Publicado em 20 de setembro de 2018 por
Publicado em 19 de setembro de 2018 por

Fear’ teve 900 mil cópias vendidas apenas no dia de seu lançamento, e é o melhor início já registrado por sua editora. Livro escrito por jornalista que ajudou a revelar caso Watergate, que derrubou Nixon, já teve sua décima impressão encomendada.

Capa do livro ‘Fear: Trump in the White House’, de Bob Woodward — Foto: Simon & Schuster via APCapa do livro ‘Fear: Trump in the White House’, de Bob Woodward — Foto: Simon & Schuster via AP

O livro do célebre jornalista americano Bob Woodward sobre o governo Trump, “Fear” (Medo), vendeu mais de 1,1 milhão de exemplares em sua primeira semana nas livarias, o melhor início já registrado por sua editora Simon and Schuster.

A cifra inclui as vendas de livros impressos, audiolivros e livros digitais, informou a editora, filial do grupo de mídia CBS, em comunicado.

Somente no dia 11 de setembro, quando foi lançado o livro , “Fear” vendeu 900 mil exemplares.

Woodward, o jornalista do “Washington Post” que, junto com Carl Bernstein, ajudou a revelar o escândalo Watergate que derrubou o presidente Richard Nixon em 1974, teve um sucesso maior que o livro “Fire and Fury”, de Michael Wolff, também sobre o governo Trump e com mais de 1 milhão de cópias vendidas na primeira semana.

A editora anunciou que já providenciou a 10ª impressão do livro, o que elevará a quantidade de cópias impressas a 1,2 milhão.

Leia Mais Livro de Bob Woodward sobre Trump vende 1,1 milhão de cópias em uma semana

Publicado em 19 de setembro de 2018 por

Informação foi confirmada ao G1 pelos familiares da vítima na noite desta terça-feira, 18. A modelo Mara Castro Monnarca concorreu ao Miss Pará 2012

Ex-miss é morta em Marituba, no Pará — Foto: Reprodução/FacebookEx-miss é morta em Marituba, no Pará — Foto: Reprodução/Facebook

O corpo da mulher encontrado nesta terça-feira (18), em Marituba, região metropolitana de Belém, é da modelo paraense Mara Castro Monnarca, 29, que concorreu em 2012 ao Miss Pará representando Mosqueiro, distrito de Belém. A informação foi confirmada por familiares da vítima.

Moradores avistaram o corpo em área de mata na comunidade Nova Jerusalém. A Polícia e o Instituto Médico Legal (IML) foram acionados.

O corpo da jovem passa por análises da necropsia e ainda não foi liberado pelo IML. A mãe da vítima, Rita da Conceição Castro, e a irmã, Meg da Conceição Castro, foram até o IML fazer o reconhecimento do corpo.

“A minha filha se meteu com um vagabundo. Eu acho que ele, lá da cadeia, mandou matar ela”, disse a mãe da vítima. Ainda segundo ela, o corpo será levado para Mosqueiro, para ser velado lá.

A vítima foi encontrada morta com perfurações no corpo e no pescoço — Foto: Reprodução/FacebookA vítima foi encontrada morta com perfurações no corpo e no pescoço — Foto: Reprodução/Facebook

De acordo com a Divisão de Homicídios (DH), Mara Castro Monnarca estava com perfurações pelo corpo e não havia sinais de estupro. A DH também informou que está levantando informações sobre o caso.

O caso deve ser investigado pela Seccional de Marituba e quem tiver informações que possam contribuir com o trabalho da polícia pode entrar em contato pelo Disque-Denúncia, no 181.

Leia Mais Corpo encontrado em Marituba, no PA, é de modelo e ex-miss, afirma mãe da vítima

Publicado em 19 de setembro de 2018 por

Leia Mais É melhor dormir com ou sem meias?

Publicado em 19 de setembro de 2018 por

Opulência exibida por presidente venezuelano contrasta com penúria enfrentada por seus conterrâneos.

