Publicado em 17 de outubro de 2018 por

Resgate aconteceu no Canal do Porto de Santos, em Guarujá, no litoral paulista. ‘Kiko’, de 13 anos, não sofreu nenhum ferimento.

Cão é resgatado do mar em Guarujá, SP — Foto: ReproduçãoCão é resgatado do mar em Guarujá, SP — Foto: Reprodução

Um cachorro foi resgatado de dentro do Canal do Porto de Santos, no litoral paulista, horas depois de fugir de casa. Ele acabou caindo no mar após, sem rumo, invadir o terminal da travessia de passageiros entre Santos e Guarujá. O registro da ação foi obtido na manhã desta quarta-feira (17). Ninguém se feriu durante o resgate do animal.

O acidente ocorreu no último fim de semana. Voltando do trabalho, o garçom Paulo Roberto, de 28 anos, viu uma movimentação estranha no mar. Ele estava na barca, ao lado de outros passageiros, quando percebeu que o cachorro, identificado como ‘Kiko’, se afogava. “Quando olhei, já o vi na água. As pessoas o chamavam, tentando atrair, mas ele não saía do lugar”, explica.

O cachorro estava a cerca de dez metros do atracadouro. Ao chegar no Ferry Boat, Roberto pulou no mar. “Funcionários da barquinha me disseram para não pular, mas fui o primeiro a tomar a iniciativa. Eu não ia deixá-lo se afogar”, explica. Em menos de cinco minutos, o garçom conseguiu alcançá-lo e levá-lo de volta para terra firme, ato assistido por outros passageiros da embarcação.

Enquanto isso, os proprietários do cãozinho estavam aflitos. Jaqueline Cardoso, de 25 anos, já havia publicado nas redes sociais o sumiço do animal de estimação, que fugiu no momento em que o pai abriu o portão para lavar o carro. “Achamos que ele saiu na tentativa de procurar minha mãe, que está viajando, pois ele nunca foi de fazer isso”, explica.

Aos 13 anos, com pouca audição e catarata, Kiko foi resgatado no Canal do Porto de Santos — Foto: Jaqueline Cardoso/Arquivo PessoalAos 13 anos, com pouca audição e catarata, Kiko foi resgatado no Canal do Porto de Santos — Foto: Jaqueline Cardoso/Arquivo Pessoal

Moradora do bairro Santo Antônio, ela ficou surpresa ao receber o vídeo do resgate no Ferry Boat, que fica a pouco mais de dois quilômetros de distância da casa. “Tomei um susto, não esperava que ele tivesse ido tão longe, e nem caído no mar. Fui com o meu pai até o terminal, mas, algumas ruas antes, já o encontramos e recuperamos”, conta.

Aos 13 anos, ‘Kiko’ já não ouve direito e enxerga mal, devido a uma catarata. Apesar do susto, tê-lo de volta foi um alívio. “Nos preocupamos bastante, mas fiquei muito alivada e grata pelo que o rapaz fez. Se ele não tivesse tomado aquela atitude, muito provavelmente o ‘Kiko’ teria se afogado”, diz Jaqueline.

Já para Roberto, que sequer imaginava a repercussão que o salvamento teria, o ato foi instintivo e, em nenhum momento, ele pensou que poderia ter alguma coisa em troca. “Não me sinto herói. Para mim, foi normal. Já atuei como guarda-vidas, e ele foi só mais uma que salvei, como tantas outras vidas. Fico feliz que tenha dado certo”, finaliza.

Aos 13 anos, com pouca audição e catarata, Kiko foi resgatado no Canal do Porto de Santos — Foto: Jaqueline Cardoso/Arquivo PessoalAos 13 anos, com pouca audição e catarata, Kiko foi resgatado no Canal do Porto de Santos — Foto: Jaqueline Cardoso/Arquivo Pessoal

Leia Mais Homem se arrisca e pula no mar para salvar cão de afogamento em SP

Publicado em 19 de setembro de 2018 por

Roedores podem transmitir, por meio da urina, a leptospirose. Animais são atraídos pelo acúmulo de lixo, outro problema recorrente no Hospital Regional de Araguaína.

