 pessoas estavam no local na hora do crime.

Suspeito de esfaquear fiéis em igreja postou em rede social que faria massacre, em Aparecida de Goiânia — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Suspeito de esfaquear fiéis em igreja postou em rede social que faria massacre, em Aparecida de Goiânia — Foto: Polícia Civil/Divulgação

O homem suspeito de esfaquear fiéis em uma igreja durante uma reunião fez postagens na rede social anunciando que faria um “massacre” no local e ia “cortar as cabeças” das vítimas. Segundo a polícia, Uilker Alves, de 28 anos, entrou na igreja que fica no Setor Colina Azul, em Aparecida de Goiânia, na manhã deste domingo (2) e atingiu quatro pessoas usando duas facas de açougueiro.

Nas publicações, feitas na sexta-feira (30), ele disse que chegou a dar o endereço dele para as pessoas responsáveis pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, mas que ninguém foi visitá-lo. “Eu vou fazer o massacre com eles […] vou esperar todo mundo entrar, fechar a porta, começar a cortar as cabeças”, escreveu.

O crime aconteceu por volta das 10h30. Cerca de 120 estavam no local, começando a reunião religiosa. Quatro pessoas ficaram feridas. “As testemunhas relataram que ele meteu o pé na porta, entrou e falou: ‘Vai morrer todo mundo’. Em seguida, esfaqueou quem estava na frente”, contou o sargento da PM, Willian Moraes.

Homem esfaqueia fiéis na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em Aparecida de Goiânia — Foto: Henrique Ramos/TV AnhangueraHomem esfaqueia fiéis na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em Aparecida de Goiânia — Foto: Henrique Ramos/TV Anhanguera

O suspeito foi contido pelos próprios fiéis, que o seguraram até a chegada da Polícia Militar. Ele foi preso em flagrante e levado para o 1º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia. Ele foi autuado por tentativa de homicídio contra quatro pessoas.

Os feridos, que têm entre 31 e 42 anos, foram encaminhados para o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia. Um deles foi atendido e recebeu alta. Dois seguiam internados até as 15h e um deles foi transferido para o Hospital de Urgências de Goiânia para passar por uma cirurgia.

Em nota, a assessoria de imprensa da igreja informou que “está dando apoio àqueles que estiveram presentes durante o incidente” e está orando por todos os envolvidos. O presidente da igreja disse que nenhum membro da congregação conhecia o agressor.

Leia Mais Suspeito de esfaquear fiéis em igreja postou na web que faria ‘massacre’ e ia ‘cortar as cabeças’

Publicado em 3 de dezembro de 2018 por

Suspeito de sequestrar Taina e filha de oito meses era foragido da Justiça e foi preso após denúncia feita para a Polícia Militar de São Luís (MA). Jovem e criança de Pilar do Sul estavam sumidas desde o dia 3 de novembro.

Taina Queiroz ao lado do marido, Raul Kennedy da Silva, e da filha de 8 meses. A jovem de 18 anos e bebê estavam sumidas desde 3 de novembro — Foto: Reprodução/FacebookTaina Queiroz ao lado do marido, Raul Kennedy da Silva, e da filha de 8 meses. A jovem de 18 anos e bebê estavam sumidas desde 3 de novembro — Foto: Reprodução/Facebook

O marido da jovem de Pilar do Sul (SP) Taina Queiroz, de 18 anos, fez um churrasco neste domigo (2) para comemorar a descoberta do paradeiro da esposa e da filha de oito meses. Desde 3 de novembro, a família não sabia onde as duas estavam e o marido, Raul Kennedy da Silva, suspeitava que elas tivessem sido sequestradas. As duas foram localizadas em São Luís (MA), após a prisão do homem que estava com elas.

“Foi a melhor notícia da vida. Estou muito aliviado e, finalmente, acabou o pesadelo. Agora vamos poder entender o que realmente aconteceu com elas, e eu terei minha família de volta. Está todo mundo feliz e até assamos uma carninha para comemorar”, afirmou Silva.