Vídeo mostra o chef Salt Bae com Nicolás Maduro — Foto: Reprodução/Instagram/Nusr_etVídeo mostra o chef Salt Bae com Nicolás Maduro — Foto: Reprodução/Instagram/Nusr_et

Dois terços dos venezuelanos perderam em média 11 quilos no último ano, e a carne sumiu dos mercados, apesar do pacote econômico lançado recentemente pelo governo. Mas, em poucos minutos, a imagem do presidente Nicolás Maduro fartando-se com um churrasco servido pelo chef-celebridade Nusred Gokce em Istambul desmontou a sua tese, repetida exaustivamente em centenas de horas de discursos, de que o imperialismo norte-americano é principal o responsável pela penúria no país.

Com 16 milhões de seguidores no Instagram, o chef deletou o vídeo em que Maduro exibia seus hábitos opulentos, alternando o banquete com baforadas do melhor charuto cubano, retirado de uma caixa personalizada. Era tarde demais para conter a ira dos venezuelanos

A refeição nababesca de Maduro está na contramão da escassez de alimentos e remédios, que põe 87% da população na linha da pobreza, segundo pesquisa realizada por três universidades do país.

Com a maior reserva de petróleo do mundo, a Venezuela parou de produzir notícias boas e também índices oficiais. É um país em colapso, que oscila entre hiperinflação, desabastecimento e perseguição de opositores. No mês passado, o governo criou uma nova moeda, aumentou 35 vezes o salário mínimo e anunciou o corte de subsídios da gasolina. Mas as medidas se mostram ineficazes para reverter o cenário de ruína.

Consumidores examinam carne estragada, misturada à carne fresca, oferecida em Mercado em Maracaibo, na Venezuela, no dia 19 de agosto — Foto: AP Photo/Fernando LlanoConsumidores examinam carne estragada, misturada à carne fresca, oferecida em Mercado em Maracaibo, na Venezuela, no dia 19 de agosto — Foto: AP Photo/Fernando Llano

Num retrato estarrecedor da degradação do sistema de saúde, repórteres do “New York Times” testemunharam, num só dia, a morte de sete bebês. O relatório anual da revista científica “Lancet” revelou crescimento de 65% na mortalidade materna, de 30% na mortalidade infantil e surtos de doenças já erradicadas, como malária e sarampo.

Mais de 2,3 milhões fugiram desta realidade, em êxodo que a ONU compara ao fluxo de refugiados no Mediterrâneo em seu momento mais crítico. Sem opção, os que ficam fazem fila para comprar a carne estragada por frequentes apagões elétricos. Por isso, o banquete turco de Maduro provoca tanta indigestão em seus conterrâneos e deixa às claras o imperialismo chavista.

Leia Mais O indigesto banquete de Maduro

Publicado em 19 de setembro de 2018 por

Roedores podem transmitir, por meio da urina, a leptospirose. Animais são atraídos pelo acúmulo de lixo, outro problema recorrente no Hospital Regional de Araguaína.

Rato adulto carregava filhote na boca — Foto: DivulgaçãoRato adulto carregava filhote na boca — Foto: Divulgação

Imagens de ratos no Hospital Regional de Araguaína deixaram pacientes e moradores da cidade preocupados. A suspeita é de que os roedores foram atraídos pelo lixo deixado no local. O responsável pelo setor de Vigilância em Saúde e Segurança do Hospital de Doenças Tropicais em Araguaína, Jader José Silva, disse que a presença dos roedores em ambiente hospitalar gera riscos e pode provocar doenças graves. 

“A urina do rato provoca uma doença grave chamada leptospirose. Se as pessoas circulam onde têm ratos, a mão pode entrar em contato com o solo, isso pode ser absorvido pela pele e a pessoa pode desenvolver essa doença grave. Pode contaminar material, alimentos, água. Para uma área hospitalar, isso é muito grave”, explicou.

As fotos divulgadas nesta terça-feira (18) foram enviadas por acompanhantes de pacientes. “Quando ligou a luz, eles se espantaram e correu uma manada de rato. Muito rato mesmo. Eu contei mais de 10 ratos correndo”, disse um paciente da unidade.