Rato adulto carregava filhote na boca — Foto: DivulgaçãoRato adulto carregava filhote na boca — Foto: Divulgação

Imagens de ratos no Hospital Regional de Araguaína deixaram pacientes e moradores da cidade preocupados. A suspeita é de que os roedores foram atraídos pelo lixo deixado no local. O responsável pelo setor de Vigilância em Saúde e Segurança do Hospital de Doenças Tropicais em Araguaína, Jader José Silva, disse que a presença dos roedores em ambiente hospitalar gera riscos e pode provocar doenças graves. 

“A urina do rato provoca uma doença grave chamada leptospirose. Se as pessoas circulam onde têm ratos, a mão pode entrar em contato com o solo, isso pode ser absorvido pela pele e a pessoa pode desenvolver essa doença grave. Pode contaminar material, alimentos, água. Para uma área hospitalar, isso é muito grave”, explicou.

As fotos divulgadas nesta terça-feira (18) foram enviadas por acompanhantes de pacientes. “Quando ligou a luz, eles se espantaram e correu uma manada de rato. Muito rato mesmo. Eu contei mais de 10 ratos correndo”, disse um paciente da unidade.

Jader José disse que o acúmulo de lixo atrai os animais. O problema é frequente no hospital. Em junho desse ano, o G1 publicou vídeo e fotos que mostraram pacientes ao lado de sacolas de lixo acumuladas nos corredores. Do lado de fora da unidade, foi registrada uma pilha gigante de lixo, que não estava sendo recolhido há dias.

“Onde tiver roedores, baratas, insetos, seja o que for, em contato com o lixo hospitalar, principalmente, vai disseminar isso para o hospital. Se as pessoas têm contato com esse lixo, elas vão levar isso nas suas sandálias, sapatos para dentro do hospital. A disseminação acaba acontecendo muito mais rápida. Isso pode provocar muitos danos ao hospital, não só financeiro. O paciente vai passar muito mais tempo para se recuperar e pode levar à morte”.

A Secretaria Estadual da Saúde disse que vai convocar as empresas que prestam o serviço para uma ação emergencial de limpeza e que o serviço de combate à praga é feito normalmente nos hospitais do estado.

Leia Mais Ratos em hospital preocupam e especialista alerta para o risco de transmissão de doença

Publicado em 19 de setembro de 2018 por

Minutos antes, Globocop mostrou criminosos com fuzis em base numa das principais avenidas da comunidade. Polícia está no local.

Motoristas tentam voltar pela contramão na Linha Amarela, no Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/ TV GloboMotoristas tentam voltar pela contramão na Linha Amarela, no Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/ TV Globo

Confronto entre policiais e criminosos da Cidade de Deus parou a Linha Amarela, uma das principais vias expressas do Rio, na manhã desta quarta-feira. Diante do barulho de tiros, motoristas deram ré e voltaram na contramão da via. O trânsito na região estava mais pesado que o normal porque outra operação interditava, na hora, a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá.

As duas vias são as principais ligações da Zona Oeste do Rio ao Centro da cidade.

O tumulto na Linha Amarela começou por volta das 7h, quando policiais do 18º BPM, em patrulhamento de rotina, foram atacados a tiros por criminosos. Houve confronto, ainda sem registro de feridos.

Diante do tiroteio, veículos no sentido Ilha do Fundão pararam na altura da Estrada do Gabinal. Alguns manobraram na pista, e uma fila de carros começou a avançar na contramão, furando o trânsito.

Às 7h30, não havia mais retenção no ponto do confronto, mas carros continuavam avançando na contramão.

Às 7h45, havia congestionamento na Linha Amarela, sentido Fundão, entre a Av. Ayrton Senna e o Túnel da Covanca. As estradas do Pau-Ferro, do Tindiba e dos Três Rios, a Av. Geremário Dantas e a Rua Araguaia também apresentavam lentidão.

Motoristas voltam na contramão na Linha Amarela, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV GloboMotoristas voltam na contramão na Linha Amarela, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Minutos antes, imagens feitas pelo Globocop mostraram criminosos com fuzis em uma base na Avenida Cidade de Deus, uma das principais do bairro.