Entenda o caso

  • Raul Kennedy da Silva, a mulher, Taina Queiroz e a filha de 8 meses viviam em Pilar do Sul (SP). Ele viajou a trabalho e, quando retornou, não encontrou Taina e a bebê em casa.
  • Em 3 de novembro, Silva registrou um boletim de ocorrência e disse que recebeu mensagens de seu ex-patrão Luis Fernando Lourenço, dizendo que Taina estava com ele por vontade própria e que ela e a bebê estavam bem.
  • A polícia abriu inquérito para investigar o caso. Como não havia pedido de resgate, o caso foi registrado inicialmente como desaparecimento.
  • A família de Taina recebeu vídeos da jovem, em que ela aparecia ao lado da criança e dizia estar feliz. Parentes viram sinais de nervosismo e ameaça nos vídeos.
  • Em 28 de novembro, a polícia retificou o BO e passou a investigar o caso como subtração de incapaz.
  • Lourenço era procurado pela polícia por estelionato há cerca de um ano e foi preso no último sábado (1º) em São Luís (MA).

Ainda de acordo com o marido, a família foi informada de que Taina e a filha estão aos cuidados do Conselho Tutelar de São Luis em um abrigo, e devem ser transferidas para Pilar do Sul. Na cidade paulista, Taina deverá prestar depoimento à polícia para conclusão do inquérito sobre subtração de menor.

“Ainda não sei como vai ser. Se vamos ter que ir para lá buscá-las ou se elas serão trazidas para cá pelo Conselho. Não sabemos ainda o que pode ter acontecido também com elas em relação ao sequestro e ameaças. Mas agora o importante é que elas estão bem e toda a agonia acabou. Agora só alegria por ter minha filha de volta”, afirma Raul da Silva.

Prisão

Luis Fernando Lourenço já tem passagens na polícia por estelionato — Foto: Arquivo PessoalLuis Fernando Lourenço já tem passagens na polícia por estelionato — Foto: Arquivo Pessoal

Segundo o delegado Acácio Leite, Luis Fernando Lourenço foi preso durante a madrugada de sábado (1º) após denúncia feita para a Polícia Militar.

Ele estava foragido da Justiça há cerca de um ano, segundo a Polícia Civil. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que Luis esteve preso em 22 de outubro de 2013 pelo artigo 158, que é constranger alguém mediante violência. Mas, segundo o órgão, foi solto no dia 23 de outubro.

Ainda de acordo com a SSP, Luis foi condenado por estelionato a cumprir pena de prestação de serviços à comunidade, porém não cumpriu a determinação. Por isso, constava como foragido.

O delegado não soube informar para a reportagem onde o suspeito, Taina e a filha foram encontrados. “Ainda não sei detalhes da prisão, mas fomos informados de que ele estava em São Luís e foi a PM quem o encontrou. A transferência para alguma penitenciária da região de Sorocaba deve ocorrer, mas a data é o juiz quem determina”, disse Acácio Leite.

De acordo com a Superintendência da Polícia Civil do Maranhão, após a prisão, Luis foi levado para a penitenciária de Pedrinhas, onde está à disposição da Justiça.

Ainda segundo o delegado, Luis e Taina devem ser ouvidos para a conclusão do inquérito policial em relação à subtração de incapaz. “Vamos apurar o que realmente aconteceu. Entender o que houve. Por isso, quando Taina voltar para a região vamos colher depoimento dela e do Luis também.”

Desaparecimento

O sumiço foi registrado no dia 3 de novembro. O marido da jovem conta que viajou a trabalho para Castilho (SP) e, quando retornou para casa, não encontrou mais a esposa e a filha.

“Cheguei e não estavam em casa. Fizemos buscas, mas nada. Não atendeu o telefone e ninguém sabia delas. Fiquei desesperado. Foi então que meu ex-patrão mandou mensagem dizendo que estava com as duas e que elas estavam felizes. Mas ela não me deixaria. Estávamos bem e tenho certeza que ele as raptou”, disse na época.