Jader José disse que o acúmulo de lixo atrai os animais. O problema é frequente no hospital. Em junho desse ano, o G1 publicou vídeo e fotos que mostraram pacientes ao lado de sacolas de lixo acumuladas nos corredores. Do lado de fora da unidade, foi registrada uma pilha gigante de lixo, que não estava sendo recolhido há dias.

“Onde tiver roedores, baratas, insetos, seja o que for, em contato com o lixo hospitalar, principalmente, vai disseminar isso para o hospital. Se as pessoas têm contato com esse lixo, elas vão levar isso nas suas sandálias, sapatos para dentro do hospital. A disseminação acaba acontecendo muito mais rápida. Isso pode provocar muitos danos ao hospital, não só financeiro. O paciente vai passar muito mais tempo para se recuperar e pode levar à morte”.

A Secretaria Estadual da Saúde disse que vai convocar as empresas que prestam o serviço para uma ação emergencial de limpeza e que o serviço de combate à praga é feito normalmente nos hospitais do estado.

Leia Mais Ratos em hospital preocupam e especialista alerta para o risco de transmissão de doença

Publicado em 19 de setembro de 2018 por

Minutos antes, Globocop mostrou criminosos com fuzis em base numa das principais avenidas da comunidade. Polícia está no local.

Motoristas tentam voltar pela contramão na Linha Amarela, no Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/ TV GloboMotoristas tentam voltar pela contramão na Linha Amarela, no Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/ TV Globo

Confronto entre policiais e criminosos da Cidade de Deus parou a Linha Amarela, uma das principais vias expressas do Rio, na manhã desta quarta-feira. Diante do barulho de tiros, motoristas deram ré e voltaram na contramão da via. O trânsito na região estava mais pesado que o normal porque outra operação interditava, na hora, a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá.

As duas vias são as principais ligações da Zona Oeste do Rio ao Centro da cidade.

O tumulto na Linha Amarela começou por volta das 7h, quando policiais do 18º BPM, em patrulhamento de rotina, foram atacados a tiros por criminosos. Houve confronto, ainda sem registro de feridos.

Diante do tiroteio, veículos no sentido Ilha do Fundão pararam na altura da Estrada do Gabinal. Alguns manobraram na pista, e uma fila de carros começou a avançar na contramão, furando o trânsito.

Às 7h30, não havia mais retenção no ponto do confronto, mas carros continuavam avançando na contramão.

Às 7h45, havia congestionamento na Linha Amarela, sentido Fundão, entre a Av. Ayrton Senna e o Túnel da Covanca. As estradas do Pau-Ferro, do Tindiba e dos Três Rios, a Av. Geremário Dantas e a Rua Araguaia também apresentavam lentidão.

Motoristas voltam na contramão na Linha Amarela, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV GloboMotoristas voltam na contramão na Linha Amarela, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Minutos antes, imagens feitas pelo Globocop mostraram criminosos com fuzis em uma base na Avenida Cidade de Deus, uma das principais do bairro.

Globocop flagrou homem com fuzil em ponto de venda de drogas na Cidade de Deus — Foto: Reprodução/ TV GloboGlobocop flagrou homem com fuzil em ponto de venda de drogas na Cidade de Deus — Foto: Reprodução/ TV

Leia Mais Tiroteio na Cidade de Deus assusta motoristas, e carros voltam na contramão na Linha Amarela

Publicado em 15 de setembro de 2018 por
Publicado em 15 de setembro de 2018 por

Mais cedo, hospital havia informado que candidato à Presidência da República não tinha sinais de infecção. Ele levou uma facada no abdômen na última sexta-feira e passou por duas cirurgias.

bolsonaro-hospital-roger

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, fez fisioterapia nesta sexta-feira (14) e caminhou pelo quarto sem apresentar dor, segundo informou boletim médico divulgado pelo Hospital Israelita Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, na noite desta sexta-feira (14).

Bolsonaro está internado no Einstein desde o último sábado (9), um dia após ele sofrer ataque com facada no abdômen durante ato de campanha e passar por cirurgia em Juiz de Fora (MG).

Segundo o boletim, o candidato permanece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do centro médico “mantendo estabilidade clínica e sem complicações”. Ele também continua sem febre e sem outros sinais de infecção. “Por ordem médica, o paciente segue com visitas restritas e somente a pessoas autorizadas pela família”, completa o boletim.