Globocop flagrou homem com fuzil em ponto de venda de drogas na Cidade de Deus — Foto: Reprodução/ TV GloboGlobocop flagrou homem com fuzil em ponto de venda de drogas na Cidade de Deus — Foto: Reprodução/ TV

Leia Mais Tiroteio na Cidade de Deus assusta motoristas, e carros voltam na contramão na Linha Amarela

Publicado em 3 de setembro de 2018 por

Ainda não há informações sobre as causas do fogo; ninguém se feriu, mas a maior parte do acervo foi destruída. Instituição tem 200 anos de história e foi residência de um rei e dois imperadores.

Foto mostra a tentativa de conter o incêndio no Museu Nacional no Rio de Janeiro (Foto: Reuters/Ricardo Moraes)Foto mostra a tentativa de conter o incêndio no Museu Nacional no Rio de Janeiro (Foto: Reuters/Ricardo Moraes)

Um incêndio de grandes proporções destruiu o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, Zona Norte do Rio. O fogo começou por volta das 19h30 deste domingo (2) e foi controlado no fim da madrugada desta segunda-feira (3). Mas pequenos focos de fogo seguiam queimando partes das instalações da instituição que completou 200 anos em 2018 e já foi residência de um rei e dois imperadores.

A maior parte do acervo, de cerca de 20 milhões de itens, foi totalmente destruída. Fósseis, múmias, registros históricos e obras de arte viraram cinzas. Pedaços de documentos queimados foram parar em vários bairros da cidade. Segundo a assessoria de imprensa do museu e o Corpo de Bombeiros, não há feridos. Apenas quatro vigilantes estavam no local, mas eles conseguiram sair a tempo.

As causas do fogo, que começou após o fechamento para a visitantes, serão investigadas. A Polícia Civil abriu inquérito e repassará o caso para que seja conduzido pela Delegacia de Repressão a Crimes de Meio Ambiente e Patrimônio Histórico, da Polícia Federal, que irá apurar se o incêndio foi criminoso ou não.

Leia Mais Incêndio de grandes proporções destrói o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista

Publicado em 31 de agosto de 2018 por

momo-og

Duas adolescentes de 13 e 14 anos foram internadas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Boa Vista, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, supostamente após participarem do desafio da Boneca Momo.
Segundo a mãe de uma das vítimas, as adolescentes estavam com vários cortes nos pulsos e no ombro. A mãe de uma delas relatou que a filha utilizava casacos de mangas longas e que não percebeu comportamentos estranhos.

As famílias encontraram mensagens e vídeos trocados nos celulares das jovens, que apontavam a participação delas no desafio. Elas chegaram a desmaiar na sala da escola em que estudam, que faz parte da rede municipal da cidade.
De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde, as adolescentes foram atendidas após ingerirem uma grande quantidade do medicamento diazepam. A pasta informou ainda que está dando toda assistência às adolescentes, que serão encaminhadas à Unidade Infanto-Juvenil para acompanhamento psicológico. As jovens passaram por uma lavagem estomacal e devem receber alta ainda nesta sexta-feira (31).

Desafio da Boneca Momo

Semelhante ao desafio da Baleia azul, o jogo da Boneca Momo consiste em diversos desafios que levam crianças e adolescentes a se auto mutilarem e até cometerem suicídio. O “tutor” do desafio fazia exigências a partir da construção de terror psicológico, chamando as adolescentes de “fracas”.

Leia Mais Adolescentes são internadas após participarem do desafio da Boneca Momo em Caruaru

Publicado em 28 de agosto de 2018 por

Voo decolou de Boa Vista por volta das 10h40 desta terça-feira (28).

Venezuelanos embarcam em avião da FAB rumo a outros três estados no 7º voo de interiorização (Foto: Alan Chaves/G1 RR)Venezuelanos embarcam em avião da FAB rumo a outros três estados no 7º voo de interiorização (Foto: Alan Chaves/G1 RR)

m avião da Força Aérea Brasileira (FAB) levou nesta terça-feira (28) mais 187 venezuelanos de Roraima a outros três estados: Amazonas, Paraíba e São Paulo.