Taina Queiroz ao lado da filha de 8 meses — Foto: Arquivo Pessoal/Raul Kennedy da SilvaTaina Queiroz ao lado da filha de 8 meses — Foto: Arquivo Pessoal/Raul Kennedy da Silva

Raul ainda afirmou que conheceu o ex-patrão Luis Fernando Lourenço há quatro meses, em Sorocaba (SP). Ele se apresentou como cantor e empresário, e ofereceu emprego para o rapaz entregar outdoor em cidades do interior de São Paulo.

“Ele levou a gente em shows e se mostrava uma pessoa que tinha conhecimento, importante. Nunca tive problema com ele, mas é um cara invejoso e não aceitava ver a gente feliz”, diz.

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba abriu inquérito policial para investigar o caso do sumiço das duas.

Porém, na quarta-feira (28) o delegado Acácio Leite informou que passou a tratar o caso como subtração de incapaz após vídeos enviados pelo suspeito mostrar que Taina estava bem.

 De acordo com Raul, vídeos foram encaminhados por Luís Fernando  para ele e parentes logo após o desaparecimento da esposa e filha.

Policiais civis de Pilar do Sul ligaram para Luís no número usado por ele para enviar as mensagens. O suspeito disse que as duas estavam bem, mas não contou onde estavam. Depois, policiais e familiares não conseguiram mais contato.

Nas imagens é possível ver Taina deitada em uma cama ao lado da filha. O homem que filma é o suspeito. Ele faz questionamentos e Taina responde. Segundo o delegado, os vídeos não foram encaminhados para a Polícia Civil.

Parentes da jovem afirmaram que, nos vídeos, ela apresentou sinais de que está sendo ameaçada.

Em entrevista, a prima de Raul, Aline Trindade, afirmou que nas imagens Taina está abatida, magra e faz sinais de nervosismo com as mãos e olha para o lado.

“Eu considero ela como minha prima e a conheço. Acho muito estranho tudo o que está acontecendo. Nos vídeos ela aparece com a mesma blusa, muito magra e tem um roxo no braço. Ela olha para o lado como se tivesse outra pessoa e faz sinais quando está nervosa”, aponta a prima.

Denúncia por ameaça

Luis Fernando Lourenço era considerado foragido da Justiça por estelionato — Foto: Arquivo PessoalLuis Fernando Lourenço era considerado foragido da Justiça por estelionato — Foto: Arquivo Pessoal

Uma ex-companheira de Luis Fernando Lourenço afirmou que já registrou boletim de ocorrência contra ele por ameaça.

“Conheci o Luís em janeiro deste ano, em Jundiaí, e ficamos juntos por três meses. No início, ele conseguiu me iludir, se apresentou como empresário e conquistou a todos”, afirmou a jovem, que prefere ter a identidade preservada.

“Fomos morar em Araraquara, mas lá ele passou a ser agressivo. Ele vivia me ameaçando e não deixava eu falar direito com a minha família”, afirmou.

Fugiu por conta própria

Uma parente do homem suspeito de sequestrar a jovem Taina afirmou que ela não estava sendo ameaçada e que fugiu por vontade própria.

 Segundo a parente, que é de Jundiaí e prefere ter a identidade preservada, Luís e Taina não contaram onde estavam.

“Conversei com a Taina e ela me disse que estava bem. Contou até detalhes do porquê saiu de casa e até coisas pessoais dela com o marido. Então, separamos provas de que foi isso realmente o que aconteceu. Além disso, o próprio cunhado que ajudou ela a sair de casa”, diz.

Leia Mais Caso Taina: marido comemora com churrasco aparecimento de jovem e filha: ‘Melhor notícia da vida’

Publicado em 3 de dezembro de 2018 por

Segundo a PM, rapaz chutou a porta e disse que ia matar todos. Quatro homens ficaram feridos e foram socorridos.

Homem esfaqueia fiéis na Igreja Jesus Cristo dos Últimos Dias, em Aparecida de Goiânia — Foto: Henrique Ramos/ TV AnhangueraHomem esfaqueia fiéis na Igreja Jesus Cristo dos Últimos Dias, em Aparecida de Goiânia — Foto: Henrique Ramos/ TV Anhanguera

Um jovem de 28 anos invadiu, na manhã deste domingo (2), uma igreja no Setor Colina Azul, em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. A Polícia Militar informou ao que ele estava com duas facas e atingiu quatro fiéis durante o culto.