Boletim médico de Jair Bolsonaro divulgado pelo Hospital Albert Einstein às 18h50 desta sexta-feira (14) — Foto: ReproduçãoBoletim médico de Jair Bolsonaro divulgado pelo Hospital Albert Einstein às 18h50 desta sexta-feira (14) — Foto: Reprodução

Nesta manhã, outro boletim divulgado pelo hospital informava que o candidato reiniciaria fisioterapia e que seguia sem febre ou sinais de infecção. O centro médico também havia informado que as condições clínicas de Bolsonaro eram “estáveis e sem complicações” e que a alimentação dele está sendo na veia.

Na noite de quarta (12), o presidenciável foi submetido a uma cirurgia de emergência para tratar uma obstrução no intestino delgado (veja como foi e assista a vídeo abaixo). O procedimento durou duas horas e, segundo os médicos, foi bem-sucedido.

Do hospital, Bolsonaro tem movimentado as suas redes sociais. Nesta manhã, ele publicou em sua conta no Twitter que o “Nordeste brasileiro tem grande potencial para produzir, gerar emprego, e prosperar.”

@jairbolsonaro

 Estivemos em Israel e vimos de perto o que eles não tem e o que eles são, mesmo no meio do deserto. O Nordeste brasileiro tem grande potencial para produzir, gerar empregos e prosperar, principalmente quando falamos em agricultura e energia limpa. É onde pretendemos avançar!

Cirurgia de quarta-feira

Na noite de quarta, o hospital Albert Einstein informou que Bolsonaro teve “distensão abdominal progressiva e náuseas”, e precisou passar por uma tomografia no abdômen. O exame identificou presença de aderência obstruindo o intestino delgado. Segundo o hospital, a solução do problema era cirúrgica.

Em uma das três perfurações sofridas no intestino delgado, formou-se uma fístula, um pequeno orifício, que provocou inflamação e gerou o quadro de aderência, que é uma obstrução intestinal.

De acordo com médicos especialistas, a aderência (ou a união de dois tecidos do corpo) ocorreu em decorrência da cicatrização interna em áreas que sofreram incisão cirúrgica, no caso, o procedimento realizado logo após a facada.

Jair Bolsonaro se recupera de cirurgia.

Leia Mais Bolsonaro faz fisioterapia e caminha sem dor, diz boletim médico

Publicado em 15 de setembro de 2018 por

No recurso, a defesa de Lula pediu que o Supremo considere inadequada a ordem de prisão porque o juiz não indicou os motivos para a necessidade de prender o ex-presidente.

Ministro Ricardo Lewandowski durante sessão da 2ª turma do STF — Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STFMinistro Ricardo Lewandowski durante sessão da 2ª turma do STF — Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu “vista” nesta sexta-feira (14) de um recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra a prisão após condenação em segunda instância – pedir vista, no jargão jurídico, significa que o ministro quer mais tempo para estudar o caso.

O julgamento do recurso estava sendo decidido no plenário virtual (no qual os ministros votam pelo computador). Com o pedido de Lewandowski, será transferido para o plenário físico, onde os ministros se reúnem presencialmente.

No plenário físico, o julgamento começará de novo – todos os ministros votarão, inclusive os que já tinham se posicionado no plenário virtual. Estes poderão manter ou modificar o voto.

Antes do pedido de vista, o placar estava 7 a 1 contra o recurso. Se no novo julgamento o recurso for aceito, Lula, preso desde abril em Curitiba, ganha liberdade.

Quem determinará a data do novo julgamento é o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, que tomou posse nesta quinta (13).

A votação eletrônica no plenário virtual começou no último dia 7. O prazo para conclusão se encerraria às 23h59 desta sexta-feira. Faltavam os votos dos ministros Luiz Fux, Celso de Mello e do próprio Lewandowski.

 COMO VOTARAM OS MINISTROS NO PLENÁRIO VIRTUAL

Contra o recurso A favor do recurso
Edson Fachin Marco Aurélio Mello
Cármen Lúcia
Alexandre de Moraes
Dias Toffoli
Luís Roberto Barroso
Rosa Weber
Gilmar Mendes

Lewandowski informou que pediu vista diante da divergência apresentada pelo ministro Marco Aurélio Mello, o único a se manifestar contra a manutenção da prisão.