A ação ocorre dez dias após o último episódio de violênciaenvolvendo brasileiros e venezuelanos na cidade de Pacaraima, na fronteira com o país vizinho.

O embarque foi no Aeroporto Internacional de Boa Vista e o voo decolou por volta das 10h40 (hora de Brasília). Os refugiados irão para as cidades de Manaus (65), São Paulo (53) e João Pessoa (69). Lá eles irão ficar em abrigos, onde podem morar por até três meses.

Os venezuelanos que aceitaram participar da interiorização foram vacinados, submetidos a exame de saúde e regularizados no Brasil com CPF e Carteira de Trabalho, informou a Casa Civil.

Este já é o sétimo voo da FAB que leva venezuelanos para outros estados. Com isso, o número de pessoas levadas no processo de interiorização, que começou em abril, ultrapassa 1 mil. Até então eram 820. Não há dados que comprovem quantos venezuelanos saíram de RR por conta própria.

Leia Mais Mais 187 venezuelanos são transferidos de Roraima a outros 3 estados

Publicado em 27 de agosto de 2018 por

Elas relataram que tentaram chamar operador, mas ele não as ouviu. Mariane e Tatiele teriam dado as mãos com medo de cair.

Mariane, Talia, Tatiele e Isabela se feriram em acidente com brinquedo em parque de diversões de Ceres (Foto: Reprodução/Arquivo pessoal)Mariane, Talia, Tatiele e Isabela se feriram em acidente com brinquedo em parque de diversões de Ceres (Foto: Reprodução/Arquivo pessoal)

Duas das quatro adolescentes que se feriram após serem arremessadas do brinquedo Surf em um parque de diversões em Ceres, na região central do estado, disseram às mães que não sentiram a barra de segurança travada depois que o brinquedo começou a funcionar. Segundo relato de Tatiele Carvalho Evangelista e Mariane Oliveira Dias, ambas de 16 anos, elas deram as mãos uma para a outra e sentiram medo.

G1 tentou contato, por telefone, com o responsável pelo parque, mas as ligações feitas entre 20h40 e 21h10 de domingo, e às 5h50 desta segunda-feira (27) não foram atendidas. Uma equipe da TV Anhanguera apurou que, segundo os administradores, o parque possui todos os alvarás de funcionamento, o brinquedo tem um ano de uso e recebe manutenção diária.

“Ela [Tatiele] disse que desde que entrou no brinquedo com a Mariane e mais duas adolescentes a barra desceu, mas não travou. Ela percebeu que não tinha travado. Gritaram que estava solto, mas o operador não escutava. Seguraram na barra e sentiram que estava caindo. Ela disse que pediu para o colega segurar forte na barra para não deixar a barra sair”, contou a empresária e mãe de Tatiele, Tatiane Agnes de Carvalho Evangelista, de 36 anos.

Quatro adolescente ficaram feridas ao serem lançadas de brinquedo em parque em GoiásQuatro adolescente ficaram feridas ao serem lançadas de brinquedo em parque em Goiás

Leia Mais Duas adolescentes arremessadas de brinquedo em Ceres não sentiram barra de segurança travar, dizem mães

Publicado em 27 de agosto de 2018 por

Mulheres de 23 e 19 anos foram mortas a tiros. Corpos foram encontrados na zona rural do município na manhã deste sábado (25).

Keylla (à esquerda) e Marcela (à esquerda) foram encontradas mortas em engenho na zona rural de Ipojuca (Foto: Reprodução/Internet)Keylla (à esquerda) e Marcela (à direita) foram encontradas mortas em engenho na zona rural de Ipojuca (Foto: Reprodução/Internet)

Duas jovens foram encontradas mortas na zona rural do município de Ipojuca, no Grande Recife, na manhã deste sábado (25). Segundo a Polícia Civil, os corpos de Marcela Maria da Silva, de 19 anos, e Keyla Márcia de Araújo França, de 23 anos, estavam na PE-042, em uma localidade conhecida como Engenho Maranhão, no distrito de Nossa Senhora do Ó

As vítimas foram mortas a tiros. Testemunhas informaram que, na sexta-feira (24), um carro entrou no engenho e, logo em seguida, disparos de arma de fogo foram ouvidos. O caso é investigado pelo delegado Jorge Ferreira, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil.