“As testemunhas relataram que ele meteu o pé na porta, entrou e falou: ‘Vai morrer todo mundo’. Em seguida, esfaqueou quem estava na frente”, contou o sargento Willian Moraes.

O crime aconteceu por volta das 10h30 na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, localizada na Rua Albatroz. De acordo com os policiais, dos quatro fiéis feridos, um deles foi atingido ao tentar conter o rapaz.

A situação causou pânico em quem estava na igreja. “Não se espera esse tipo de ação, ainda mais dentro de uma igreja. Algumas pessoas correram. Uma criança saiu correndo e foi parar longe, só depois a encontraram”, disse o sargento.

Feridos

Os feridos têm 31, 33, 40 e 42 anos, sendo que dois levaram várias facadas. Os socorristas encaminharam os demais feridos para o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa).

A unidade de saúde informou, às 14h30, que o homem de 33 anos recebeu atendimento e foi liberado. Já o paciente de 31 anos foi transferido para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) para passar por uma cirurgia vascular no pulso direito, onde foi atingido. Os demais seguem internados no Huapa e têm quadro regular.

Prisão

Os policiais prenderam o suspeito e o levaram para o 1º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia para a registro da ocorrência. Conforme o sargento, o homem disse poucas palavras e contou que tomou a atitude após assistir a um vídeo na internet.

“Ele viu um vídeo que Deus amaldiçoava negros e carecas. Como ele é um pouco careca, resolveu entrar na igreja com duas facas e esfaquear todo mundo”, disse o sargento.

Segundo a PM, o homem pode ser autuado por lesão corporal grave ou tentativa de homicídio. Caberá aos policiais civis de plantão definirem o crime.

Leia Mais Jovem invade igreja e esfaqueia fiéis durante culto, em Aparecida de Goiânia

Publicado em 30 de novembro de 2018 por

Consultora de vendas esperava o marido quando estrangeiro a abordou e a agarrou.

Esper Petterson, preso em flagrante por importunação sexual — Foto: Divulgação/Centro PresenteEsper Petterson, preso em flagrante por importunação sexual — Foto: Divulgação/Centro Presente

Um norueguês foi preso em flagrante por importunação sexual por agentes do Centro Presente na noite desta quinta-feira (29). Esper Petterson abordou a consultora de vendas Kellen Pavão, de 26 anos, e passou a mão pelo corpo dela. Na delegacia, disse que “não conseguiu se controlar”.

“Eu saí do trabalho, esperando meu esposo, e veio esse gringo me abordar a todo momento”, conta Kellen. “Ele queria pedir uma informação, só que ele foi abusado”, narra.

Segundo Kellen, Esper passou a mão em sua cintura, no bumbum e na lateral do seio.

Marido da consultora, Alexandre encontrou Kellen muito nervosa momentos depois. “Ela estava indefesa. O que nós queríamos era ir embora pra casa”, diz.

“Por dois minutinhos eu não peguei essa cena. Minha vontade era fazer uma loucura, mas graças a Deus eu tive discernimento e sabedoria, e fizemos a coisa certa. Estamos aqui até essa hora na delegacia, mas graças a Deus ele está preso”, afirma.

Kellen e o marido na delegacia — Foto: Reprodução/TV GloboKellen e o marido na delegacia — Foto: Reprodução/TV Globo

Leia Mais Norueguês preso por assédio na Central do Brasil alegou que não conseguiu se controlar

Publicado em 20 de novembro de 2018 por

O suspeito da agressão é um colega, de 18 anos, que teve a prisão convertida em preventiva.

Aluno é agredido em escola tradicional de BH; colega suspeito do crime está preso — Foto: Reprodução/TV GloboAluno é agredido em escola tradicional de BH; colega suspeito do crime está preso — Foto: Reprodução/TV Globo

O jovem Luiz Felipe, de 17 anos, agredido no Instituto de Educação de Minas Gerais, morreu na manhã desta terça-feira (20), no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte. A morte foi confirmada pela Secretaria de Estado de Educação e pela equipe médica.