No recurso, a defesa de Lula pediu que o Supremo considere inadequada a ordem de prisão porque o juiz não indicou os motivos para a necessidade de prender o ex-presidente.

No entendimento dos advogados, a prisão em segunda instância foi permitida, mas não pode ser automática, já que os juízes precisariam esclarecer as razões para prender alguém enquanto ainda houver recurso pendente de julgamento.

O relator do caso, ministro Luiz Edson Fachin, enviou o processo para julgamento no plenário virtual por considerar que não há mais necessidade de discussão do assunto porque o STF já consolidou o entendimento de que é possível executar a pena de prisão a partir da condenação confirmada por tribunal de segunda instância.

Lula foi condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) – um tribunal de segunda instância – a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá.

O ministro Marco Aurélio Mello, único a votar a favor da liberdade de Lula, entendeu que o ex-presidente não poderia ter sido preso sem que o juiz justificasse a necessidade da prisão.

“Procede a irresignação, considerada a omissão verificada, ante o fato de a ordem de prisão ter sido implementada automaticamente, a partir do esgotamento da jurisdição em segunda instância, sem fundamentação adicional sobre a adequação da medida no caso concreto.”

Leia Mais Lewandowski paralisa julgamento em que Lula perdia por 7 a 1; caso sai do plenário virtual e vai começar de novo no presencial

Publicado em 15 de setembro de 2018 por

Ex-prefeito de SP afirmou que ‘sabotagem’ do PSDB teve mais influência na recessão econômica que erros do governo Dilma Rousseff. Ele substituiu Lula como candidato a presidente pelo PT.

O candidato a presidente Fernando Haddad afirmou nesta sexta-feira (14) em entrevista ao Jornal Nacional que o modelo de financiamento empresarial de campanhas criou as condições para que “pessoas” tentassem ajudar o PT de forma irregular, mas não admitiu corrupção do partido.

Haddad fez a declaração ao ser confrontado, em uma pergunta do jornalista William Bonner, com informações sobre membros do PT – entre os quais os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, e Dilma Rousseff, ex-ministros, tesoureiros e dirigentes partidários – que são condenados, réus ou investigados na Operação Lava Jato. “Eu gostaria de saber, como é que o senhor se contrapõe a essa evidência”, disse o jornalista.

“Na verdade, o financiamento empresarial de campanhas criou uma série de brechas que permitiram a pessoas, algumas tentarem ajudar o partido de forma irregular e outras enriquecerem pessoalmente. Agora, eu não condeno ninguém por antecipação. Você citou pessoas que já foram, inclusive, excluídas de processos penais”, afirmou Haddad.

Registrado na última terça-feira (11) como candidato do PT em substituição a Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso, Fernando Haddad foi o quinto e último entrevistado da série do JN com presidenciáveis. O primeiro foi Ciro Gomes (PDT); o segundo, Jair Bolsonaro (PSL); o terceiro, Geraldo Alckmin (PSDB); e a quarta, Marina Silva (Rede).

Na entrevista, Haddad também respondeu sobre os motivos pelos quais foi derrotado na eleição de 2016 e não conseguiu se reeleger prefeito de São Paulo. Segundo ele, o eleitor foi “induzido a erro”.

Para Haddad, 2016 foi um ano “muito atípico” na cidade de São Paulo. Na interpretação do ex-prefeito, naquele ano estava criado um “clima” de antipetismo no Brasil e havia informações represadas sobre outros partidos.

“Pergunte aos brasileiros o que acham do Temer e aí você vai saber o que aconteceu em 2016. Aconteceu uma indução a erro. O eleitor foi induzido a erro. As informações que ele tinha era que o PSDB era de santos, o PMDB era de santos, o PP era de santos e o demônio do país virou o PT. E isso se provou errado”, disse.