Durante a tarde, as famílias das duas jovens foram ao Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, no Centro do Recife. Os parentes delas disseram que as jovens foram vistas pela última vez na sexta-feira (24) e não eram consideradas desaparecidas desde então.

Leia Mais Duas jovens são encontradas mortas na zona rural de Ipojuca, no Grande Recife

Publicado em 22 de agosto de 2018 por

Ele disse que é preciso dar “mais condições” para a atuação de militares. Presidenciável também participou de evento em Botafogo.

Bolsonaro vai a enterro de militar morto em operação (Foto: AP Photo/Leo Correa )Bolsonaro vai a enterro de militar morto em operação (Foto: AP Photo/Leo Correa )

O candidato do PSL à Presidência da República nas eleições 2018, Jair Bolsonaro, esteve na tarde desta terça-feira (21) no enterro do cabo Fabiano de Oliveira dos Santos, de 36 anos, o primeiro militar morto na atual intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro. O enterro aconteceu no Cemitério de Japeri, na Baixada Fluminense.

Fabiano morreu após ser atingido no ombro por disparo na localidade conhecida como Serra da Misericórdia, no Complexo do Alemão, durante operação das forças de segurança na segunda-feira (20). Outro militar, o soldado João Viktor da Silva, de 21 anos, também morreu nesta segunda e foi enterrado no mesmo local.

O deputado entrou no Cemitério no momento em que militares bloqueavam a entrada do local impedindo o acesso de jornalistas. Ao sair do cemitério, Bolsonaro disse que o momento era de “consternação” pela perda do cabo.

Bolsonaro afirmou que é preciso dar “mais condições” aos soldados. “Não sou presidente. Se for, o soldado só age se tiver segurança jurídica”, afirmou Bolsonaro, antes de ir para um evento na praia de Botafogo.

À tarde, o candidato também participou em um evento em Botafogo, na Zona Sul do Rio. Ele explicou que, no cemitério, encontrou o pai do cabo Santos, Jorge, que serviu na Brigada Pára-quedista quando o candidato estava nas Forças Armadas.

“Estamos em guerra. E na guerra, na prática, os dois lados podem atirar. Se acontecer, se atiramos, dificilmente, nos livramos de uma auditoria militar. E se não atira, geralmente, acontece isso aí”, afirmou o candidato do PSL, acrescentando que defende que os militares e policiais tenham uma retaguarda jurídica para ocasiões de confrontos com criminosos.

Durante a passagem por Botafogo, Bolsonaro abriu uma conta bancária em uma agência dentro de um shopping para movimentar dinheiro da campanha, uma exigência da Lei Eleitoral. O candidato tirou fotos com lojistas e simpatizantes e, ao andar pela Praia de Botafogo.

Leia Mais Bolsonaro afirma que é preciso dar mais condições para a atuação de militares.

Publicado em 21 de agosto de 2018 por

Ele disse que é preciso dar “mais condições” para a atuação de militares. Presidenciável também participou de evento em Botafogo.

Bolsonaro chega ao Cemitério de Japeri, na Baixada Fluminense (Foto: Henrique Coelho/G1)Bolsonaro chega ao Cemitério de Japeri, na Baixada Fluminense (Foto: Henrique Coelho/G1)

O candidato do PSL à presidência da República, Jair Bolsonaro nas eleições 2018, esteve na tarde desta terça-feira (21) no enterro do cabo Fabiano de Oliveira dos Santos, de 36 anos, o primeiro militar morto na atual intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro. O enterro aconteceu no Cemitério de Japeri, na Baixada Fluminense.

Fabiano morreu após ser atingido no ombro por disparo na localidade conhecida como Serra da Misericórdia, no Complexo do Alemão, durante operação das forças de segurança na segunda-feira (20). Outro militar, o soldado João Viktor da Silva, de 21 anos, também morreu nesta segunda e foi enterrado no mesmo local.