O suspeito é um colega, Hudson Rangel Gomes Rosa, de 18 anos, que teve a prisão convertida em preventiva. Segundo a escola, ele tem histórico de agressividade. Nesta quarta-feira (14), os jovens jogavam futebol, durante o recreio, quando teria ocorrido um desentendimento entre a turma.

A vítima foi agredida com socos e pontapés, tentou fugir, mas foi perseguida. Imagens do circuito interno da escola registraram a violência. A escola tradicional fica na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

 Testemunhas disseram que o adolescente de 17 anos foi atingido de costas com um chute na cabeça. A gravação mostra o momento em que ele é jogado da escada, batendo a cabeça em uma mureta. Hudson aparece nas imagens ajudando a carregar o colega com outros estudantes. Depois, ele se afasta.

Segundo a polícia, a vítima teve traumatismo craniano, com múltiplas fraturas na cabeça e foi submetido a cirurgias.

O socorro foi prestado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Luiz Felipe foi entubado e levado inconsciente para o Hospital de Pronto-Socorro XXIII, onde ficou no Centro de Terapia Intensiva (CTI).

“Toda a equipe se envolveu e ficou muito sensibilizada. O estado era muito grave desde o início”, disse o médico Marcelo Lopes, diretor assistencial da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig).

Segundo Valdênia Evangelista, tia e responsável por Luiz Felipe, o velório será em Minas Novas e o enterro será em Turmalina, no Vale do Jequitinhonha. O corpo ainda não foi liberado. Emocionada, ela falou sobre a perda do jovem.

“Meu menino morreu às 6h15. Se sobrevivesse ficaria vegetando. A Justiça deve ser feita. Mas isso é o que menos importa. Queríamos mesmo o Luiz aqui”, disse.

Procurada pela reportagem no dia 15, a família de Hudson não quis gravar entrevista. Por telefone, o irmão dele disse que ele estava jogando bola na quadra e o “menino” ficava dando pancadas de leve em Hudson.

“Ele foi invocado e foi tirar satisfação com o menino. Os meninos começaram a brigar, os dois. Aí, ele foi descendo para a sala de aula e o menino continuou falando. Ele pegou e chutou, mas não chutou com intenção de provocar o que ele provocou”, disse o irmão.

Histórico de agressividade

O estudante de 18 anos que foi preso tem histórico de comportamento agressivo, segundo a diretora do Instituto de Educação de Minas Gerais, em Belo Horizonte.

“Foram várias, muitas. Mais de 30. Agressões, comportamentos indesejados com colegas, falas, matando aula dentro de escola, né, e a gente buscando”, disse Alexandra Aparecida Morais, diretora do IEMG, sobre o histórico do suspeito, Hudson Rangel Gomes Rosa, de 18 anos.

Um registro da escola relata que Hudson “não tem compromissos com os estudos e é agressivo com as professoras”. Em outro relato, uma aluna reclama que foi agredida várias vezes pelo jovem.

O estudante ferido nunca se envolveu em brigas, de acordo com a direção do instituto.

O que diz a Secretaria de Educação

A Secretaria de Estado de Educação divulgou nota no fim da manhã afirmando que “recebeu com profundo pesar a notícia do falecimento do estudante do Instituto de Educação”. Segundo a secretaria, durante todo o período de internação, representantes da pasta e da direção da escola acompanharam a família e deram apoio necessário. A SEE disse que se colocou à disposição da família para conduzi-la a Minas Novas, onde será o velório, e a Turmalina, onde será o enterro.

Leia Mais Morre aluno agredido em escola estadual tradicional de Belo Horizonte

Publicado em 20 de novembro de 2018 por

Fabiane Fernandes de 32 anos não retornou da Prainha no domingo (18).Sem título

Equipes do Corpo de Bombeiros e agentes da Guarda Ambiental retomaram as buscas na manhã desta terça-feira (20) pela turista de Florianópolis (SC) desaparecida na trilha da Prainha, em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Rio. De acordo com os bombeiros, seis agentes militares fazem o trabalho de busca por terra e mar, com a ajuda de um bote. Fabiane Fernandes, de 32 anos, está desaparecida desde a tarde de domingo (18).