Leia Mais No JN, Haddad atribui corrupção a ‘pessoas’ e não ao PT e diz que não se reelegeu porque eleitor foi ‘induzido a erro’

Publicado em 14 de setembro de 2018 por
Publicado em 14 de setembro de 2018 por

WhatsApp Image 2018-09-12 at 16.05.38

Na quinta-feira (13) o programa SABATINA da radio Comunidade FM entrevistou o publicitário Sílvio Nascimento, um dos coordenadores da campanha de Jair Bolsonaro em Pernambuco. Confira trechos da entrevista, conduzida por César Mello e Jason Lagos.

SABATINA: Como tem sido gerenciar a campanha desde a ultima quinta-feira dia 06 deste mês de setembro?

SILVIO NASCIMENTO: Tem sido bem difícil. A gente vinha num ritmo, a gente tinha o Capitão nas ruas, como ele gosta de fazer, junto com o povo, junto das multidões, que recebiam ele nos aeroportos, enfim em todas as cidades que ele ia. Sei que ele irá cumprir uma agenda pós-eleição pra falar com essas pessoas, mas é muito mais fácil você fazer uma campanha com a presença física do candidato. A partir do momento daquele atentado, e aí eu gosto realmente de chamar de atentado, eu digo; uma tentativa de assassinato, porque vejo por vezes, porque  eu sou de imprensa, já trabalhei muito tempo na  imprensa , mas vejo colegas chamando o fato de acidente, de incidente. Na verdade não se trata de um acidente e nem incidente, se trata de uma tentativa de assassinato. Então, depois dessa tentativa de assassinato, que tira o Capitão das ruas, que é onde ele gosta de estar, fica muito mais difícil pra gente coordenar uma campanha dessa forma, sem a presença dele. Por exemplo, ele estaria em Pernambuco nos dias 11 e 12. Dia 11 ele estaria em Recife e dia 12 em Caruaru. a passagem dele por Caruaru ia ser bastante  rápida , mais muito rápida mesmo. Por quê? Porque ele não voa em avião fretado, é uma campanha de parcos recursos, entendeu? Por isso que ele não voa de voos fretados, mas comerciais, e ele tem que ficar na faixa de 6 a 8 horas em cada Estado. Ele tinha aberto uma exceção aqui em Pernambuco pra fazer a capital e uma cidade do interior pra convergir com as demais. No caso, Caruaru converge com toda essa região do Agreste Setentrional . Mas, infelizmente ocorreu o que ocorreu e a gente fica na ausência da presença física dele.

SABATINA: O que é que fez, na sua visão, Jair Bolsonaro chegar a ser um fenômeno político?

SILVIO NASCIMENTO: Primeiro uma necessidade que o brasileiro tem hoje de promover uma mudança. Hoje é premente que se precisa mudar alguma coisa. Não é possível que a gente continuasse passivos a tanta corrupção, a tanta insegurança que o Brasil vive hoje, e a gente ficasse passivos a tanta inversões de valores. Esse é o primeiro fator: uma necessidade urgente de mudança.  E o segundo fator é que Jair Bolsonaro é uma pessoa autêntica, ele não precisa ser falso, ele não precisa mentir pra ninguém, ele diz o que pensa com autoridade e autenticidade. Ele não precisa tá agradando ninguém. Ele chegou, inclusive, por várias vezes dizer: “se quiser continuar votando em corruptos escolha outro, se quiser votar num cara que não decide, que não tem pulso, escolha outro, porque aqui comigo é desse jeito. Vou falar o que eu penso, fazendo o que eu acho que é correto”.  E o que ele acha correto está também alinhado com que a gente acha que é correto, o que a população acha que é correto. Veja que situação que a gente vive hoje em Santa Cruz, Caruaru, Pernambuco e Brasil: a gente vive hoje uma situação onde professor tem medo do aluno, não é verdade? A gente vive hoje numa situação que o bandido é muito, muito, muito melhor aparelhado do que a policia. Olha, eu não queria dizer isso aqui, mais foi um sucesso a ação dos bandidos na penitenciária de João Pessoa, foi um sucesso Cesar, foi um sucesso. Você veja, os caras tinham um projeto e realizaram o projeto, tendo muita convicção que o projeto ia dar certo. E eles só estavam convictos que esse projeto iria dar certo porque justamente eles sabem que estão muito melhor aparelhados e equipados do que a própria policia. Nós vivemos hoje realmente uma inversão de valores. A inversão de valores é tão grande que, veja, nós não temos a pena de morte e ainda não foi a provado a redução da maioridade penal, mas em compensação parte da população, aqueles mais ligados a esquerda são a favor do aborto. “Ah, porque o corpo é da mulher e a mulher faz do corpo o que quiser”. Mas veja, dentro dela não tem outro corpo? Que é o corpo do filho? E não pertence ao filho não? Então a gente hoje vive uma inversão de valores. Jair Bolsonaro é um fenômeno principalmente pela necessidade urgente de mudança que nós temos, e também pela autenticidade que ele transmite e dá aos eleitores e apoiadores. Me diga qual pesquisa coloca um ponto a menos de Jair Bolsonaro? De uma pesquisa para outra, vamos comparar, óbvio no mesmo instituto, seja inclusive o “Datafoice” assim como a gente chama entendeu? Até o Datafolha na pesquisa anterior e na pesquisa seguinte Bolsonaro cresce. Então, está aí demonstrado claramente o desejo de mudança. A gente não quer mais políticos corruptos, a gente tem que extirpar, tirar esse câncer que o Brasil tem chamado corrupção, que ta entranhado em todas as esferas do poder.