O deputado entrou no Cemitério no momento em que militares bloqueavam a entrada do local impedindo o acesso de jornalistas. Ao sair do cemitério, Bolsonaro disse que o momento era de “consternação” pela perda do cabo.

Bolsonaro afirmou que é preciso dar “mais condições” aos soldados. “Não sou presidente. Se for, o soldado só age se tiver segurança jurídica”, afirmou Bolsonaro, antes de ir para um evento na praia de Botafogo.

À tarde, o candidato também participou em um evento em Botafogo, na Zona Sul do Rio.

Leia Mais Bolsonaro vai a enterro de militar morto em operação no Complexo do Alemão

Publicado em 21 de agosto de 2018 por

Grupo de 25 indígenas que vivia em abrigo público retornou a Venezuela no início da tarde. Volta ao país de origem foi motivada por medo que brasileiros voltem a atacar imigrantes, como ocorreu no sábado (18).

Indígenas Warao colocam os pertences em ônibus do governo venezuelano para irem embora de Pacaraima, em Roraima (Foto: Alan Chaves/G1 RR)Indígenas Warao colocam os pertences em ônibus do governo venezuelano para irem embora de Pacaraima, em Roraima (Foto: Alan Chaves/G1 RR)

Indígenas venezuelanos Warao que viviam no abrigo público de Pacaraima, na fronteira, saíram do local nesta terça-feira (21) e voltaram para a Venezuela. Dois ônibus com 25 pessoas deixaram o lugar no início da tarde. Eles decidiram voltar para o país por medo após brasileiros atacarem venezuelanos no último sábado (18).

Os indígenas seguem viagem até a região de Tucupita, onde vive a maioria dos nativos Warao. A venezuelana Coro Montoanguri chegou a Pacaraima no dia do conflito na fronteira e presenciou tudo de perto. Com medo, ela decidiu retornar a Venezuela.

“Vamos voltar porque sentimos muito medo. Cheguei no sábado, vi tudo o que aconteceu e estou amedrontada”, disse.

A secretária-adjunta de Políticas Internacionais de Roraima, Fátima Araújo, acompanhou o embarque do grupo e disse que a ida deles embora do Brasil foi um pedido dos próprios indígenas.

Leia Mais Índios venezuelanos deixam abrigo e vão embora do Brasil após ataque na fronteira: ‘temos medo’

Publicado em 20 de agosto de 2018 por
 Desde a última quarta-feira (15) a Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe recomeçou o asfaltamento das ruas do Centro do município. Os recursos são oriundos do Ministério das Cidades que totalizam quase 10 milhões de reais e irão servir para asfaltar mais de 45 ruas e avenidas.
As ruas José Pereira Neto e José Moraes da Silva no Centro, estão recebendo a pavimentação asfáltica. A ação é estratégica porque nas vias contam com pontos de referências de várias instituições como a sede da Guarda Civil Municipal, Cartório Civil e cruza com a Câmara Municipal de Vereadores.
A ação dessas ruas contempla ainda mais o centro comercial do município que já recebeu asfalto nas ruas Cabo Otávio Aragão, Siqueira Campos, Amaro Manoel, Boaventura Galdino, São Miguel e Padre Estima. As avenidas
Biu de Deda e Padre Zuzinha, e as Travessas Neci de Melo e Sete de Setembro também receberam investimentos.
Os recursos destinados a essas duas ruas totalizam em torno de 186 mil reais. A Rua José Pereira Neto teve um custo de aproximadamente R$ 81 mil e a Rua José Moraes da Silva com 105 mil reais.

 “São ações que tem recebido investimentos através do Ministério das Cidades e vem sendo executado graças ao nosso comprometimento na melhoria da qualidade de vida do nosso povo. Essas vias são importantes porque contém um grande fluxo de pessoas e veículos, além de repartições públicas”, disse o prefeito Edson Vieira.

 As ruas estão recebendo a primeira camada, posteriormente, a segunda e última camada será implantada, finalizando definitivamente as obras dos locais.