Equipes retornam com as buscas na manhã desta terça-feira (20) em Arraial do Cabo — Foto: Vinícius Santos | arquivo pessoalEquipes retornam com as buscas na manhã desta terça-feira (20) em Arraial do Cabo — Foto: Vinícius Santos | arquivo pessoal

O comandante do Corpo de Bombeiros, Marcelo Fidalgo, informou que um amigo que estava na cidade com a turista disse que ela postou uma foto nas redes sociais na manhã do domingo, por volta das 11h, e depois ficou incomunicável.

De acordo com o biólogo Vinícius Santos, que também trabalha como guia de trilhas na região, a imagem publicada pela turista diz “exercícios diários, trilha do Atalaia”, o que leva a entender que ela acreditava estar no Pontal do Atalaia.

Porém, a imagem mostra as trilhas da Prainha, no bairro de mesmo nome. Segundo o biólogo, isso reforça que Fabiane não conhecia o local. Ele ainda destacou o risco de fazer trilhas em locais desconhecidos desacompanhados.

Turista de Florianópolis postou foto de trilha antes de desaparecer — Foto: Reprodução | Redes SociaisTurista de Florianópolis postou foto de trilha antes de desaparecer — Foto: Reprodução | Redes Sociais

Buscas foram interrompidas na segunda-feira (19)

As buscas pela turista foram interrompidas nesta segunda-feira (19) por conta da chuva e da falta de iluminação.

Equipes de buscas desta segunda-feira (19) — Foto: Vinícius Santos | arquivo pessoalEquipes de buscas desta segunda-feira (19) — Foto: Vinícius Santos | arquivo pessoal

 

Leia Mais Equipes de resgate retomam buscas a turista desaparecida em trilha de Arraial do Cabo, no RJ

Publicado em 20 de novembro de 2018 por

Vanclécio foi encontrado por familiares da vítima que estavam indo para o velório da jovem. Ele foi preso por policiais da Delegacia de Homicídios.

Vanclécio Carneiro foi capturado por familiares da vítima, que o seguraram e chamaram a polícia — Foto: Redes sociaisVanclécio Carneiro foi capturado por familiares da vítima, que o seguraram e chamaram a polícia — Foto: Redes sociais

A Polícia Civil prendeu na manhã desta terça-feira (20) Vanclécio Cordeiro, suspeito de matar a ex-mulher, Fernanda Siqueira, com facadas no peito em uma rua em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio, no último domingo (18). Ele foi detido no bairro Colégio.

Vanclécio foi capturado por familiares da vítima que estavam indo para o velório da jovem. Eles o perseguiram, o seguraram e chamaram a polícia. Agentes do 9º Batalhão (Honório Gurgel). A informação da prisão também foi confirmada pela Delegacia de Homicídios (DH). Na segunda (19), a Justiça havia decretado a prisão temporária.

“Eu, meu irmão e meu filho o avistamos andando na rua tranquilamente, como se nada tivesse acontecido. Nós paramos o carro e saímos correndo atrás dele. Quando eu cheguei, ele estava escondido embaixo de um carro. Chamei a polícia. A primeira coisa que ele falou quando o pegamos foi: ‘como é que ela está?’ A primeira pergunta que ele fez: ‘Como ela está? Eu não queria fazer isso, como é que ela está?’. É um conforto para família saber que ele está preso e que agora a justiça vai ser feita” destacou Orlando Nunes, primo de Fernanda, que ajudou a capturar Vanclécio.

Policiais da DH afirmaram que, durante a prisão, ele confirmou o assassinato.

Vanclécio foi preso no bairro Colégio, no Rio de Janeiro. — Foto: Divulgação/ PMERJVanclécio foi preso no bairro Colégio, no Rio de Janeiro. — Foto: Divulgação/ PMERJ

Segundo familiares que assistiram ao crime, ele tentou fugir do local de carro, mas perdeu a direção e chegou a invadir uma pista do BRT. Em seguida, Vanclécio fugiu a pé e deixou o celular para trás. Uma tia de Fernanda contou como foi que ele atacou a sobrinha.