SABATINA: Da mesma forma que ele é visto como um fenômeno eleitoral, ele também é visto como um politico que tem muitas pechas atreladas a ele, como machista, homofóbico, racista, xenófobo, etc,. O que fazer pra desmistificar e contrapontear essas pechas que são usadas contra Bolsonaro?

SILVIO NASCIMENTO: Com a propaganda oficial a gente não pode agir de outra forma, senão buscar a Justiça Eleitoral. Se existe uma propaganda oficial chamando Jair de homofóbico, racista, de sexista, tem que realmente procurar os meios legais. Com relação a esse, digamos, assassinato de reputação que a esquerda tende a fazer, a gente já vem promovendo um trabalho  muito grande, tanto no boca a boca, que é nossa maior arma, quanto nas redes sociais, que também é uma grande arma que nós temos. Vamos lá: se dizer que é contra o “kit gay” nas escolas, é ser homofóbico? Eu, Silvo Nascimento, seria um homofôbico. Eu sou radicalmente contra o “kit gay”. O que ele não quer é esse ativismo LGBT desde a infância, ele não quer que a escola ensine o menino a brincar de boneca ou a menina a brincar de carrinho etc,. O que Bolsonaro defende é que menino nasce menino e menina nasce menina. É isso, mas se isso é ser homofôbico eu sou, e grande parte da população seria também. Então o que nós temos feito é usar as redes sociais pra mostrar a verdade, e mostrar o quanto a esquerda quer fazer esse assassinato de reputação.

SABATINA: Pra finalizar: Bolsonaro irá em busca de agremiações partidárias para apoiá-lo no segundo turno ou ele pretende recusar apoios?

SILVIO NASCIMENTO: Veja, eu acho que pode recusar apoios, entendeu?  Ele vai recusar apoio de corrupto, ele vai recusar apoio de quem esteja indiciado, vai recusar apoio daqueles que estejam em delação premiada na Lava Jato. Eu não acho que ele queira que exista um consenso na política, mas tenho certeza absoluta  que ele vai continuar nesse alinhamento de pensamento  da direita, desse exercício de mudança que nós temos que fazer,  e perto dele só pessoas de bem. Leia Mais Programa Sabatina

Publicado em 14 de setembro de 2018 por

WhatsApp Image 2018-09-14 at 17.09.45

Na quarta-feira (10) o programa SABATINA da radio Comunidade FM entrevistou o prefeito de Taquaritinga do Norte Ivanildo Lero. Confira trechos da entrevista, conduzida por César Mello e Jason Lagos.

SABATINA: Prefeito, como tem sido para o senhor esse período eleitoral de 2018, onde repete a dupla de apoiados de 2014, com Ricardo Teobaldo e Diogo Moraes, candidatos a deputados federal e Estadual, respectivamente, mas para o governo você apoia  Paulo Câmara, ao invés de Armando Monteiro que você apoiou 4 anos atrás?