Leia Mais Asfalto das ruas do Centro de Santa Cruz do Capibaribe seguem em ritmo acelerado

Publicado em 20 de agosto de 2018 por

1 (7)

Pelo menos duas pessoas morreram no início da manhã desta segunda-feira (20) em um acidente na BR-104 nas proximidades de Vila do Socorro na zona rural do município de Taquaritinga do Norte, Agreste Setentrional de Pernambuco.  Segundo informações repassadas para nossa reportagem, o acidente aconteceu quando um automóvel Fiat Palio de cor prata e placas KHZ-5712 colidiu frontalmente com um caminhão Caçamba Volvo/VM 260 de cor branca da empresa SVC Construtora Ltda. Responsável pelas obras de duplicação da PE-160.

 As equipes do SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – das cidades de Santa Cruz do Capibaribe e Toritama chegaram a ser acionadas juntamente com o Corpo de Bombeiros Militar para atender a ocorrência que durou cerca de três horas para o resgate das vítimas que estavam no carro de passeio.

WhatsApp-Image-2018-08-20-at-10.08.32

Leia Mais Acidente deixa duas pessoas mortas e duas feridas na BR-104 em Taquaritinga do Norte.

Publicado em 20 de agosto de 2018 por

Acidente deixou 43 mortos. Causa ainda é investigada.

Câmera de segurança registra momento da queda de ponte em Gênova

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que a ponte Morandi caiu na semana passada em Gênova, na Itália.

Assista ao vídeo acima.

O número de pessoas mortas no acidente chegou a 43 no último sábado (18). Neste mesmo dia, foi realizado o funeral público e coletivo de 19 vítimas. As famílias das outras vítimas não quiseram participar em protesto pela tragédia. As investigações já começaram e devem durar meses até que peritos estabeleçam as causas do desastre.

Uma das principais hipóteses é a vulnerabilidade da infraestrutura e do material usado para a construção, o concreto armado. O material se degrada ao longo do tempo, além de precisar de uma frequente e custosa manutenção.

A ponte foi construída na década de 1960, projetada pelo engenheiro Riccardo Morandi, durante uma das épocas de maior crescimento econômico da Itália. Segundo a rede de televisão italiana RAI, Morandi alertou para a corrosão em um relatório 12 anos depois da inauguração da ponte. À época, o engenheiro disse que já se sabia sobre uma “perda de resistência química superficial do concreto” por causa da maresia e da poluição de uma usina siderúrgica perto dali.

Leia Mais Câmeras de segurança registraram queda da ponte em Gênova

Publicado em 17 de agosto de 2018 por

Neste sábado (18) mais de 36 mil postos de vacinação estarão abertos para o dia de mobilização nacional.

Dia 'D' de vacinação contra pólio e sarampo será neste sábado  (Foto: Prefeitura de Jundiaí/Divulgação)Dia ‘D’ de vacinação contra pólio e sarampo será neste sábado (Foto: Prefeitura de Jundiaí/Divulgação)

Só 16% do público-alvo da campanha nacional de vacinação contra poliomelite e sarampo foi imunizado, segundo o Ministério da Saúde. A campanha começou no dia 6 de agosto. Neste sábado (18) mais de 36 mil postos de vacinação em todo o país estarão abertos para o Dia D de mobilização nacional.

A campanha tem por objetivos:

  • Vacinar quem nunca tomou a vacina;
  • Completar todo o esquema de vacinação de quem não tomou todas as vacinas;
  • Dar uma dose de reforço para quem já se vacinou completamente (ou seja, tomou todas as doses necessárias à proteção).

A meta é vacinar 11 milhões de crianças entre 1 e 5 anos até o dia 31 de agosto. Segundo o Ministério da Saúde, São Paulo é um dos estados com melhor cobertura vacinal, mesmo assim só 40% das crianças foram imunizadas. No Amazonas, onde a situação é crítica e há 910 casos registrados de sarampo, só 3% das crianças foram vacinadas.

O infectologista Jean Gorinchteyn afirma que o baixo índice de imunização é preocupante. “Para que a população infantil esteja protegida é necessário que haja uma meta de 95% de vacinação desse grupo. Menos do que isso nós ainda teremos risco de ter crianças doentes.”

Leia Mais Só 16% das crianças foram vacinadas contra sarampo e poliomelite