“Ele começou a beber, do nada e veio. Ela disse: tia, ele tá com uma cara feia, quando eu fui olhar, assim, foi tão rápido. Ela correu, eu fui atrás dela. Aí, ela estava cheia de sangue, ela me abraçou, e começou já a desfalecer. A gente botou ela na cadeira, fiquei toda cheia de sangue, fiquei com ela abraçada”, contou Jane de Souza.

O corpo de Fernanda Siqueira está sendo velado na manhã desta terça no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio.

Corpo de Fernanda Siqueira é velado no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap — Foto: Pedro Figueiredo/ TV GloboCorpo de Fernanda Siqueira é velado no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap — Foto: Pedro Figueiredo/ TV Globo
Fernanda e Vanclécio em foto de março de 2017 — Foto: Reprodução/Redes sociaisFernanda e Vanclécio em foto de março de 2017 — Foto: Reprodução/Redes sociais

Leia Mais Suspeito de matar ex-mulher no Rio é pego por familiares da vítima

Publicado em 19 de novembro de 2018 por

Antônia Conceição da Silva foi assassinada na madrugada de sábado (17) em Feira Nova do Maranhão.

Antônia Conceição da Silva, de 106 anos, foi morta a pauladas dentro da sua residência em Feira Nova do Maranhão — Foto: DivulgaçãoAntônia Conceição da Silva, de 106 anos, foi morta a pauladas dentro da sua residência em Feira Nova do Maranhão — Foto: Divulgação

A polícia do Maranhão acredita que a idosa Antônia Conceição da Silva, de 106 anos, tenha sido vítima de latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Segundo o delegado Regional de Balsas, Fagno Vieira, que está à frente do caso, disse que o valor de R$ 30 desapareceu da residência da vítima após a sua morte. Antônia Conceição foi assassinada a pauladas na madrugada de sábado (17) na cidade de Feira Nova do Maranhão, a 783 km de São Luís.

“Nós iniciamos as investigações desde o sábado, quando ocorreu o crime, e pelas características do que já apuramos a hipótese mais contundente é de que estamos diante de um latrocínio, pois houve a subtração de um porta-moeda com cerca de R$ 30,00”, revelou o delegado Fagno Vieira.

O delegado informou ainda que nesta segunda-feira (19) oito pessoas, entre familiares e vizinhos da vítima, serão ouvidas na delegacia de Feira Nova do Maranhão. “Hoje eu me deslocarei para Feira Nova e lá eu vou interrogar pessoas da família da dona Antônia e também alguns vizinhos para saber o que ocorreu nos dois últimos dias antes do crime. Nós já confirmamos, até o momento, o depoimento de oito pessoas”.

Fagno Vieira acredita que a morte da idosa tenha sido causada apenas por uma pessoa, já que foram encontradas pegadas de um indivíduo na residência dela. Ele acrescenta que não descarta a possibilidade dela ter sido morta por alguém que estava frequentando uma festa que ocorria próximo de onde ela morava.

“Tudo indica que foi só uma pessoa que matou ela porque durante a perícia feita no local do crime nós encontramos apenas uma pegada de sangue na parede da casa. No dia da morte dela estava acontecendo uma festa e por acreditarmos que este indivíduo sabia da vulnerabilidade da vítima aproveitou o momento que tinham muitas pessoas na festa e que ela estava sozinha para cometer o crime”, relatou o delegado.

O delegado Fagno Vieira pontua que até o fim desta semana a polícia já tenha novidades sobre o caso, mas conta que, por enquanto, nada será levado a público para não atrapalhar as investigações. “Eu acredito que a gente vá ter novidades até o fim desta semana, mas a gente prefere não divulgar para não atrapalhar no andamento das nossas investigações”, finalizou.

Leia Mais Idosa de 106 pode ter sido morta a pauladas por causa de R$ 30, diz polícia