LERO: Na realidade, a gente toma essas decisões em nome de um grupo.  Quatro anos atrás, nós tínhamos um compromisso com o senador Armando Monteiro, e esse compromisso a gente honrou, apoiando. Fizemos um bom trabalho, infelizmente não deu pra ele sair eleito, mas continuou com o mesmo respeito e carinho pelo senador. Mas aí temos que seguir a nossa liderança maior, de dentro da nossa cidade, dentro do nosso grupo político, que é o deputado Diogo Moraes.

SABATINA: Nesse caso, a sua mudança de Armando Monteiro para Paulo Câmara foi mais pela perspectiva de receber obras do governo do Estado do que mesmo por convicção?

LERO: Não. Eu, como prefeito, preciso que as coisas cheguem na minha cidade. Então, em nome de trazer melhorias para a cidade, precisei procurar o caminho que realmente eu conseguisse trazer as emendas para Taquaritinga, e o caminho do candidato que olhou para Taquaritinga do Norte foi o do governador Paulo Câmara. Então, se o governador nos olhou com carinho, está nos ajudando a governar, através do nosso Deputado Diogo Moraes, eu acredito que em nome da infraestrutura de Taquaritinga foi que segui esse caminho.

SABATINA: Foi divulgado pela imprensa da região, algumas semanas ou meses atrás, que você teria dado um “murro na mesa” e teria exigido que todos  do escalação superior do governo lhe acompanhassem  nas suas escolhas. Isso de fato aconteceu ou a imprensa exagerou, ou inventou?

LERO: Veja só, isso aconteceu. E pra deixar bem claro que a imprensa não fantasiou, realmente isso aconteceu, quando eu realmente citei que o nosso grupo tinha o compromisso de seguir a nossa liderança maior e acompanhar a gestão, mas você sabe que na politica nós somos grupo, tendo que sentar, conversar e reavaliar as ações.

SABATINA: Como é a sua relação política com o presidente da Câmara Heraldo da Pedra Preta e com o professor Jurandir? Você os tem como aliados ou adversários?

LERO: Eu tenho eles como aliados, pois foram eleitos no nosso palanque, tanto o professor Jurandir como o presidente da Câmara Heraldo, vereadores esses que tem uma  divergência entre eles  lá na câmara. Eu respeito cada um deles, e como prefeito eu não me meto nas divergências da câmara. Lá eles se resolvem , pois os mesmo têm o poder de legislar e eu, junto com os meus secretários, temos o poder de governar e trabalhar por Taquaritinga do Norte.

SABATINA: Na semana passada  esteve aqui no programa SABATINA o ex-prefeito Jânio Arruda, e o mesmo disse que foi chamado pelo governador para uma conversa no Palácio, e o governador teria se comprometido a ter uma relação diferente com ele , atendendo aos seus pleitos. Se realmente isso aconteceu, isso lhe contrariou? Ou você não acredita que foi assim?

LERO: Se você for escutar as estórias desse ex-vereador de Taquaritinga, de dez, onze é mentira. Não tenho dúvida: isso é mais uma. Veja, ele foi vereador por 4 anos, e eu desafio ele a dizer uma pedra que ele trouxe para Taquaritinga. Paulo Câmara tá terminando seu primeiro mandato, e veja se através do governador esse ex-vereador trouxe alguma coisa para Taquaritinga. Eu acredito que tudo que venha do governo para Taquaritinga venha por Diogo Moraes. Veja, eu sou prefeito de Taquaritinga, sei que as verbas do governo vêm através de Diogo Moraes para a prefeitura. Eu não sei agora se esse ex-vereador tem poder politico dentro do governo do Estado maior do que Diogo. Porque nem eu como prefeito, tenho muita humildade em dizer, que realmente o nosso líder político, e que nos representa no governo é Diogo Moraes. Agora, se ele veio com essa conversa, que ele prove e diga alguma ação que ele fez para Taquaritinga do Norte Leia Mais Programa Sabatina

Publicado em 14 de setembro de 2018 por